Visual TaHs: software para auxiliar o ensino de tabelas Hash na disciplina de Estrutura de Dados

  • Fábio Carlos Moreno UENP
  • Cinthyan Renata Sachs C. de Barbosa UEL
  • Edio Roberto Manfio Faculdade de Tecnologia de Garça Deputado Júlio Julinho Marcondes de Moura

Resumo


A disciplina de Estrutura de Dados é de suma importância para os cursos na área de Ciência da Computação e possui altos índices de reprovação e baixos desempenhos alcançados. Dessa forma, o objetivo deste trabalho é apresentar o software “Visual TaHs” que poderá contribuir para o ensino de Estrutura de Dados, com base na abordagem da contextualização da tabela Hash. Foi feito um experimento com quatorze funções hash implementadas no software, sendo realizada uma sobrecarga de elementos no léxico. Este experimento possibilitou, através dos relatórios e gráficos, analisar e identificar as melhores funções de espalhamento. Todas as análises realizadas poderão ser avaliadas pelos discentes, contextualizando o conceito trabalhado em sala de aula.

Referências

Aho, A. V., Sethi, R. e Ullman, J. D. (1995). Compiladores, princípios, técnicas e ferramentas, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

Barbosa, W. A. e Parreira Júnior, P. A. P. (2013). Um Mapeamento Sistemático sobre Ferramentas de Apoio ao Ensino de Algoritmo e Estruturas de Dados. In: II Congresso Brasileiro de Informática na Educação e XXIV Simpósio Brasileiro de Informática na Educação. Campinas - SP. p. 406-415.

Barros, L. A. e Isquerdo, A. N. (2010). O léxico em foco. São Paulo: Cultura Acadêmica.

Bob Jenkins (2013). Bob Jenkins hash function web page. Paper published in Dr Dobb’s journal. http://burtleburtle.net/bob/hash/doobs.html

Botelho, F. C. (2004). Estudo Comparativo do Uso de Hashing Perfeito Mínimo. Dissertação de Mestrado. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais.

Boticki, I., Barisic, A., Martin, S. and Drljevic, N. (2012). Sortko: Learning Sorting Algorithms with Mobile Devices. In: IEEE International Conference on Wireless, Mobile, and Ubiquitous Technology in Education, p. 49-56.

Cercone, N. (1988). Finding and applying perfect hash functions. In: Applied Mathematics Letters, v.1, n.1, p. 25-28.

Cormen, T. H., Leiserson, C. E., Rivest, R. L. e Stein, C. (2002). Algoritmos – Teoria e Prática. Rio de Janeiro: Campus.

Costa, F. P. B., Correa, S. C. S. e Freitas, R. C. (2014). Recursos Educacionais Abertos sobre IPv6: um processo de construção e de avaliação de qualidade. In: XXXIV Congresso da Sociedade Brasileira de Computação e XXII Workshop sobre Educação em Computação. Brasília – DF, p. 1336-1345.

Greghi, J. G. (2002). Projeto e desenvolvimento de uma base de dados lexicais do português. Dissertação de Mestrado. ICMC da Universidade de São Paulo.

Jenkins, B. (1997). Algorithm Alley - What makes one hash function better than another? Bob knows the answer, and he has used his knowledge to design a new hash function that may be better than what you're using now. Dr Dobb's Journal-Software Tools for the Professional Programmer, v. 22, n. 9, p. 107-110.

Kothe, H. W. (2009). Léxico das Ervas. 1.a Edição, Lisboa: Dinalivro.

Lisboa, A. R. B. S. and Barbosa, C. R. S. C. de. (2013). Lexicon of Orchids. Procedia Social and Behavioral Sciences. In: 5 th International Conference on Corpus Linguistics, v.95, p. 81-88.

Machado, A., Longhi, M., Nunes, M. A. S. N. e Pardo, T. (2015). Personalitatem Lexicon: Um Léxico em Português Brasileiro para Mineração de Traços de Personalidade em Textos. In IV Congresso Brasileiro de Informática na Educação e XXVI Simpósio Brasileiro de Informática na Educação, Maceió - AL, p. 1122-1126.

Moreno, F. C, Manfio, E. R, Barbosa, C. R. S. C. de. e Brancher, J. D. (2015). Tical: Chatbot sobre o Atlas Linguístico do Brasil no WhatsApp, In IV Congresso Brasileiro de Informática na Educação e XXVI Simpósio Brasileiro de Informática na Educação, Maceió - AL, v. 26, n.1, p. 279-288.

Rigo, S. J., Alves, I. M., Gazola, O., Belau, F., Barbosa, J. L. e Costa, C. (2013). Abordagem linguística para identificação da dimensão afetiva expressa em textos de Ambientes Virtuais de Aprendizagem–um Léxico da Emoção. In: II Congresso Brasileiro de Informática na Educação e XXIV Simpósio Brasileiro de Informática na Educação. Campinas–SP, p.738-747.

Santos, R. P. e Costa, H. A. X. (2005). TBC-AED e TBC-AED/WEB: Um Desafio no Ensino de Algoritmos, Estruturas de Dados e Programação. In IV Workshop em Educação em Computação e Informática do Estado de Minas Gerais.

Silberschatz, A., Korth H. F. and Sudarshan S. (2011). Database system concepts. Vol. 6. New York: McGraw-Hill.

Silva, G. C., Ré, R., Kawamoto, A. e Schwerz, A. (2011). Uma Experiência na Aplicação de Práticas de Apoio no Ensino- Aprendizado de Algoritmos. In XVIIWorkshop sobre Informática na Escola e XXII Simpósio Brasileiro de Informática na Educação. Aracajú - SE, p. 1378-1381.

Soares, T. C. A. P., Cordeiro, E. S., Stefani, I. G. A. e Tirelo, F. (2004). Uma Proposta Metodológica para o Aprendizado de Algoritmos em Grafos Via Animação Não- Intrusiva de Algoritmos. In: III Workshop de Educação em Computação e Informática do Estado de Minas Gerais, p. 1-14.

Souza, C. C., Medeiros, T., Gadelha, R., Sousa, T. D. N., Silva, E. L. e Azevedo, R. R. (2011). Um Ambiente Integrado de Simulação para Auxiliar o Processo de Ensino/Aprendizagem da Disciplina de Sistemas Operacionais”. In: XVII Workshop sobre Informática na Escola e XXII Simpósio Brasileiro de Informática na Educação. Aracaju – SE, p. 406-414.

Specia, L. e Rino, L. H. M. (2002). O desenvolvimento de um léxico para a geração de estruturas conceituais UNL. Série de Relatórios Técnicos do NILC, NILC-TR-02-14. São Carlos, Setembro, 25p.

UFPE-PROPLAN (2018) Disciplinas que mais reprovam na UFPE: 2014. https://www.ufpe.br/documents/38954/1317627/Relat%C3%B3rio+Disciplinas+que +mais+reprovam+2014+a+2017.pdf/f1ba5ea6-dbdb-4edd-b5e7-9b993f0ee838.

Wiedenbeck, S., LaBelle, D. and Kain, V. N. (2004). Factors affecting course outcomes in introductory programming. In: 16th Annual Workshop of the Psychology of Programming Interest Group, p. 97-110.

Wittman, L. H. e Ribeiro, R. D. (1998). Recursos lingüísticos e processamento morfológico do Português: o PALAVROSO e o projeto LE-PAROLE. In: III Encontro para Processamento Computacional da Língua Escrita e Falada, PUCRS, Porto Alegre - RS, p. 109-117.

Ziviani, N. (2004). Projeto de Algoritmos com implementações em Pascal e C. 2 a Edição. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Zobrist, A. L. (1970). A new hashing method with application for game playing. ICCA journal, v.13, n.2, p. 69-73.
Publicado
09/07/2019
Como Citar

Selecione um Formato
MORENO, Fábio Carlos; DE BARBOSA, Cinthyan Renata Sachs C.; MANFIO, Edio Roberto. Visual TaHs: software para auxiliar o ensino de tabelas Hash na disciplina de Estrutura de Dados. In: SEMINÁRIO INTEGRADO DE SOFTWARE E HARDWARE (SEMISH), 46. , 2019, Belém. Anais do XLVI Seminário Integrado de Software e Hardware. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, july 2019 . p. 33-44. ISSN 2595-6205. DOI: https://doi.org/10.5753/semish.2019.6565.