Construindo um jogo para o ensino de biorremediação

Resumo


A biorremediação consiste na utilização de organismos vivos, plantas ou micro-organismos, com vistas a reduzir ou eliminar poluentes presentes no ambiente. Tal temática, assim, pode ser considerada de grande potencial para ensino de conteúdos e competências presentes dentro das Ciências da Natureza, na Educação Básica. Dentre as abordagens utilizadas em ensino com o objetivo de instigar os alunos, destaca-se a aprendizagem baseada em problemas. No presente estudo, essa metodologia foi associada aos jogos educacionais que também são apontados como ferramentas didáticas que trazem o lúdico para sala de aula. O presente trabalho discute a criação e o emprego de um simulador/jogo que emprega situações-problemas ambientais reais, assim como as ferramentas para que o estudante consiga solucioná-las. Sendo assim, o objetivo é oportunizar aos educandos o aprendizado de conceitos importantes sobre biorremediação e áreas correlatas; assim como o desenvolvimento de competências relacionadas a resoluções de situações-problemas pautados no emprego do método científico aplicado. Para isso foi conduzida uma etapa de validação do jogo em uma sequência didática com um grupo de 5 alunos com um protótipo do jogo com vistas a analisar os resultados preliminares relativos a viabilidade de sua utilização como ferramenta de ensino. Os resultados se mostraram satisfatórios, indicando que os participantes conseguiram adquirir competências importantes relativas a biorremediação e conseguiram mobilizar os conhecimentos necessários para sua aplicação prática.

Palavras-chave: Jogos Educacionais, Aprendizagem Baseada em Problemas, Biorremediação

Referências

Andrade, J., Augusto, F., e Jardim, I. (2010). Biorremediação de solos contaminados por petróleo e seus derivados. Eclética Química, 35:17–43.

Araújo, A. K. L., Araújo, D., Alves, S., e Lins, A. F. (2017). Jogos digitais na educação matemática. Encontro de Iniciação a Docência de UEPB. V ENID., 5.

Atagana, H., Haynes, R., e Wallis, F. (2003). Optimization of soil physical and chemical conditions for the bioremediation of creosote-contaminated soil. Biodegradation, 14:297–307.

Carvalhal, M. L. C., Souza, R., e Carvalhal, M. L. C. (2002). Microligue: o jogo dasassociações. In Congresso Instituto Ciências Biomédicas, IV. Comissão de Cultura e Extensão Universitária do ICB/USP.

Carvalho, A. M. P. d. (2018). Fundamentos teóricos e metodológicos do ensino por investigação. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 18(3):765–794.

Fontoura, H. A. d. (2011). Tematização como Proposta de Análise de Dados na Pesquisa Qualitativa. Niterói: Intertexto.

Jacques, R. J. S., Bento, F. M., Antoniolli, Z. I., e de Oliveira Camargo, F. A. (2007). Biorremediação de solos contaminados com hidrocarbonetos aromáticos policíclicos. Ciência Rural, 37(4):1192–1201.

Mallmann, V., Aragão, L. W. R., Fernandes, S. S. L., Fernandes, T. C. L., Aragão, R.F. R., e da Silva, R. C. d. L. (2019). As vantagens da biorremediação na qualidade ambiental. Ensaios e Ciência C Biológicas Agrárias e da Saúde, 23(1):12–15.

Marques, F. P. (2019). Jogo eletrônico para apoio ao ensino de manejo agrícola. Diploma thesis, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ).

Paiva, C. A. e Tori, R. (2017). Jogos digitais no ensino: processos cognitivos, benefícios e desafios. XVI Simpósio Brasileiro de Jogos e Entretenimento Digital, 1–4.

Prieto, L., Carmo, M., Trevisan, B., Danesi, M., e Falkembach, G. (2005). Uso dastecnologias digitais em atividades didáticas nas séries iniciais. RENOTE, 3.

Souza, S. e Dourado, L. (2015). Aprendizagem baseada em problemas (abp): Um método de aprendizagem inovador para o ensino educativo. HOLOS, 5:182.

Spiegel, C. N., Alves, G. G., Cardona, T. S., Melim, L. M., Luz, M. R., Araújo-Jorge,T. C., e Henriques-Pons, A. (2008). Discovering the cell: An educational game about cell and molecular biology. Journal of Biological Education, 43(1):27–36.

Volkov, I., Banavar, J. R., Hubbell, S. P., e Maritan, A. (2003). Neutral theory andrelative species abundance in ecology. Nature, 424(6952):1035–1037.
Publicado
22/11/2021
Como Citar

Selecione um Formato
ROCHA, Anderson; MENDES, Anna; AMORIM, Myrna; MATOS, Guilherme; DOS SANTOS, Joel. Construindo um jogo para o ensino de biorremediação. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO, 32. , 2021, Online. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2021 . p. 270-280. DOI: https://doi.org/10.5753/sbie.2021.217141.