Redesign de aplicativos para pessoas com Transtorno do Espectro Autista orientado pelas diretrizes do GAIA

  • Bruno de Mendonça Universidade Federal do Ceará, Russas, CE, Brasil
  • Carlos J. Silva Lopes Universidade Federal do Ceará, Russas, CE, Brasil
  • Marília S. Mendes Universidade Federal do Ceará, Russas, CE, Brasil
  • Anna Beatriz Marques Universidade Federal do Ceará, Russas, CE, Brasil

Resumo


Pessoas com o Transtorno do Espectro Autista (TEA) apresentam dificuldades na interação social, comunicação e um repertório restrito de interesses e atividades. Devido às dificuldades para entender expressões, as pessoas com TEA podem não compreender ou perceber determinados conteúdos, termos e imagens presentes na interface de aplicações. Pesquisas recentes propõem diretrizes para a construção de interfaces adequadas a esses usuários, como o GAIA (Guia de Acessibilidade de Interfaces Web com foco em aspectos do Autismo). Porém, ainda não existem relatos sobre o uso dessas diretrizes no redesign de interface de aplicações. Esse artigo apresenta a adoção das diretrizes do GAIA para o redesign de interface de dois aplicativos móveis para pessoas com TEA.
Publicado
22/10/2018
Como Citar

Selecione um Formato
DE MENDONÇA, Bruno; J. SILVA LOPES, Carlos; S. MENDES, Marília; BEATRIZ MARQUES, Anna. Redesign de aplicativos para pessoas com Transtorno do Espectro Autista orientado pelas diretrizes do GAIA. In: PÔSTERES - SIMPÓSIO BRASILEIRO DE FATORES HUMANOS EM SISTEMAS COMPUTACIONAIS (IHC), 17. , 2018, Belém. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2018 . ISSN 2177-9384. DOI: https://doi.org/10.5753/ihc.2018.4198.