Percepção do Ensino-Aprendizagem da Monitoria de Algoritmos e Programação em Cursos de Engenharia na Perspectiva de Estudantes, Monitores e Professores

Autores

  • José Solenir Lima Figuerêdo Universidade Estadual de Feira de Santana https://orcid.org/0000-0003-1892-3455
  • Jussara Gomes Machado Universidade Estadual de Feira de Santana
  • Samuel Vitório Lima Universidade Estadual de Feira de Santana
  • Cláudio Sérgio da Silva Cerqueira Universidade Estadual de Feira de Santana
  • Claudia Pinto Pereira Universidade Estadual de Feira de Santana https://orcid.org/0000-0002-2552-2089

DOI:

https://doi.org/10.5753/rbie.2021.2126

Palavras-chave:

Monitoria, ensino-aprendizagem, aprendizagem em pares, aprendizagem colaborativa, monitoria em engenharia, experiência com docência

Resumo

A monitoria é caracterizada como uma modalidade de ensino e aprendizagem que auxilia na formação integrada dos estudantes. É considerada como uma oportunidade dos monitores desenvolverem habilidades relacionadas à docência, além de aprofundar conhecimentos na área específica. Contudo, a sua ação efetiva depende de muitos fatores que vão desde o interesse particular dos estudantes “monitorados” até à colaboração do professor da disciplina com o monitor. Assim, refletir e compreender como os estudantes “monitorados”, estudantes monitores e professores enxergam a monitoria constitui-se uma atividade fundamental, especialmente para impulsionar melhorias. Deste modo, este estudo relata a experiência vivenciada por esses três diferentes atores, participantes de um projeto de monitoria que auxilia disciplinas que envolvem tópicos relacionados à lógica e ao raciocínio matemático, notadamente à programação de computadores. Os resultados revelam que, embora os estudantes “monitorados” tenham consciência da importância da monitoria, muitos não sentem a necessidade de procurar o monitor, muitas vezes recorrendo à internet e aos colegas para sanarem suas dúvidas. Além disso, os estudantes consideraram as disciplinas apoiadas pela monitoria como essenciais para alcançar seus objetivos profissionais, e acham a profissão de Computação divertida. Considerando os monitores, os nossos resultados revelaram que “Contribuir significativamente com o processo de aprendizagem de outros estudantes” e o “Interesse em ingressar na vida acadêmica/docente” são os principais motivos que levam os estudantes a entrarem no projeto de monitoria. Também indicaram que a monitoria permitiu melhorar suas estratégias de ensino, o conhecimento sobre linguagens de programação e a oralidade. Com relação aos professores, os nossos resultados mostram que os professores enxergam o projeto de monitoria como um recurso importante no processo de aprendizado do estudante. Contudo, verificou-se que, embora os professores estejam abertos ao projeto de monitoria, ainda falta uma maior interatividade entre esses e o estudante monitor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Abegg, I., Bastos, F. P., & Müller, F. M. (2010). Ensino-aprendizagem colaborativo mediado pelo wiki do moodle. Educar em Revista, 205–218. doi: 10.1590/S0104-40602010000300014 [GS Search]

Amato, D. T., & Reis, A. C. (2016). A percepção dos monitores sobre o programa de monitoria do Ensino Superior do CEFET/RJ. Scientia Plena, 12(7). doi: 10.14808/sci.plena.2016.071302 [GS Search]

Assis, F., Borsatto, A. Z., Silva, P. D. D., Peres, P. L., Rocha, P. R., & Lopes, G. T. (2006). Programa de monitoria acadêmica: percepções de monitores e orientadores. Rev. enferm. UERJ, 14(3), 391–397. [GS Search]

Ausubel, D. P. (1968). Educational psychology: a cognitive view. Holt, Rinehart and Winston: New York. [GS Search]

Ausubel, D. P. (2003). Aquisição e retenção de conhecimentos: uma perspectiva cognitiva. Lisboa: Plátano, 1. [GS Search]

Bazzo, W. A., & Pereira, L. T. V. (2010). Introdução à engenharia: conceitos, ferramentas e comportamentos. Ed. da UFSC. [GS Search]

Belloni, M. L., & Gomes, N. G. (2008). Infância, mídias e aprendizagem: autodidaxia e colaboração. Educação & Sociedade, 29(104), 717–746. [GS Search]

Brasil (1968). Lei nº 5.540, de 28 de novembro 1968. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l5540.htm. [Acesso em 12/06/2021]

Brasil (1981). Decreto nº 85.862, de 31 de março de 1981. Diário Oficial da União. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Atos/decretos/1981/D85862.html. [Acesso em 12/06/2021]

Brasil (1988). Constituição da república federativa do brasil de 1988. Brasília, DF: Senado Federal. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. [Acesso em 12/06/2021]

Brasil (1996). Lei nº 9.394, de 20 de dezembro 1996. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. [Acesso em 12/06/2021]

CNE (2002). Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Engenharia. Resolução CNE/CES 11. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES112002.pdf. [Acesso em 12/06/2021]

Cordeiro, J. S., Almeida, N. N., Borges, M. N., Dutra, S. C., Valinote, O. L., & Pravia, Z. M. C. (2009). Um futuro para a educação em engenharia no brasil: desafios e oportunidades. Revista de Ensino de Engenharia, 27(3), 69–82. [GS Search]

Cunha Júnior, F. R. (2017). Atividades de monitoria: uma possibilidade para o desenvolvimento da sala de aula. Educação e Pesquisa, 43(3), 681–694. doi: 10.1590/S1517-9702201707154754 [GS Search]

Diesel, A., Martins, S. N., & Rehfeldt, M. J. H. (2018). Aproximações entre as metodologias ativas de ensino e as tecnologias digitais de informação e comunicação: uma abordagem teórica. Conexões-Ciência e Tecnologia, 12(1), 38–44. doi: 10.21439/conexoes.v12i1.1074 [GS Search]

Dourado, L. F., & Oliveira, J. F. (2009). A qualidade da educação: perspectivas e desafios. Cadernos Cedes, 29(78), 201–215. [GS Search]

Figuerêdo, J. S. L., Mascarenhas, R. S., & Bittencourt, R. A. (2017). Disseminando a aprendizagem colaborativa atraves do ambiente canvas. CoRR, abs/1709.07537. Disponível em: https://arxiv.org/abs/1709.07537]. [Acesso em 03/07/2021]

Freire, P. (2011). Pedagogia da autonomia: saberes necessários à pratica educativa (1st ed.). Paz e Terra. [Paulo Freire 1996 Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa]

Frison, L. M. B. (2016). Monitoria: uma modalidade de ensino que potencializa a aprendizagem colaborativa e autorregulada. Pro-Posições, 27(1), 133–153. [GS Search]

Gadotti, M. (2010). Qualidade na educação: uma nova abordagem. Produção de terceiros sobre Paulo Freire; Série Livros. [GS Search]

Galvani, D., Silva, B. C., Menezes, B. M., Galvani, D. Z., & Firpo, P. F. (2017). Monitorias em projeto pedagógico no ensino superior: Um relato de experiência. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, 9(1). [GS Search]

Gatti, B. A. (2016). Formação de professores: condições e problemas atuais. Revista internacional de formação de professores, 1(2), 161–171. [GS Search]

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa (Vol. 4). Atlas São Paulo. Disponível em: [link]. [Acesso em 27/08/2021]

Godoy, E., & Almeida, E. (2017). A evasão nos cursos de Engenharia e a sua relação com a Matemática: uma análise a partir do COBENGE. Educação Matemática Debate, 1(3), 339–361. doi: 10.24116/emd25266136v1n32017a05. [GS Search]

Günther, H. (2006). Pesquisa qualitativa versus pesquisa quantitativa: esta é a questão? Psicologia: teoria e pesquisa, 22(2), 201–209. doi: 10.1590/S0102-37722006000200010 [GS Search]

Guzdial, M. J., & Ericson, B. (2009). Introduction to computing and programming in python, a multimedia approach (2nd ed.). USA: Prentice Hall Press. [GS Search]

INEP (2010). Trajetória e estado da arte da formação em engenharia, arquitetura e agronomia–volume i: Engenharias. Disponível em: [link]. [Acesso em 12/06/2021]

INEP (2017). Censo da educação superior: notas estatísticas 2017. Disponível em: [link]. [Acesso em 12/06/2021]

Lins, L. F., Ferreira, L. M. C., Ferraz, L. V., & Carvalho, S. S. G. (2009). A importância da monitoria na formação acadêmica do monitor. IX Jornada de ensino, pesquisa e extensão. [GS Search]

Lira, M. O., Nascimento, D. Q., Silva, G. C. L., & Maman, A. S. (2015). Contribuições da monitoria acadêmica para o processo de formação inicial docente de licenciandos em ciências biológicas da UEPB. In 2º Congresso Nacional de Educação (CONEDU). [GS Search]

Lourenço, M. R., & Machado, J. (2017). Aprender juntos: projeto de apoio curricular entre pares. Revista Portuguesa de Investigação Educacional(17), 124–145. [GS Search]

Magalhães, L. D., Januário, I. S., & Maia, A. K. F. (2014). A monitoria acadêmica da disciplina de cuidados críticos para a enfermagem: um relato de experiência. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, 12(2), 556–565. doi: 10.5892/ruvrd.v12i2.1610 . [GS Search]

Martinelli, C. S., & Bartholomeu, D. (2007). Escala de motivação acadêmica: uma medida de motivação extrínseca e intrínseca. Avaliaçao Psicologica: Interamerican Journal of Psychological Assessment, 6(1), 21–31. [GS Search]

Matoso, L. M. L. (2014). A importância da monitoria na formação acadêmica do monitor: um relato de experiência. CATUSSABA-ISSN 2237-3608, 3(2), 77–83. Disponível em: https://repositorio.unp.br/index.php/catussaba/article/view/567. [Acesso em 12/06/2021]

Mazur, E. (1999). Peer instruction: A user’s manual. American Journal of Physics, 67(4), 359-360. doi: 10.1119/1.19265. [GS Search]

Nascimento, F. B., & Barletta, J. B. (2011). O olhar do docente sobre a monitoria como instrumento de preparação para a função de professor. Rev Cereus, 3(1), 57–75. Disponível em: http://ojs.unirg.edu.br/index.php/1/article/view/57. [Acesso em 12/06/2021]

Pelizzari, A., Kriegl, M. L., Baron, M. P., Finck, N. T. L., & Dorocinski, S. I. (2002). Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel. Revista PEC, 2(1), 37–42. [GS Search]

Pereira, F. I. (2017). Aprendizagem por pares e os desafios da educação para o senso crítico. International Journal on Active Learning, 2(1), 6–12. doi: 10.15202/25262254.2017v2n1p6 [GS Search]

Piva Júnior, D., & Freitas, R. L. (2010). Estratégias para melhorar os processos de abstração na disciplina de algoritmos. In Brazilian Symposium on Computers in Education (Simpósio Brasileiro de Informática na Educação-sbie). [GS Search]

Reis, V. W., Cunha, P. J., & Spritzer, I. (2012). Evasão no ensino superior de engenharia no brasil: um estudo de caso no cefet/rj. In Xl Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia. Belém do Pará. [GS Search]

Ribeiro, L., Foss, L., & Cavalheiro, S. A. C. (2017). Entendendo o pensamento computacional. CoRR, abs/1707.00338. Retrieved from http://arxiv.org/abs/1707.00338. [GS Search]

Robins, A., Rountree, J., & Rountree, N. (2003). Learning and teaching programming: A review and discussion. Computer Science Education, 13(2), 137-172. doi: 10.1076/csed.13.2.137.14200. [GS Search]

Santana, B. L., Figuerêdo, J. S. L., & Bittencourt, R. A. (2017). Motivação de estudantes nonmajors em uma disciplina de programação. In Anais do XXV Workshop sobre Educação em Computação. Porto Alegre, RS, Brasil: SBC. doi: 10.5753/wei.2017.3545. [GS Search]

Severino, A. J. (2009). Expansão do ensino superior: contextos, desafios, possibilidades. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior (Campinas), 14(2), 253–266. [GS Search]

Silva, A. S. P., Bueno, M. R. P., Amaral, M. A. F., Sellmann, M. Z., & Koehler, S. M. F. (2012). Inovação didática-projeto de reflexão e aplicação de metodologias ativas de aprendizagem no ensino superior: uma experiência com “peer instruction”. Janus, 9(15). [GS Search]

Silva, E. L., & Menezes, E. M. (2001). Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. [GS Search]

Silva, J. B. (2020). A teoria da aprendizagem significativa de david ausubel: uma análise das condições necessárias. Research, Society and Development, 9(4), e09932803–e09932803. doi: 10.33448/rsd-v9i4.2803 [GS Search]

Silveira, E., & Sales, F. (2016). A importância do programa de monitoria no ensino de biblioteconomia da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). In CID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, 7(1), 131–149. doi: 10.11606/issn.2178-2075.v7i1p131-149 [GS Search]

Tarouco, L. M. R., Roland, L. C., Fabre, M. C. J. M., & Konrath, M. L. P. (2004). Jogos educacionais. RENOTE: revista novas tecnologias na educação, 2(1). doi: 10.22456/1679-1916.13719 [GS Search]

Tavares, R. (2004). Aprendizagem significativa. Revista conceitos, 10(55). [GS Search]

UEFS (2010). Resolução consepe resolução consepe 208/2010. Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE. Disponível em: [link]. [Acesso em 12/06/2021]

UEFS (2021). Monitoria. Disponível em: http://www.prograd.uefs.br/modules/conteudo/ conteudo.php?conteudo=23. [Acesso em 12/06/2021]

Vasconcelos, C., Praia, J. F., & Almeida, L. S. (2003). Teorias de aprendizagem e o ensino/aprendizagem das ciências: da instrução à aprendizagem. Psicologia escolar e educacional, 7(1), 11–19. doi: 10.1590/S1413-85572003000100002 [GS Search]

Watson, C., & Li, F. W. (2014). Failure rates in introductory programming revisited. In Proceedings of the 2014 conference on innovation & technology in computer science education (p. 39–44). New York, NY, USA: Association for Computing Machinery. doi: 10.1145/2591708.2591749. [GS Search]

Zanetti, H., & Oliveira, C. (2015). Práticas de ensino de programação de computadores com robótica pedagógica e aplicação de pensamento computacional. In Anais dos workshops do congresso brasileiro de informática na educação (Vol. 4, p. 1236). doi: 10.5753/cbie.wcbie.2015.1236. [GS Search]

Arquivos adicionais

Publicado

2021-12-22

Como Citar

Figuerêdo, J. S. L., Machado, J. G., Lima, S. V., Cerqueira, C. S. da S., & Pereira, C. P. (2021). Percepção do Ensino-Aprendizagem da Monitoria de Algoritmos e Programação em Cursos de Engenharia na Perspectiva de Estudantes, Monitores e Professores. Revista Brasileira De Informática Na Educação, 29, 1433–1462. https://doi.org/10.5753/rbie.2021.2126

Edição

Seção

Edição Especial :: EduComp 2021