A Relação entre a Ludicidade e a Cognição em um Jogo para o Controle Inibitório

  • Ariane N. Rodrigues UPE
  • Arianne Sarmento Torcate UPE
  • Claudimara C. Santos UPE

Resumo


O artigo apresenta um jogo para trabalhar o controle inibitório, como um dos componentes das funções executivas importante para a aprendizagem. Associado a uma pesquisa de conclusão de um curso de Licenciatura em Computação, o jogo relaciona as perspectivas da Psicologia e Computação, e foi desenvolvido sob orientação de especialistas das áreas. O artigo enfatiza a importância da ludicidade com eventos especiais e sua relação com os objetivos do jogo para ativar processos cognitivos adequados como estratégia para estimular comportamentos associados a esta função executiva durante a interação.

Referências

Araújo, D.; Rodrigues, A.; Lacerda, P.; Dionísio, M.; Santos, H. (2016) “Processo de desenvolvimento do jogo sério Missão Aedes: relações entre objetivos pedagógicos, ludicidade e implicações de design”. Anais do SBIE.

Baum, C.; Maraschin, C. Level up! desenvolvimento cognitivo, aprendizagem enativa e videogames. Psicol. Soc., Belo Horizonte, v. 29, e132334, 2017.

Barbosa, S. D. J.; Silva, B. S. (2010) “Interação Humano-Computador”. Editora Campus-Elsevier.

Cerqueira, B. B.; Barbosa, D. N. F. e Mossmann, J. B. (2018). “Revisão Exploratória de Literatura em Jogos Digitais voltados para estimulação do Controle Inibitório em Crianças do Ensino Fundamental”. Revista Conhecimento Online. Ed. especial: Out. 2018, a. 10 , v. 3.

Cunha, E. O., Dazzani, M. V. M., Santos, F. L. and Zucoloto, P. C. S. do V. (2016). “A queixa escolar sob a ótica de diferentes atores: análise da dinâmica de sua produção”. Estudos de Psicologia, Vol.33 no 2, 237-245.

Ferraz, A. P. do C. M.; Belhot, R. V. (2010) Taxonomia de Bloom: revisão teórica e apresentação das adequações do instrumento para definição de objetivos instrucionais. Gest. Prod., São Carlos, v. 17, n. 2, p. 421-431, 2010.

Freire, J. V. S.; Costa, A. D.; Silva, A. G. F. e Kneipp, R. E. (2018). “Digital Game Based Learning e transtornos que afetam o aprendizado”. Sociedade Brasileira de Computação (SBC) - Proceedings of SBGames 2018.

Huizinga, J. (2001) “Homo ludens”. São Paulo: Perspectiva.

Kandel, E.R; Schwartz, J.H.; Jessel, T.M. Princípios da neurociência. São Paulo: Manole, 2003.

Krathwohl, D. R. (2002) “A Revision of Bloom's Taxonomy: An Overview. Theory into Practice”, vol.4. College of Educacion, The Ohio State University.

Malloy-Diniz, L. F. et al. (2012). Neuropsicologia das funções executivas. In: Caixeta, L.; Ferreira, S.B. (Org.). Manual de neuropsicologia: dos princípios á reabilitação. São Paulo: Atheneu, p.27-44.

Malloy-Diniz, L. F., Fuentes, D., Mattos, P., & Abreu, N. (2010). “Avaliação Neuropsicológica”. Porto Alegre: Artmed.

Mastrocola, V. M. (2013) “Doses lúdicas: breves textos sobre o universo dos jogos e entretenimento”. / Vicente Martin Mastrocola. – São Paulo: Independente.

Preece, J.; Rogers,; Sharp, H. (2005) “Design de interação: além da interação homem-computador”, Bookman.

Ramos, D. K. e Anastácio, B. S. (2018). “Habilidades cognitivas e o uso de jogos digitais na escola: a percepção das crianças¹”. Revista: Educação Unisinos. Editora: Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

Ramos, D. K. e Rocha, N. L. (2016). “Avaliação do uso de jogos eletrônicos para o aprimoramento das funções executivas no contexto escolar”. Revista psicopedagogia, vol.33 no.101 - São Paulo.

Reategui, E. (2007) “Interfaces para softwares educativos”. Revista Novas Tecnologias na Educação, v.5, n.1, pág. 1-10.

Seabra, A. G.; Laros, J. A.; Macedo, E. C. and Abreu, N. (2014). “Inteligência e Funções Executivas: Avanços e Desafios para a Avaliação Neuropsicológica”. São Paulo: Memnon, p. 39-50. 2014.

Sternberg, R.J. Psicologia cognitiva. São Paulo: Cengage Learning, 2002.

Silva, A. C. B da; Gomes, A. S. (2015) Conheça e utilize software educativo: avaliação e planejamento para a educação básica Série Professor Criativo — Volume 2.

Tchounikine, P. (2011) “Computer Science and Educational Software Design. A resource for Multidisciplinary Work in Technology Enhanced Learning”.
Publicado
02/12/2019
Como Citar

Selecione um Formato
RODRIGUES, Ariane N.; TORCATE, Arianne Sarmento; SANTOS, Claudimara C.. A Relação entre a Ludicidade e a Cognição em um Jogo para o Controle Inibitório. In: CONGRESSO SOBRE TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO (CTRL+E), 4. , 2019, Recife. Anais do IV Congresso sobre Tecnologias na Educação. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, dec. 2019 . p. 269-278. DOI: https://doi.org/10.5753/ctrle.2019.8898.