Avaliação da Audiodescrição Gerada por Sistema: Análise sob a Perspectiva do Usuário

  • Rafael Cordeiro UFPB
  • Tiago Araújo UFPB
  • Yuska Aguiar UFPB

Resumo


A audiodescrição (conhecida como AD) é uma faixa de áudio narrativa que auxilia as pessoas com deficiência visual na compreensão de conteúdos audiovisuais. O profissional responsável por gerar a AD é o audiodescritor. Este tem como tarefa transformar as informações visuais de vídeos ou apresentações em áudio para os espectadores. Este processo de transformação exige tempo e possui um alto custo. Como suporte para estes profissionais, tendo em vista a redução de tempo e custo para realização das audiodescrições, sistemas automáticos geradores de audiodescrição têm sido desenvolvidos. O objetivo deste trabalho de pesquisa consiste em avaliar um sistema gerador automático de audiodescrição de filmes. A metodologia proposta avalia a qualidade da AD gerada sob a perspectiva do usuário deficiente visual. O nível de acessibilidade da AD gerada automaticamente, a partir de dois modelos distintos, e de uma AD gerada por um audiodescritor foi avaliado a partir da aplicação de questionário sobre a compreensão dos vídeos exibidos. Os resultados mostraram que o modelo de AD automática baseado em roteiro cinematográfico apresentou resultados mais próximos à AD humana, enquanto o modelo baseado em reconhecimento de objetos contribuiu de forma mínima à compreensão, com resultados inferiores ao cenário sem audiodescrição.

Palavras-chave: Audiodescrição, Acessibilidade, Experiência do usuário.

Referências

ACO Lima, MFQ Vieira, R.S Ferreira, YPC Aguiar, MP Bastos and SLM Lopes Júnior. Evaluating system accessibility using an experimental protocol based on usability. International Conferences on Interfaces and Human Computer Interaction 2018, 2018. p. 85-92.

E. P. C Franco and M. C. C. C SILVA. Audiodescrição: breve passeio histórico. Audiodescrição: transformando imagens em palavras. São Paulo: Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Estado de São Paulo, p.23-42, 2010.

F. J. de Lima. Áudio-descrição: orientações para uma prática sem barreiras atitudinais. Revista Brasileira de Tradução Visual, v. 2, n. 2, 2010.

IBGE. Censo demográfico 2010. IBGE: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística,2010.

J. Lakritz and A. Salway, The Semi-Automatic Generation of Audio Description from Screenplays, Dept. Of Computing Technical Report CS-06-05, 2002, University of Surrey. http://www.bbrel.co.uk/pdfs/CS-06-05.pdf

R. M. Correia. Uma Revisão Sistemática da Literatura sobre Técnicas de Geração Automática e Semi-Automática. João Pessoa: UFPB, 2014.

V. C. D. S. P. Brasil, (2000). Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Diário Oficial da União, https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2000/lei-10098-19-dezembro-2000-377651-publicacaooriginal-1-pl.html

VP Campos. Um sistema de geração automática de roteiros de audiodescrição. 2015. 89 f. Dissertação (Mestrado em Informática) - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2015.

VP Campos, LM Gonçalves and TMU De Araújo. Applying audio description for context understanding of surveillance videos by people with visual impairments. In: 2017 14th IEEE International Conference on Advanced Video and Signal Based Surveillance (AVSS). IEEE, 2017. p. 1-5.

W.S. Pereira et al. Usuários com Síndrome de Down: Como realizar Testes de Usabilidade?. RENOTE, v. 15, n. 2. https://doi.org/10.22456/1679-1916.79274

Y. P. C Aguiar. (2012). Protocolo Experimental para Observação da Interação um Arcabouço para o Estudo do Comportamento Humano. Campina Grande: UFCG.
Publicado
11/10/2019
Como Citar

Selecione um Formato
CORDEIRO, Rafael; ARAÚJO, Tiago; AGUIAR, Yuska. Avaliação da Audiodescrição Gerada por Sistema: Análise sob a Perspectiva do Usuário. In: WORKSHOP DE TESES E DISSERTAÇÕES - MESTRADO - SIMPÓSIO BRASILEIRO DE FATORES HUMANOS EM SISTEMAS COMPUTACIONAIS (IHC), 18. , 2019, Vitória. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2019 . p. 126-129. ISSN 2177-9384. DOI: https://doi.org/10.5753/ihc.2019.8413.