Possibilidades do Pensamento Computacional: um novo olhar teórico

Resumo


O surgimento de novas temáticas, quando relacionadas à Computação, pode provocar mudanças nas mais diversas áreas. Na Educação, um conceito recente, o Pensamento Computacional (PC), tem movimentado o cenário. Diversas pesquisas têm investigado a temática, sua definição e estrutura, formas de realizar seu desenvolvimento e avaliação. No entanto, não há consenso sobre a melhor forma de promover seu desenvolvimento. Visando colaborar com a área, propomos uma pesquisa que investiga o desenvolvimento do PC sob uma nova perspectiva teórica, alicerçado sobre os pressupostos da Teoria Histórico-Cultural e da Teoria do Ensino Desenvolvimental, com base conceitual nos fundamentos da Ciência da Computação.

Palavras-chave: Teoria Histórico-Cultural, Pensamento Teórico, Pensamento Computacional

Referências

ACM & IEEE (2013). Computer Science Curricula 2013: Curriculum Guidelines for Undergraduate Degree Programs in Computer Science. Final Report. New York, NY, USA. Disponível em: dx.doi.org/10.1145/2534860. Acesso em: 19 de jun. 2021.

Araujo, N., Primo, T., & Pernas, A. (2020). OntoScratch: ontologias para a avaliação do ensino de Pensamento Computacional através do Scratch. In Anais do XXXI Simpósio Brasileiro de Informática na Educação, (pp. 1823-1832). Porto Alegre: SBC.

Brookshear, J. G. (2013). Ciência da Computação: Uma Visão Abrangente. Bookman Editora.

CSTA & ISTE (2011). Operational definition of computational thinking. Disponível em: https://www.iste.org/explore/computational-thinking/computational-thinking-all. Acesso em: 19 jun. 2021.

Cuny, J., Snyder, L., & Wing, J. M. (2010). Demystifying computational thinking for non-computer scientists. Unpublished manuscript, referenced in http://www.cs.cmu.edu/~CompThink/resources/TheLinkWing.pdf.

Davydov, V. V. (1988). Problems of Developmental Teaching. The Experience of Theoretical and Experimental Psychological Research. Excerpts (Part III). Soviet education, 30(10).

Denning, P. J. (2017). Remaining trouble spots with computational thinking. Communications of the ACM, 60(6), 33-39.

Díaz-Lauzurica, B., & Moreno-Salinas, D. (2019). Computational thinking and robotics: A teaching experience in compulsory secondary education with students with high degree of apathy and demotivation. Sustainability, 11(18), 5109.

Fantinati, R. E., & dos Santos Rosa, S. (2021). Pensamento Computacional: Habilidades, Estratégias e Desafios na Educação Básica. Informática na educação: teoria & prática, 24(1 Jan/Abr).

Grover, S., & Pea, R. (2013). Computational thinking in K–12: A review of the state of the field. Educational researcher, 42(1), 38-43.

Hsu, T. C., Chang, S. C., & Hung, Y. T. (2018). How to learn and how to teach computational thinking: Suggestions based on a review of the literature. Computers & Education, 126, 296-310.

Kaminski, M., Klüber, T., & Boscarioli, C. (2021). Pensamento Computacional na Educação Básica: Reflexões a partir do Histórico da Informática na Educação Brasileira. Revista Brasileira de Informática na Educação, 29, 604.

Libâneo, J. C. (2004). A aprendizagem escolar e a formação de professores na perspectiva da psicologia histórico-cultural e da teoria da atividade. Educar em Revista, (24), 113-147.

MEC (2016). Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Graduação em Computação. Resolução CNE/CES nº 5, de 16 de novembro de 2016. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/novembro-2016-pdf/52101-rces005-16-pdf/file. Acesso em: 19 de jun. 2021.

Papert, S. A. (1980). Mindstorms: Children, computers, and powerful ideas. Basic books.

Palts, T., & Pedaste, M. (2020). A Model for Developing Computational Thinking Skills. Informatics in Education, 19(1), 113-128. doi:10.15388/infedu.2020.06

Raabe, A. L. A., Brackmann, C. P., & Campos, F. R. (2018). Currículo de referência em tecnologia e computação: da educação infantil ao ensino fundamental. Centro de Inovação para a Educação Básica-CIEB.

Royal Society. (2012). Shut down or restart: The way forward for computing in UK schools. Disponível em: [link]. Acesso em: 19 jun. 2021.

SBC (2005). Currículo de Referência da SBC para cursos de Graduação em Bacharelado em Ciência da Computação e Engenharia da Computação. https://www.sbc.org.br/documentos-da-sbc/category/131-curriculos-de-referencia. Acesso em: 19 de jun. 2021.

SBC (2018). Diretrizes para ensino de Computação na Educação Básica. Disponível em: https://www.sbc.org.br/documentos-da-sbc/category/127-educacao. Acesso em: 19 de jun. 2021.

Selby C. e Woollard, J. (2013). Computational thinking: the developing definition. Disponível em: https://eprints.soton.ac.uk/356481/1/Selby_Woollard_bg_soton_ eprints.pdf. Acesso em: 19 jun. 2021.

Sforni, M. S. D. F. (2015). Interação entre didática e teoria histórico-cultural. Educação & Realidade, 40(2), 375-397.

Sforni, M. S. D. F. (2019). Pesquisas sobre modos de organização do ensino: necessidades, metodologia e resultados. In: Sforni, M. S. de F.; Serconek, G. C.; Belieri, C. M. (org.) Aprendizagem conceitual e organização do ensino: experimen-tos didáticos na educação básica. 1. ed. Curitiba: Editora CRV, v. 1. p. 10-32.

Shute, V. J., Sun, C., & Asbell-Clarke, J. (2017). Demystifying computational thinking. Educational Research Review, 22, 142-158.

Sousa, L., Farias, E., & Carvalho, W. (2020). Programação em Blocos Aplicada no Ensino do Pensamento Computacional: Um Mapeamento Sistemático. In Anais do XXXI Simpósio Brasileiro de Informática na Educação, (pp. 1513-1522). Porto Alegre: SBC.

Tikva, C., & Tambouris, E. (2021). Mapping computational thinking through programming in K-12 education: A conceptual model based on a systematic literature Review. Computers & Education, 162, 104083.

Valente, J. A., Freire, F. M. P., Arantes, F. L., Amiel, T., & Baranauskas, M. C. C. (2017). Alan Turing tinha Pensamento Computacional? Reflexões sobre um campo em construção. Tecnologias, Sociedade e Conhecimento, 4(1), 7-22.

Vygotsky, L. S. (2008). O desenvolvimento dos conceitos científicos na infância. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 103-148.

Wing, J. M. (2006). Computational thinking. Communications of the ACM, 49(3) 33-35.

Wing, J. M. (2008). Computational thinking and thinking about computing. Philosophical Transactions of the Royal Society A: Mathematical, Physical and Engineering Sciences, 366(1881), 3717-3725.

Wing, J. M. (2014). Computational thinking benefits society. 40th Anniversary Blog of Social Issues in Computing, 2014, 26.

Zankov, L. V. (1984). La enseñanza y el desarrollo. Traducción del ruso por Vicente Pertegaz. Moscú: Editorial Progreso, 1975. (Traducción al español, 1984).

Zhang, L., & Nouri, J. (2019). A systematic review of learning computational thinking through Scratch in K-9. Computers & Education, 141, 103607.

Zorzo, A. F., Nunes, D., Matos, E., Steinmacher, I., de Araujo, R. M., Correia, R., & Martins, S. (2017). Referenciais de Formação para os Cursos de Graduação em Computação. Sociedade Brasileira de Computação (SBC). 153p, 2017.
Publicado
22/11/2021
Como Citar

Selecione um Formato
BELETI JUNIOR, Carlos Roberto; SFORNI, Marta Sueli de Faria. Possibilidades do Pensamento Computacional: um novo olhar teórico. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO, 32. , 2021, Online. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2021 . p. 943-952. DOI: https://doi.org/10.5753/sbie.2021.217364.