Maternidade e Formação Docente: Fatores Interferentes na Permanência de Discentes Mães na Educação Superior

  • Claudia Conceição de Souza Santos SME-Cuiabá
  • Ana Luisa Alves Cordeiro UFMT

Resumo


A mulher do século XXI busca inserir-se no mercado de trabalho por meio de uma formação profissional, é em meio as interfaces de seu gênero que se encontram as maiores dificuldades para conclusão desta formação, por esta razão, este artigo tem por objetivo identificar as estratégias de permanência de discentes mães, na formação docente do curso de licenciatura em Pedagogia, frente as interfaces femininas sob o olhar da maternidade durante o percurso acadêmico. O aporte teórico utiliza de referenciais dos Estudos de Gênero em interface com a Educação, analisando especialmente o conceito de gênero e maternagem, bem como a feminização da Pedagogia. Metodologicamente este artigo se caracteriza como uma pesquisa qualitativa, exploratória, bibliográfica. As estratégias de permanência podem incluir a participação paterna, vagas em creche, e a rede de apoio que pode ser de um parente, um responsável ou até da própria turma de curso.

Palavras-chave: Maternagem, Gênero, Permanência, Formação docente, Pedagogia

Referências

ARANHA, M.L. de Arruda. Filosofia da Educação. São Paulo: Moderna, 2006.

ARRUDA, Raisa Pinheiro. Equilibristas: mães, mulheres e docentes universitárias. Fortaleza: Programa de Mestrado em Saúde Coletiva, 2018.

AUAD, Daniela. Educar meninas e meninos: relações de gênero na escola. 2 ed. São Paulo: Contexto, 2012.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil (1988). Brasília: Senado, 1988. Disponível em: [link]. Acesso em: 18 fev. 2021.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010. Características da população e dos domicílios. Resultado do Universo. Rio de Janeiro: IBGE, 2011. Disponível em: [link]. Acesso em: 28 fev. 2020.

IBGE. Estatística de Gênero. 2014. Disponível em: [link]. Acesso em: 31 jan. 2020.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes, 1997.

MENDES. Maíra Tavares. Mães na universidade: trabalho reprodutivo e estratégias de permanência. Revista Femininos, vol.8, n.3,.149-163. Dez. 2020.

SILVA, Marxuel dos Reis. Mulher no mercado de trabalho: a busca pela quebra de paradigmas impostos pela sociedade. XIV EVIDOSOL e XI CILTEC-Online. UEMG/Unidade Carangola. Junho/2017.

STELLIN, Regina M. R.; MONTEIRO, Camila F. d’Almeida; ALBUQUERQUE, Renata A.; MARQUES, Claúdia M. X. C. Processos de Construção de Maternagem. Feminilidade e Maternagem: recursos psíquicos para o exercício da maternagem em suas singularidades. Estilos das clínicas [online], v. 16, n. 1, 2011, p. 170-185
Publicado
08/11/2021
Como Citar

Selecione um Formato
SANTOS, Claudia Conceição de Souza; CORDEIRO, Ana Luisa Alves. Maternidade e Formação Docente: Fatores Interferentes na Permanência de Discentes Mães na Educação Superior. In: ANAIS PRINCIPAIS DO SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO (SEMIEDU), 29. , 2021, Cuiabá. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2021 . p. 1775-1788. ISSN 2447-8776.