Game-Based Learning: Possibilities of an Instrumental Approach to the FEZ Game for the Teaching of the Orthographic Drawings System Concepts

Authors

DOI:

https://doi.org/10.5753/jis.2023.3190

Keywords:

Game-Based Learning, Orthographic Drawings System, Instrumental Approach, FEZ

Abstract

Challenges and rewards are integral to the logic of digital games, and through them, users can learn and develop various skills. When games are employed in educational contexts, they can enhance creativity and contribute to students' development. The Game-Based Learning (GBL) methodology is grounded in the use of games in the educational context, whether they are meant for educational or entertainment purposes. This article aims to investigate whether the digital puzzle game called FEZ - which takes place in a three-dimensional scenario where the player interacts through two-dimensional views - can be used for teaching geometry, specifically from the perspective of Descriptive Geometry for learning concepts about the System of Views. To achieve this goal, we analyzed FEZ from the perspective of the Instrumental Approach as an educational resource for teaching concepts of the Orthographic Drawings System. As a result, we identify similar characteristics between the Orthographic Drawings System and the design aspects of the FEZ game that suggest the possibility of using this game as a didactic resource.

Downloads

Download data is not yet available.

References

Barbosa, E. F. and De Moura, D. G. (2013). Metodologias ativas de aprendizagem na educação profissional e tecnológica. Boletim Técnico do Senac, v. 39, n. 2, p. 48-67.

Bittar, M. (2011). A abordagem instrumental para o estudo da integração da tecnologia na prática pedagógica do professor de matemática. Educar em revista, p. 157-171.

Brasil. (1997). Ministério da Educação e do Desporto: Parâmetros Curriculares Nacionais: Introdução. Ensino de quinta a oitava série. Brasília: Ministério da Educação.

Brougère, G. (1998). Jogo e a Educação. Porto Alegre: Editora Artes Médicas.

Costa, M. D. and Costa, A. P. A. V. (1996). Geometria Gráfica Tridimensional: Sistemas de Representação. v1. Recife: Editora UFPE.

Cruz, D. C., Do Amaral, L. G. H., and Barreiras, B. (2012). Apostila de Geometria Descritiva. Universidade Federal da Bahia Barreira, BA.

Falcão, T. P. and Barbosa, R. (2015). "Aperta o Play!" análise da interação exploratória em um jogo baseado em pensamento computacional. In: Brazilian Symposium on Computers in Education (Simpósio Brasileiro de Informática na Educação-SBIE). p. 419.

Gabriel, M. (2013). Educ@ar a (r)evolução digital na educação. 1ª ed, São Paulo: Saraiva. 2012. ISBN-10: ‎ 8502204874. ISBN-13: ‎ 978-8502204874.

Huizinga, J. Homo Ludens (4ª edição.). Perspectiva, 2000.

Kishimoto, T. M. (2017). Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. Cortez editora.

Lopes, A. V. de F. and Gusmão, M. B. R. de. Geometria Gráfica Tridimensional para Engenharia e Arquitetura. Recife, 2020. E-book Disponível em: [link].

Lopes, A. V. de F. and Gusmão, M. B. R. de (2023). Representação gráfica para engenharias, arquitetura, expressão gráfica e design: projeções cilíndricas / Organizadoras. São Paulo: Pimenta Cultural.

Lovato, F. L., Michelotti, A., and Da Silva Loreto, E. L. (2018). Metodologias ativas de aprendizagem: uma breve revisão. Acta Scientiae, v. 20, n. 2.

Meyers, C. and Jones, T. B. (1993). Promoting Active Learning. Strategies for the College Classroom. Jossey-Bass Inc., Publishers, 350 Sansome Street, San Francisco, CA 94104.

Munhoz, D. R. M. and Battaiola, A. L. Regras e mecânicas em jogos. Pesquisa em Foco, v. 23, n. 2, 2018.

Neves Júnior, C. A. (2018). Análises dos conteúdos de sistemas de representação no curso de licenciatura em expressão gráfica da UFPE à luz da teoria antropológica do didático. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Pernambuco.

Neves, L. X., Funato, R. L., and Henriques, A. (2020). Análise da constituição do Jogo Copos das Frações sob Perspectiva da Abordagem Instrumental. INTERMATHS, v. 1, n. 1, p. 197-212.

Nipo, D. T., Rodrigues, R. L., and França, R. (2022). Jogando e Pensando: Aprendendo Pensamento Computacional com Jogos de Entretenimento. In: Anais do XXXIII Simpósio Brasileiro de Informática na Educação. SBC, p. 573-584.

Pereira, W. S., Cysneiros, G., and Aguiar, Y. P. C. (2019). Diretrizes para o Desenvolvimento de Serious Games: Um Mapeamento Sistemático da Literatura. In: Brazilian Symposium on Computers in Education (Simpósio Brasileiro de Informática na Educação-SBIE). Vol. 30, No. 1, p. 714.

Pimentel, F. S. C. (2021). Rio de Janeiro, BG Business Graphics Editora, 197 p. ISBN: 978-65-992447-6-6.

Pivato, M. G. and Oliveira, M. R. F. (2014). O uso das novas tecnologias educacionais com alunos do 3° ano do ensino médio. In: III Jornada de Didáticas e Desafios para a Docência e II Seminário de Pesquisa do CEMAD. Ed. 3. Londrina/PR. Anais da III Jornada de Didáticas e Desafios para a Docência e II Seminário de Pesquisa do CEMAD. Londrina. UEPR. 2014. p. 318-328.

Rabardel, P. (1995). Leshommes et lestechnologies. Approche cognitive dês instruments contemporains. In: Sciences et techniques éducatives, volume 2 n°2, 1995. pp. 237-239.

Rabardel, P. and Béguin, P. (2005). Instrument mediated activity: from subject development to anthropocentric design. Theoretical Issues in Ergonomics Science, v. 6, n. 5, p. 429-461. Doi:10.1080/14639220500078179.

Rocha, R. V., Bittencout, I. I., and Isotani, S. (2015). Análise, Projeto, Desenvolvimento e Avaliação de Jogos Sérios e Afins: uma revisão de desafios e oportunidades. In: Brazilian Symposium on Computers in Education (Simpósio Brasileiro de Informática na Educação-SBIE). p. 692.

Salazar, J. V. F. et al. (2009). Gênese instrumental na interação com Cabri 3D: um estudo de transformações geométricas no espaço.

Savi, R. and Ulbricht, V. R. (2008). Jogos digitais educacionais: benefícios e desafios. RENOTE, v. 6, n. 1.

Sena, S. et al. (2016). Aprendizagem baseada em jogos digitais: a contribuição dos jogos epistêmicos na geração de novos conhecimentos. RENOTE, v. 14, n. 1.

Schell, J. (2008). The Art of Game Design: A book of lenses. CRC press.

Silberman, M. (1996). Active Learning: 101 Strategies to Teach Any Subject. Prentice-Hall, PO Box 11071, Des Moines, IA 50336-1071.

Silva, A. R. da. (2018). Concepção de um suporte para a elaboração de webdocumentos destinados ao ensino da geometria: o caso das curvas cônicas. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Pernambuco.

Valente, J. (2018). Tecnologia e educação [recurso eletrônico]: passado, presente e o que está por vir / organizado por: José Armando Valente, Fernanda Maria Pereira Freire e Flávia Linhalis Arantes. – Campinas, SP:NIED/UNICAMP, 406.

Vaz de Carvalho, C. (2015). Aprendizagem baseada em jogos-Game-based learning. In: II World Congress on Systems Engineering and Information Technology. p. 176-181.

Downloads

Published

2023-07-06

How to Cite

NIPO, D.; GADELHA, D.; SILVA, M. da; LOPES, A. Game-Based Learning: Possibilities of an Instrumental Approach to the FEZ Game for the Teaching of the Orthographic Drawings System Concepts. Journal on Interactive Systems, Porto Alegre, RS, v. 14, n. 1, p. 231–243, 2023. DOI: 10.5753/jis.2023.3190. Disponível em: https://sol.sbc.org.br/journals/index.php/jis/article/view/3190. Acesso em: 15 apr. 2024.

Issue

Section

Regular Paper