Interfaceando com o Espectro Autista

  • Maria Renata M. Gobbo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação da UEL, Londrina, Brasil
  • Cinthyan R. Sachs C. Barbosa Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação da UEL, Londrina, Brasil
  • Fernanda Mafort Programa de Pós-Graduação em Análise do Comportamento Aplicada da PUC-Londrina

Resumo


Crianças com Transtorno no Espectro Autista (TEA) apresentam, em algum grau, déficits na comunicação, comportamento e interação social. Jogos têm sido utilizados para ajudá-las nessas questões. Porém, pouca atenção é dada na alfabetização de crianças com TEA e isso reflete também nos jogos com esse propósito. Conceitos de acessibilidade e design interativo são deixados de lado na interação entre usuários autistas e tais aplicativos, o que acaba prejudicando a eficácia dos jogos, principalmente na questão da alfabetização. Este trabalho aborda o desenvolvimento de um jogo que foi criado não apenas para alfabetizar crianças no espectro autista, mas também para familiarizá-las com atividades de autocuidado e higiene pessoal (chamadas de Atividades de Vida Diária - AVDs), através de PECS (Pictures Exchange Communication System).
Publicado
22/10/2018
Como Citar

Selecione um Formato
RENATA M. GOBBO, Maria; R. SACHS C. BARBOSA, Cinthyan; MAFORT, Fernanda. Interfaceando com o Espectro Autista. In: PÔSTERES - SIMPÓSIO BRASILEIRO DE FATORES HUMANOS EM SISTEMAS COMPUTACIONAIS (IHC), 17. , 2018, Belém. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2018 . ISSN 2177-9384. DOI: https://doi.org/10.5753/ihc.2018.4191.