Caracterização do Público-Alvo de Jogos Educacionais na área da Computação

  • Paulo E. Battistella UFSC
  • Christiane G. von Wangenheim UFSC

Resumo

Jogos educacionais podem trazer diversos benefícios, incluindo no ensino de computação. No entanto, para obter esses benefícios é importante conceber jogos que levam em consideração a caracterização do público-alvo. Assim, o objetivo deste artigo é caracterizar os estudantes de computação com relação à aplicação de jogos educacionais. Os dados foram coletados por meio de uma pesquisa on-line com 406 participantes. Os dados mostram que o público-alvo é principalmente masculino, frequentemente jogam jogos digitais em seus notebooks ou smartphones, preferem jogos de RPG e ação-aventura. O resultado da pesquisa pode ajudar os desenvolvedores de jogos educacionais, como uma parte da análise de contexto no design de jogos.

Referências

Barbosa, W. A. et al. (2015) “DEG4Trees: Um Jogo Educacional Digital de Apoio ao Ensino de Estruturas de Dados”, Workshop sobre Educação em Computação, Recife, Pernambuco, Brasil.

Basili, V., Caldiera, G. e Rombach, H. D. (1994) “Goal Question Metric Approach”, Encyclopedia of Software Engineering, John Wiley & Sons, Inc., p. 528-532.

Battistella, P. E., Wangenheim, A. e Wangenheim, C. G. von. (2012) “SORTIA - Um Jogo para Ensino de Algoritmo de Ordenação: Estudo de caso na Disciplina de Estrutura de Dados”, Simpósio Brasileiro de Informática na Educação, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Battistella, P. E. e Wangenheim, C. G. von. (2016) “Games for Teaching Computing in Higher Education – A Systematic Review”, IEEE Technology and Engineering Education.

Battistella, P. E. e Wangenheim, C. G. von, (2015) “ENgAGED: Processo de Desenvolvimento de Jogos para Ensino em Computação”, Relatório Técnico INCoD/GQS.01.2015.P, Florianópolis, Brasil.

Boyle, E. A. et al. (2016) “An update to the systematic literature review of empirical evidence of the impacts and outcomes of computer games and serious games”, Computers & Education, 94, pp. 178-192.

Branch, R. M. (2009) “Instructional Design: The ADDIE Approach”, Springer, New York, EUA, p. 203.

Ferreira, B. et al. (2014) “UsabiliCity: Um Jogo de Apoio ao Ensino de Propriedades de Usabilidade de Software Através de Analogias”, Simpósio Brasileiro de Informática na Educação, Dourados, MS, Brasil.

Freitas, S. I. de (2006) “Using games and simulations for supporting learning”, Learning, Media and Technology, Digital Games and Learning, 31(4), p. 343-358.

Fullerton, T. (2008) “Game design workshop: A playcentric approach to creating innovatives games”, 2ª ed., Elsevier.

Gestal, P. R. E. e Barros, R. M. de. (2014) “Proposta de Um Simulador para Auxiliar no Processo de Ensino do Scrum”, Simpósio Brasileiro de Sistemas de Informação, Londrina, PR, Brasil.

Hays, R. T. e Singer, M. J. (1988) “Simulation fidelity in training system design: Bridging the gap between reality and training”, Recent Research in Psychology, Springer, p. 415.

Kafai, Y. B. (2001) “The educational potential of electronic games: From games-toteach to games-to-learn”, Conference on playing by the rules: the cultural policy challenges of video games. Chicago, IL, EUA.

Kickmeier-Rust, M. D. et al. (2006). “The ELEKTRA project: Towards a new learning experience”, In M. Pohl, A. Holzinger, R. Motschnig, & C. Swertz: M3 – Interdisciplinary Aspects on Digital Media & Education, Vienna, p. 19-48.

Kirriemuir, J. e McFarlane, C. A. (2004) “Literature Review in Games and Learning Literature Review in Games and Learning”, Bristol: FutureLab Series.

Mitchell, A. e Savill-Smith, C. (2004) “The use of computer and video games for learning: a review of the literature”, Learning and Skills Development Agency, Ultralab, London, UK.

Nunes, I. de F. e Parreira Junior, P. A. (2015) “RPG4Sorting - Um Jogo Educacional para Auxílio ao Ensino de Métodos de Ordenação”, Workshop sobre Educação em Computação, Recife, Pernambuco, Brasil.

Oliveira, E. D. de. e Barros, R. M. de. (2013) “ABstração Game: Um Jogo Para Facilitar o Processo de Ensino e Aprendizagem da Orientação a Objetos”, Workshop sobre Educação em Computação, Maceió, AL, Brasil.

Poulova, P. e Klimova, B. (2015) “Education in Computational Sciences”, International Conference on Computational Science. Reykjavík, Iceland, p. 1996-2005.

Prensky, M. (2007) “Digital game-based learning”, Paragon House, p.464.

Staalduinen, J. v. e Freitas, S. de. (2011) “A Game-Based Learning Framework: Linking Game Design and Learning Outcomes”, Nova York: Peter Lang, p. 29-45.

Wangenheim, C. G. von e Shull, F. (2009) “To game or not to game?”, IEEE Software, 26(2), p. 92-94.
Publicado
2016-07-04
Como Citar
BATTISTELLA, Paulo E.; VON WANGENHEIM, Christiane G.. Caracterização do Público-Alvo de Jogos Educacionais na área da Computação. Anais do Workshop sobre Educação em Computação (WEI), [S.l.], p. 2016-2025, jul. 2016. ISSN 2595-6175. Disponível em: <https://sol.sbc.org.br/index.php/wei/article/view/9645>. Acesso em: 18 maio 2024. doi: https://doi.org/10.5753/wei.2016.9645.