Sistemas Emergentes no Ecossistema Digital Brasileiro de Saúde Pública: Uma Abordagem Sociotécnica

  • Sandro Luís Freire de Castro Silva UNIRIO
  • Marcelo Fornazin UNIRIO + UFF
  • Rodrigo Pereira dos Santos UNIRIO

Resumo


O Sistema Único de Saúde convive com a precariedade mesmo sendo prioridade nas discussões das agendas políticas. As soluções para problemas relacionados na maioria dos casos sugerem a implantação de Sistemas de Informação em Saúde. A questão é que a implantação, ou qualquer outra atividade, não deve estar limitada ao olhar estritamente técnico. O objetivo desse trabalho de doutorado é descrever a complexidade emergente das relações em ecossistemas digitais, usando como cenário o Ecossistema Digital de Saúde Pública Brasileiro, a fim de contribuir com um olhar sociotécnico sobre o tema.

Palavras-chave: Sistemas Emergentes, Sistemas de Informação em Saúde

Referências

Araujo, R. M., Maciel, R. S. e Boscarioli, C. (2017). I GranDSI-BR – Grandes Desafios de Pesquisa em Sistemas de Informação no Brasil 2016 a 2026 - Relatório Técnico.

Bardin, L. (2015). Análise de conteúdo (Edição revista e actualizada). Lisboa: Edições 70.

Braa, J., Sahay, S., Lewis, J. e Senyoni, W. (2017). Health information systems in Indonesia: Understanding and addressing complexity. In IFIP Advances in Information and Communication Technology.

Braa, Monteiro e Sahay (2017). Networks of Action: Sustainable Health Information Systems across Developing Countries. MIS Quarterly.

Bruno Silveira, C., Suelen Pontes Costa, L. e Bessa Jorge, M. S. (2018). Redes de atenção à saúde como produtoras de cuidado em saúde mental: uma análise reflexiva. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, n. 19, p. 61–70.

Finkelstein, J. e Wood, J. (2011). Implementing home telemanagement of congestive heart failure using Xbox gaming platform. Proceedings of the Annual International Conference of the IEEE Engineering in Medicine and Biology Society, EMBS, p. 3158–3163.

Fornazin, M. e Joia, L. A. (2015). Remontando a Rede De Atores Na Implantação De Um Sistema De Informação Em Saúde. Revista de Administração de Empresas, v. 55, n. 5, p. 527–538.

Ganasegeran, K., Renganathan, P., Rashid, A. e Al-Dubai, S. A. R. (2017). The m-Health revolution: Exploring perceived benefits of WhatsApp use in clinical practice. International Journal of Medical Informatics.

Giordano, V., Koch, H., Godoy-Santos, A., et al. (2017). WhatsApp Messenger as an Adjunctive Tool for Telemedicine: An Overview. Interactive Journal of Medical Research, v. 6, n. 2, p. e11.

Hadzic, M. e Chang, E. (2010). Application of digital ecosystem design methodology within the health domain. IEEE Transactions on Systems, Man, and Cybernetics Part A:Systems and Humans, v. 40, n. 4, p. 779–788.

Johnson, S. (2001). Emergence: The Connected Lives of Ants, Brains, Cities, and Software. IEEE Spectrum

Júnior, B. H. P., Maciel, M. E. de S. S., Bonfim, W. S., et al. (2018). Desenvolvimento de um software para suporte à avaliação fisioterápica baseado na Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde.
Latour, B. (1987). Science in Action.

Manya, A., Braa, J. e Sahay, S. (2015). A Socio-Technical Approach to Understanding Data Quality in Health Information Systems: Data Quality Intervention in Kenya. IST-Africa 2015 Conference Proceedings.

Manya, A., Sahay, S., Braa, J. e Shisia, B. (2018). Understanding the Effects of Decentralization on Health Information Systems in Developing Countries: A Case of Devolution in Kenya. In IST-Africa 2018 Conference Proceedings Paul Cunningham and Miriam Cunningham (Eds) IIMC International Information Management Corporation, 2018.

Marinho, A. e Cardoso, S. de S. (2007). Um estudo multinível sobre as filas para internações relacionadas com a gravidez, o parto e o puerpério no SUS. Economia Aplicada, v. 11, n. 4, p. 527–554.

Mendes, E. V. (2018). Entrevista: A abordagem das condições crônicas pelo Sistema Único de Saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v. 23, n. 2, p. 431–436.

Nikolic, A., Wickramasinghe, N., Claydon-Platt, D., Balakrishnan, V. e Smart, P. (2018). The use of communication apps by medical staff in the australian health care system: Survey study on prevalence and use. Journal of Medical Internet Research.

Paré, G. (2018). Investigating Information Systems with Positivist Case Research. Communications of the Association for Information Systems, v. 13, n. February.

Pimmer, C., Mhango, S., Mzumara, A. e Mbvundula, F. (2017). Mobile instant messaging for rural community health workers: A case from Malawi. Global Health Action,
Richardson, R. J. (2014). Pesquisa social: métodos e técnicas.

Saldiva, P. H. N. e Veras, M. (2018). Gastos públicos com saúde: breve histórico, situação atual e perspectivas futuras. Estudos Avançados, v. 32, n. 92, p. 47–61.

Sengupta, S. e Sahay, A. (2018). Social enterprises in the Indian context: conceptualizing through qualitative lens. Journal of Global Entrepreneurship Research.

Silva, S. L. F. C., Antonio, N. P., Fornazin, M. e Santos, R. P. Dos (2019). Looking for Emergent Systems in Computer-Based Medical Systems: A Review from the Last Decade. In: CBMS International Symposium on Computer-Based Medical Systems. In Proceedings of the 32th IEEE CBMS.

Silva, S. L. F. C., Fornazin, M., Araujo, R. M. e Dos Santos, R. P. (2018). O Ecossistema Digital de Diagnósticos Oncológicos Brasileiro: Uma Análise do Uso de Sistemas de Informação em Pareceres Médicos. In XI Simpósio Nacional da ABciber.

Silva, R. K. e, Moraes, E. M., Mota, N. V. y V. P. Da e Mourad, R. G. (2018). Simulação e teoria das filas aplicadas na análise dos encaminhamentos de pacientes SUS para a especialidade médica de angiologia. Revista de Administração em Saúde, v. 18, n. 72.

Walsham, G. (2006). Doing interpretive research. European Journal of Information Systems, v. 15, n. 3, p. 320–330.
Publicado
20/05/2019
Como Citar

Selecione um Formato
LUÍS FREIRE DE CASTRO SILVA, Sandro; FORNAZIN, Marcelo; PEREIRA DOS SANTOS, Rodrigo. Sistemas Emergentes no Ecossistema Digital Brasileiro de Saúde Pública: Uma Abordagem Sociotécnica. In: WORKSHOP DE TESES E DISSERTAÇÕES EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (SBSI), 15. , 2019, Aracaju. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2019 . p. 63-68. DOI: https://doi.org/10.5753/sbsi.2019.7442.