Digital and Scientific literacy with games: A Pedagogical Process based on Systems Engineering

Authors

  • Ana Paula Cavadas Rodrigues Colégio Estadual Marechal Zenóbio da Costa SEEDUC/RJ
  • Raquel Moreira Machado Fernandes Universidade Federal do Rio de Janeiro https://orcid.org/0000-0001-7643-6925
  • Leniah Lima Teixeira Iniciação científica da Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Gabrielle Bandeira Alves Colégio Estadual Marechal Zenóbio da Costa - RJ
  • Carlo Emmanoel Tolla de Oliveira Universidade Federal do Rio de Janeiro https://orcid.org/0000-0003-4387-9732
  • Claudia Lage Rebello da Motta Universidade Federal do Rio de Janeiro https://orcid.org/0000-0002-4069-1462

DOI:

https://doi.org/10.5753/jis.2021.1885

Keywords:

games, digital literacy, scientific literacy, cognitive aspects, educational innovation

Abstract

This study presents a Brazilian teaching-learning experience in basic education where game development is used to promote both digital and scientific literacy throughout the National Common Curricular Base (BNCC). Focused on students’ cognitive aspects, the approach presents a pedagogical architecture based on systems development. Thus, it was possible to catalyze convergence between interest in the Science curricular program and the result of knowledge acquisition  - such as skills development - by its means. The experiment was carried out centered on genetics studies where students collaboratively produced a digital game, improving in school assessment performance as an outcome. Therefore, we corroborate the effectiveness of creating games as an educational strategy able to optimize aspects of creativity, communication, collaboration, logical reasoning, problem-solving, abstract thinking and resilience. 

Downloads

Download data is not yet available.

References

Amabis, J. M., Martho, G. A. (2001). Conceitos de biologia. V3: genética, evolução e ecologia. Moderna, São Paulo.

Borges, K. G. D. B, Silva, C. C., Reis, A. R. H (2016). As dificuldades de aprendizagem das leis de Mendel por alunos do Ensino Médio de duas escolas de Manaus. In Anais do V Simpósio Nacional de Educação em Ciência e Tecnologia.Brasil. (2018). Base Nacional Comum Curricular. Brasília.

Brão, A. F. S., Pereira, A. M. T. B. (2015). Biotecnétika: Possibilidades do jogo no ensino de genética. In: Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias V. 14, nº1, pages 55-76.

Carabetta, V. J. Uma investigação microgenética sobre a internacionalização de conceitos de biologia por alunos do ensino médio. In Revista Contemporânea de Educação, V.5. n.10., pages 111-127.

Costa, A. (2000). Protagonismo juvenil: Adolescência, educação e participação democrática. Salvador, Fundação Odebrecht.

Fabrício, M. F. L, Jófili, Z. M. S, Semen, L. S. M., Leão, A. M. A. C. (2006). A compreensão das leis de Mendel por alunos de Biologia na Educação Básica e na Licenciatura. In Ensaio – Pesquisa e Educação em Ciências. v. 8, nº1.

Fialho, W. C. G., Mendonça, S. (2020). O PISA como indicador de aprendizagem de Ciências. In Roteiro, v. 45, pages 1-24.

Inhelder, B. (1996). O desenrolar das descobertas da criança: pesquisa acerca das microgêneses cognitivas. Porto Alegre, Artes Médicas.

Krasilchik, M. (2000). Reformas e Realidade. O caso do ensino de Ciências. In São Paulo em perspectiva. V. 14, n.1, pages 85-93.

Lima, A., Pinton, M., Chaves, A. (2007). O entendimento e a imagem de três conceitos: DNA, gene e cromossomo no ensino médio. In VI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. ABREPEC -SC.

Luria, A. R. (1981). Fundamentos de Neuropsicologia. São Paulo, Edusp.

Machado, R. M., Rodrigues, A. P. C., Fernandes, L. F. A., Motta, C. L. R. (2016). Ler, escrever e programar: atividades essenciais para o desenvolvimento cognitivo na era da informação. In Sanchez, J., editor, Nuevas Ideas en Informatica Educativa, V. 12, pages 511-516, Santiago de Chile.

Majolino, E. (2000) Funzioni esecutive: specificazione, aspetti neuroanatomico-funzionali e clinici. In SANNITA, W.G.; PISARRI, F.M. Introduzione alla riabilitazione cognitiva. Genova: Polo Didatico S. Anna Crotone, p.12-22.

Marques, C. V. M., Calil, E., Brasil, G. (2015). Game Inteligente: conceito e aplicação. In XIII Seminário SJEEC – Jogos Eletrônicos, Educação e Comunicação pages 162 – 171.

Marques, C. V. M. (2017). EICA – Estruturas Internas Cognitivas Aprendentes: Um modelo Neuro-Computacional aplicado à instância psíquica do sistema pessoa em espaços dimensionais. Tese de Doutorado. Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2017.

Marques, C. V. M., Oliveira, C. E. T., Fernandes, R. M. M. (2019). Metodologia Neurocientífica-pedagógica aplicada à concepção de jogos para ativação das funções cognitivas de estudantes da educação básica. In Proceedings of VII Jornada de atualização em Informática na Educação. Brasília, 2019.

Moura, J., Deus, M. S. M., Gonçalves, N. M. N., Peron, A. (2013). Biologia/Genética: O ensino de biologia com enfoque a genética das escolas públicas no Brasil. In Semina: Ciências Biológicas e da Saúde. v. 34, n.2.

Oca, I. C. M. (2010). ¿Qué aportes ofrece la investigación mas reciente sobre aprendizaje para fundamentar nuevas estrategias didácticas? In Revista Educación v. 19, pages 7-16.

Papert. S. (2008). A máquina das crianças: repensando a escola na era da informática. Trad. Sandra Costa. Porto Alegre, Artmed.

Piaget, J., Inhelder, B. (1983). Gênese das Estruturas lógico elementares. Rio de Janeiro, Zahar.

Piaget, J. (1987). O nascimento da inteligência na criança. 4. ed. Rio de Janeiro, LTC.

Rodrigues, A. P. C., Fernandes, R. M. M., Teixeira, L. L., Motta, C. L. R., Marques, C. V. M., Oliveira, C. E. T. (2019). O desenvolvimento de games como metodologia de ensino-aprendizagem e estratégia para promover o protagonismo juvenil. In Proceedings of Brazilian Symposium on computers in education, pages 853-862.

Demo, Pedro. Teoria e prática da avaliação qualitativa. Perspectivas Online 2007-2011, v. 1, n. 1, 2007.

Rodrigues, A. P. C. (2018). Fio Condutor Pedagógico Metacognitivo: uma Máquina de Estados Não Determinística para Elaboração de Games Inteligentes. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Rossi, R. (2018). Pesquisa-ação educacional: uma crítica ontológica. In Barbarói, Santa Cruz do Sul, n. 52, pages 170-181.

Royall, D. R., Lauterbach, E. C., Cummings, J. L., Reeve, A., Rummans, T. A., Kaufer, D. I., ... & Coffey, C. E. (2002). Executive Control Function: A Review of Its Promise and Challenges for Clinical Research. A Report From the Committee on Research of the American Neuropsychiatric Association. The Journal of neuropsychiatry and clinical neurosciences, 14(4), 377-405.

Silva, R. G., Zinzaretti, S., Lisoni, F. C. (2018). Percepção do conhecimento dos alunos do ensino médio do município de João Pessoa sobre temas emergentes em biotecnologia. In Experiências em Ensino de Ciências. V.13, nº1. Pages 288-305.

Souza, J. Y. K., Vitória, A. B., Andrade, M. B., Simões, S. N. (2019). Um jogo educativo para o ensino do código genético de forma lúdica. In SBC Proceedings of SBGames 2019. pages 1288-1231.

Viana, Z. L., Ferraz, F., Jucá, P. M. (2017). Levantamento das Ferramentas e Necessidades da Indústria de Jogos na Escrita e Manutenção de Game Design Documents. In SBC Proceedings of SBGames 2017. pages 1156-1162.

Teixeira, P. M. M., Neto, J. M. (2017). Uma proposta de tipologia para pesquisas de natureza interventiva. In Ciência e Educação. Bauru, V. 23, nº 4, pages 1055-1076.

Downloads

Published

2021-11-20

How to Cite

RODRIGUES, A. P. C.; FERNANDES, R. M. M.; TEIXEIRA, L. L.; ALVES, G. B.; OLIVEIRA, C. E. T. de; MOTTA, C. L. R. da. Digital and Scientific literacy with games: A Pedagogical Process based on Systems Engineering. Journal on Interactive Systems, Porto Alegre, RS, v. 12, n. 1, p. 219–231, 2021. DOI: 10.5753/jis.2021.1885. Disponível em: https://sol.sbc.org.br/journals/index.php/jis/article/view/1885. Acesso em: 27 nov. 2021.