Women in Tech Communities: challenges and risks

Authors

DOI:

https://doi.org/10.5753/jis.2022.2806

Keywords:

Tech feminism, Communities, Social media, Activism, Data feminism

Abstract

This work aims to present new results of ongoing doctoral research on female technology communities, initially published in the Annals of XV Women in Information Technology 2021. New debates on inclusion, empowerment and education in these groups will be related to new theoretical fields such as data feminism and platformization besides a framework based on Edgar Morin's Paradigm of Complexity to point out advances, risks and threats of this activism.

Downloads

Download data is not yet available.

References

Abbate, J. (2012). Recoding Gender: Women's Changing Participation in Computing. Cambridge, Massachusetts; London, England: The MIT Press.

Araújo, D. (2018). Feminismo e cultura hacker: intersecções entre política, gênero e tecnologia. Tese de doutorado. Campinas: Universidade Estadual de Campinas.

Beiguelman, G. Dadosfera. In: Políticas da imagem: vigilância e resistência na dadosfera. São Paulo: Editora Ubu. p. 47-77.

Benjamin, R. (2019). Race after technology: Abolitionist tools for the new Jim code. Oxford: Polity.

Castells, M. (1996). The Rise of the Network Society (Vol.1). Oxford; Malden, MA: Blackwell.

Castells, M. (2002). A sociedade em rede. São Paulo: Editora Paz e Terra.

Castells, M. (2018). O poder da identidade. São Paulo: Editora Paz e Terra.

Castells, M. (2021). “The Network Society Today: (Revisiting) the Information Age Trilogy”. Available at [link]

Coutinho, C. (2013). Metodologia de investigação em ciências sociais e humanas: Teoria e prática. Coimbra: Almedina.

D’Ignazio, C., Klein, L. (2020). Data Feminism. Cambridge, MA: MIT Press.

Erickson, T. (2013). Social Computing. In: Soegaard, M. and Dam, R. (eds.). The Encyclopedia of Human-Computer Interaction. Aarhus: The Interaction Design Foundation.

Frade, R. (2021). Comunidades de mulheres em tecnologia: estudo comunicacional e organizacional. In Anais do XV Women in Information Technology, (pp. 41-50). Porto Alegre: SBC. https://doi.org/10.5753/wit.2021.15840

Hayashi, M. et al. (2007). Indicadores da participação feminina em Ciência e Tecnologia. Transinformação, v. 19, n. 2, pp. 169-187. Epub 12 Set 2014. ISSN 2318-0889.

Incerti, T.; Casagrande, L. (2021). Discutindo gênero na educação profissional e tecnológica: conquistas, desafios, tabus e preconceitos. Cadernos Pagu [online]. 2021, n. 61 e216117. Epub 04 Jun 2021. ISSN 1809-4449. https://doi.org/10.1590/18094449202100610017.

Itani, A. (1992). TRABALHO FEMININO E TECNOLOGIA: A Imagem da Alteridade. Tempo Social [online], v. 4, n. 1-2, pp. 133-154. ISSN 1809-4554. https://doi.org/10.1590/ts.v4i1/2.84932.

Kozinets, R. (2014). Netnografia: Realizando pesquisa etnográfica online. Porto Alegre: Penso.

Liberato, T.; Andrade, T. (2018). Relações de gênero e inovação: atuação de mulheres nos NITs paulistas. Revista Estudos Feministas [online]. 2018, v. 26, n. 2, e41763. Epub 11 Jun 2018. ISSN 1806-9584. https://doi.org/10.1590/1806-9584-2018v26n241763.

Lima, B.; Costa, M. (2016). Gênero, ciências e tecnologias: caminhos percorridos e novos desafios. Cadernos Pagu [online]. 2016, n. 48, e164805. ISSN 1809-4449. https://doi.org/10.1590/18094449201600480005.

Lima, D.; Oliveira, T. (2020). Negras in tech: apropriação de tecnologias por mulheres negras como estratégias de resistência*. Cadernos Pagu [online]. 2020, n. 59, e205906. Epub 15 Jan 2021. ISSN 1809-4449. https://doi.org/10.1590/18094449202000590006.

Loch, R.; Torres, K.; Costa, C (2021). “Mulher, esposa e mãe na ciência e tecnologia”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 29, n. 1, e61470.

Lopes, M. (2016). As grandes ausentes das inovações em Ciência e Tecnologia. Cadernos Pagu, (19), 315–318. Available at [link]

Lucca, G., Raiol, J., Araújo, N., Sousa, R., Guedes, E. (2019). PyLadies Manaus: Experiências no Empoderamento Feminino na Comunidade Python. In: Anais do 13° Women in Information Technology (WIT2019). SBC, 2019.

Morin, E. (2011). Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Sulina.

Morin, E. (2005). Ciência com consciência. Rio de Janeiro: Bertrand.

Noble, S. (2018). Algorithms of Oppression. New York: New York University Press

Nogueira, E. (2017). Empoderamento feminino através das tecnologias da informação. Rio de Janeiro. Dissertação de Mestrado. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Nunes, M, Louzada, C., Salgueiro, E., Andrade, B., De Lima, P., Figueiredo, R. (2016). Mapeamento de iniciativas estrangeiras em língua inglesa que fomentam a entrada de mulheres na Computação. In: Anais do 10° Women in Information Technology (WIT2016). SBC, 2016.

Oliveira, J.; Mello, L.; Rigolin, C. (2020). Participação feminina na pesquisa sobre tecnologia da informação no Brasil: grupos de pesquisa e produção científica de teses e dissertações*. Cadernos Pagu [online]. 2020, n. 58, e205804. Epub 03 Ago 2020. ISSN 1809-4449. https://doi.org/10.1590/18094449202000580004.

Organização das Nações Unidas (2015). Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Available at [link] Accessed in 10/03/2021.

Paz, M. (2015). Mulheres e tecnologia: hackeando as relações de gênero na comunidade software livre do Brasil. Universidade Federal da Bahia, Salvador.

Peres, S., Gomes, E. (2020). Estudo sobre o empoderamento feminino através de comunidades de tecnologia. In: Anais do 14° Women in Information Technology (WIT2020). SBC, 2020.

Rodrigues, S. (2021). “{reprograma}: gênero e tecnologia em um estudo de caso preliminar”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 29, n. 1, e67314.

Salvador, S. (2010). Gênero na engenharia: o corpo docente em Curitiba/PR. Dissertação (Mestrado em Tecnologia) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba.

Santaella, L. (2021). Humanos Hiper-Híbridos. São Paulo: Paulus Editora.

Schwartz, J., Casagrande, L., Leszczynski, S., Carvalho, M. (2006). Mulheres na informática: quais foram as pioneiras?. In Cad. Pagu, 27, pp.255-278.

Souza, A. et al (2017). Relato Tech Ladies: redes de colaboração entre mulheres na tecnologia. In: Anais do 11°.

Women in Information Technology (WIT2017). SBC, 2017.

van Dijck, J., Poell, T., & Waal, M.: The platform society: Public values in a connective world. Oxford University Press, New York (2018).

Vasconcelos, I.; Irigaray, H. (2018). Novas formas de tecnologia e trabalho e uma maior igualdade para as mulheres em sua vida profissional. Cadernos EBAPE.BR [online]. 2018, v. 16, n. 3, pp. 1-4. 2018. ISSN 1679-3951. https://doi.org/10.1590/1679-395174821.

Vieira, C., Soares, A., Ribeiro, S. (2017). Incentivos à igualdade de gênero: estudo de caso de uma comunidade formada somente por mulheres da área de tecnologia. In: Anais do 11° Women in Information Technology (WIT2017). SBC, 2017.

Wajcman, J. (2006). El tecnofeminismo. Madrid: Ediciones Cátedra.

Wajcman, J. (2007). From women and technology to gendered technoscience. In Information, Communication and Society, 10 (3), p. 287-298.

Wajcman, J. (2009). Feminist theories of technology. In Cambridge Journal of Economics, 34, p. 143–152.

Downloads

Published

2022-12-13

How to Cite

FRADE, R. Women in Tech Communities: challenges and risks. Journal on Interactive Systems, Porto Alegre, RS, v. 13, n. 1, p. 375–385, 2022. DOI: 10.5753/jis.2022.2806. Disponível em: https://sol.sbc.org.br/journals/index.php/jis/article/view/2806. Acesso em: 6 feb. 2023.

Issue

Section

Regular Paper