Gamificação personalizada: um estudo de mapeamento sistemático

  • Aline A. Morais Instituto Federal da Paraíba
  • Lafayette B. Melo Instituto Federal da Paraíba

Resumo


Este trabalho tem objetivo investigar os tipos de framework e modelos de gamificação personalizada, as suas adaptações e em quais setores está presente. O mapeamento sistemático foi realizado de dezembro de 2020 a abril de 2021, nos seguintes mecanismos de buscas: ACM, IEEE Xplore, SciELO, SCOPUS e Springer. Foram encontrados 2.604 estudos no período de 2016 a 2021; destes, 20 atenderam aos critérios de inclusão e exclusão definidos no protocolo. No total, foram encontrados 3 frameworks e 3 propostas. Assim, pudemos verificar os frameworks utilizados, os que estão surgindo e as adaptações realizadas, além de ter uma visão dos setores que estão utilizando a gamificação personalizada, especialmente a educação.

Palavras-chave: Gamificação, Personalização, Jogador, Framework, Perfil

Referências

Andrade, T. S. D. (2019). Um mapeamento sistemático sobre o uso da gamificação na Plataforma Moodle.

Altmeyer, M; Gustavo F. Tondello; Antonio Krüger e Lennart E. Nacke. (2020). HexArcade: Predição de tipos de usuários hexadecimais usando aplicativos de jogo. In Proceedings of the Annual Symposium on Computer-Human Interaction in Play (CHI PLAY '20). p. 219–230. DOI: [link], março.

Altmeyer, M., Lessel, P., Jantwal, S. et al. (2021). Potencial e efeitos da personalização de aplicativos de fitness para jogos usando intenções de mudança de comportamento e tipos de usuário hexadecimais. User Model User-Adap Inter. https://doi.org/10.1007/s11257-021-09288-6, março.

Bartle, R. (1996). Hearts, clubs, diamonds, spades: Players who suit muds. Journal of MUD research, 1(1):19.

Coleen M. Amado e Lydia S. Roleda. (2020). Preferências de elementos de jogo e envolvimento de diferentes tipos de jogadores hexadecimais em um curso de física gamificado. Em Proceedings of the 2020 11th International Conference on EEducation, E-Business, E-Management, and E-Learning ( IC4E 2020 ). p. 261–267. DOI: [link], março.

Denden M., Tlili. A, Essalmi. F and Jemni. M. (2018) "Does Personality Affect Students' Perceived Preferences for Game Elements in Gamified Learning Environments?," 2018 IEEE 18th International Conference on Advanced Learning Technologies (ICALT), pp. 111-115, doi: 10.1109/ICALT.2018.00033, março.

Ferro. Lauren S. (2021) The Game Element and Mechanic (GEM) framework: A structural approach for implementing game elements and mechanics into game experiences, Entertainment Computing. Volume 36,100375, ISSN 1875-9521. https://doi.org/10.1016/j.entcom.2020.100375, março.

Gomes, Fernanda Pereira; Brito, Parcilene Fernandes; Fagundes, Fabiano; Acco Tives, Heloise and Canedo, Edna Dias. (2020). Aplicação e Avaliação do Framework para Gamificação de Sistemas Educacionais usando Análise Comportamental. No XVI Simpósio Brasileiro de Sistemas de Informação (SBSI'20). Artigo 47, p. 1–8. DOI: [link], março.

Hamari, J., Koivisto, J., & Sarsa, H. (2014, January). Does gamification work? - a literature review of empirical studies on gamification. In 2014 47th Hawaii international conference on system sciences, p. 3025-3034. Ieee.

Kitchenham, B. (2007). "Guidelines for performing Systematic Literature Reviews in Software Engineering," V 2.3 EBSE Technical Report, EBSE-2007-01.

Knutas, A., van Roy, R., Hynninen, T. et al. (2019). A process for designing algorithmbased personalized gamification. Multimed Tools Appl 78, p. 13593–13612. https://doi.org/10.1007/s11042-018-6913-5, março.

Klock, Ana Carolina Tomé; Gasparini, Isabela e Pimenta, Marcelo Soares. (2016). 5W2H Framework: um guia para projetar, desenvolver e avaliar a gamificação centrada no usuário. Em Anais do 15º Simpósio Brasileiro de Fatores Humanos em Sistemas de Computação (IHC'16). Artigo 14, p. 1–10. DOI: [link], março.

Lamprinou, D. and Paraskeva, F. (2015). Gamification design framework based on sdt for student motivation. p. 406–410.

Lavoué, E., Monterrat, B., Desmarais, M., George, S. (2019). Gamificação adaptativa para ambientes de aprendizagem. IEEE Transactions on Learning Technologies, 12 (1), art. 8334657, pp. 16-28. [link]. doi: 10.1109/TLT.2018.2823710, março.

Marc Busch, Elke Mattheiss, Rita Orji, Peter Fröhlich, Michael Lankes e Manfred Tscheligi. (2016). Modelos de tipo de jogador: em direção à validação empírica. Em Proceedings of the 2016 CHI Conference Extended Abstracts on Human Factors in Computing Systems (CHI EA '16 ). Association for Computing Machinery, Nova York, NY, EUA, 1835–1841. DOI: [link], março.

Marczewski, A. Even Ninja Monkeys Like to Play: Gamification, Game Thinking and Motivational Design. (2015). CreateSpace Independent Publishing Platform.

Mora, A., Riera, D., González, C., & Arnedo-Moreno, J. (2017). Gamification: a systematic review of design frameworks. Journal of Computing in Higher Education, 29(3), p. 516-548.

Nacke, L. E., Bateman, C., and Mandryk, R. L. (2014). Brainhex: A neurobiological gamer typology survey. Entertainment computing, 5(1):55–62.

Oliveira, A. F. D. (2018). Gamificação no cotidiano escolar: Um mapeamento sistemático de literatura com ênfase em tecnologia e educação.

Oliveira, Luma Wanderley de; Vieira Marcos Alves e Sérgio Teixeira de Carvalho. (2020). Um experimento de gamificação do teste de tipologia de marczewski. In Proceedings of 10th Euro-American Conference on Telematics and Information Systems (EATIS '20). Art. 40, p. 1-5. DOI: [link], março

Ooge, J., De Croon, R., Verbert, K., Vanden Abeele, V. (2020). Adaptando Gamificação para Adolescentes: um Estudo de Validação de Big Five e Hexad em holandês. In Proceedings of the Annual Symposium on Computer-Human Interaction in Play (CHI PLAY '20). Association for Computing Machinery, Nova York, NY, EUA, p. 206–218. DOI: [link], março.

Orji Rita; Tondello F. Gustavo e Nacke E. Lennart. (2018). Personalização de estratégias persuasivas em sistemas de jogo para tipos de usuário de gamificação. Proceedings of the 2018 CHI Conference on Human Factors in Computing Systems. Art. 435, p. 1-14. DOI: [link], março.

Petersen, S. Vakkalanka, and L. Kuzniarz. (2015). Guidelines for conducting systematic mapping studies in software engineering: An update. Information and Software Technology, 64: p. 1–18.

Poffo, Marcio; Agostini Volani, Elisângela. (2018). Gamificação para motivar o aprendizado. CIET: EnPED, São Carlos, maio. ISSN 2316-8722. Disponível em: https://cietenped.ufscar.br/submissao/index.php/2018/article/view/268. Acesso em: 02 jul. 2021.

Scheja Stephanie; Schmidt Ralf e Masuch Maic. (2016). Play-persona: um conceito multifacetado. Em Anais da 20ª Conferência Internacional Academic Mindtrek (Academic Mindtrek '16). p. 375–384. DOI: [link], março.

Seaborn, K., & Fels, D. I. (2015). Gamification in theory and action: A survey. International Journal of human-computer studies, 74, p. 14-31.

Souza, M., Constantino, K., Veado, L., and Figueiredo, E. (2017). Gamification in software engineering education: An empirical study.

Stuart Hallifax, Audrey Serna, Jean-Charles Marty, Guillaume Lavoué e Elise Lavoué. (2019). Fatores a serem considerados para gamificação sob medida. In Proceedings of the Annual Symposium on Computer-Human Interaction in Play (CHI PLAY '19). Association for Computing Machinery, Nova York, NY, EUA, 559–572. DOI: [link], março.

Toda, A. M., Valle, P. H. D. D. and Isotani, S. (2017). The Dark Side of Gamification: An Overview of Negative Effects of Gamification in Education. In Communications in Computer andInformation Science. Springer, p.143-156.

Toda, A. M., Do Carmo, R. M. C., Da Silva, A. P., Bittencourt, I. I. and Isotani, S. (2018). An approach for planning and deploying gamification concepts with social networks within educational contexts. International Journal of Information Management.

Tondello, Gustavo F; Wehbe, Rina R; Diamond, Lisa; Busch, Marc; Marczewski, Andrzej e Nacke, Lennart E. (2016). A escala hexadecimal de tipos de usuário de gamificação. Nos anais do Simpósio Anual de 2016 sobre Interação HumanoComputador no Jogo (CHI PLAY '16). p. 229–243. DOI: https://doi-org.ez291.periodicos.capes.gov.br/10.1145/2967934.2968082

Tondello F. Gustavo; Mora Alberto e Nacke E. Lennart. (2017). Elementos do Gameful Design surgindo das preferências do usuário. Proceedings of the Annual Symposium on Computer-Human Interaction in Play. p. 129–142. DOI: [link].

Tondello, G. F., Mora, A., Marczewski, A., and Nacke, L. E. (2019). Empirical validation of the gamification user types hexad scale in english and spanish. International Journal of Human-Computer Studies, 127:95–111.

Van Houdt, L., Millecamp, M., Verbert, K., & Vanden Abeele, V. (2020). Disambiguating preferences for gamification strategies to motivate proenvironmental behaviour. Paper presented at the CHI PLAY 2020 - Proceedings of the Annual Symposium on Computer-Human Interaction in Play, 241-253. doi:10.1145/3410404.3414244, março.

Wen Bo Yu; James Robb e Pejman Mirza-Babaei. (2020). Profiling Livestream Spectators. Em Extended Abstracts do 2020 Annual Symposium on ComputerHuman Interaction in Play (CHI PLAY '20). p. 403–407. DOI: [link], março.

YEE, N. Motivations for play in online games. (2006). [S.l.]: Cyberpsychology and Behavior.
Publicado
22/11/2021
Como Citar

Selecione um Formato
MORAIS, Aline A.; MELO, Lafayette B.. Gamificação personalizada: um estudo de mapeamento sistemático. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO, 32. , 2021, Online. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2021 . p. 392-405. DOI: https://doi.org/10.5753/sbie.2021.218399.