Diquinha: Aplicativo móvel para auxiliar no processo de aprendizado não formal em museus

  • Adilmar C. Dantas Universidade Federal de Uberlândia
  • Michel S. Xavier Universidade Federal de Uberlândia
  • Guilherme B. Guimarães Universidade Federal de Uberlândia
  • Heidie S. Torres Universidade de Uberlândia
  • Eduardo K. Takahashi Universidade Federal de Uberlândia
  • Sara L. Melo Universidade Federal de Uberlândia
  • Marcelo Z. do Nascimento Universidade Federal de Uberlândia https://orcid.org/0000-0003-3537-0178

Resumo


Este trabalho apresenta um aplicativo para atuar como monitor virtual de Museus de Ciências. A aplicação é responsável por fornecer informações sobre exposições e curiosidades dos artefatos disponíveis no espaço do museu. O desenvolvimento consistiu em observações realizadas pelos desenvolvedores durante a realização de visitas ao museu, em conjunto com as informações levantadas pelos monitores presentes no museu. Para a identificação dos artefatos das exposições foi utilizado uma ferramenta para o desenvolvimento de códigos QR que possibilitou uma correta identificação dos artefatos. Para avaliar a aplicação foi realizado um experimento em um museu com aproximadamente 30 artefatos catalogados, que foram devidamente fotografados para a inserção no aplicativo. Além disso, cada artefato foi inserido informações relevantes para utilização e manuseio, por meio de uma linguagem simples e informal, com o intuito de aumentar o interesse dos visitantes.

Palavras-chave: Aplicativo móvel, Aprendizado Não Formal, Museus, Monitor Virtual

Referências

Albertini, A., Brunelli, R., Stock, O., and Zancanaro, M. (2005). Communicating user’s focus of attention by image processing as input for a mobile museum guide. In International Conference on Intelligent User Interfaces: Proceedings of the 10 th international conference on Intelligent user interfaces, volume 10, pages 299–301. Citeseer.


Bastos, M. L., Marques, P. C., Dantas, M., da Silva, L. N., and Silva-Cavalcante, J. S.(2017). Jogo conhecendo o espaço do museu de oceanografia: utilizando interface natural no processo de ensino aprendizagem. In Brazilian Symposium on Computers in Education (Simpósio Brasileiro de Informática na Educação-SBIE), volume 28, page 555.


Bay, H., Fasel, B., and Van Gool, L. (2006). Interactive museum guide: Fast and robust recognition of museum objects. In Proceedings of the first international workshop on mobile vision.


Ellozy, H. A., Kanevsky, D., Kim, M. Y., Nahamoo, D., Picheny, M. A., and Zadrozny, W. W. (1997). Automatic indexing and aligning of audio and text using speech recognition. US Patent 5,649,060.


Föckler, P., Zeidler, T., Brombach, B., Bruns, E., and Bimber, O. (2005). Phoneguide: museum guidance supported by on-device object recognition on mobile phones. In Proceedings of the 4th international conference on Mobile and ubiquitous multimedia, pages 3–10. ACM.


Gruzman, C., Siqueira, V. H. F. d., et al. (2007). O papel educacional do museu de ciências: desafios e transformações conceituais.


Kopp, S., Gesellensetter, L., Krämer, N. C., and Wachsmuth, I. (2005). A conversational agent as museum guide–design and evaluation of a real-world application. In International Workshop on Intelligent Virtual Agents, pages 329–343. Springer.


Long, S., Kooper, R., Abowd, G. D., and Atkeson, C. G. (1996). Rapid prototyping of mobile context-aware applications: The cyberguide case study. In MobiCom, volume 96, pages 97–107. Citeseer.


Maffei, W. R. (2012). O impacto das tecnologias da informação e comunicação em museus: estudo de caso no museu da gente sergipana.


Marandino, M. (2008). Educação em museus: a mediação em foco.


Möller, A., Diewald, S., Roalter, L., and Kranz, M. (2012). Mobimed: comparing object identification techniques on smartphones. In Proceedings of the 7th Nordic Conference on Human-Computer Interaction: Making sense through design, pages 31–40. ACM.


Mori, S., Nishida, H., and Yamada, H. (1999). Optical character recognition. John Wiley & Sons, Inc.


Mozila (2019). Html5 @ONLINE.


MySql (2019). Why mysql? @ONLINE.


Ruf, B., Kokiopoulou, E., and Detyniecki, M. (2008). Mobile museum guide based on fast sift recognition. In International Workshop on Adaptive Multimedia Retrieval, pages 170–183. Springer.


Soto, C. F., Senra, A. I. M., and Neira, M. C. O. (2009). Ventajas del uso de las ticsen el proceso de enseñanza-aprendizaje desde la óptica de los docentes universitarios españoles. EDUTEC. Revista electrónica de Tecnología educativa, (29):a119–a119.


Vieira, V., Bianconi, M. L., and Dias, M. (2005). Espaços não-formais de ensino e o currículo de ciências. Ciência e Cultura, 57(4):21–23.


Wein, L. (2014). Visual recognition in museum guide apps: do visitors want it? In Proceedings of the SIGCHI Conference on Human Factors in Computing Systems, pages 635–638. ACM.
Publicado
24/11/2020
Como Citar

Selecione um Formato
DANTAS, Adilmar C.; XAVIER, Michel S.; GUIMARÃES, Guilherme B.; TORRES, Heidie S.; TAKAHASHI, Eduardo K.; MELO, Sara L.; NASCIMENTO, Marcelo Z. do. Diquinha: Aplicativo móvel para auxiliar no processo de aprendizado não formal em museus. In: S WORKSHOPS DO CONGRESSO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO (WCBIE), 9. , 2020, Online. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2020 . p. 95-103. DOI: https://doi.org/10.5753/cbie.wcbie.2020.95.