Estudo sobre o empoderamento feminino através de comunidades de tecnologia

  • Sandyara B. D. Peres IFSP
  • Eduardo H. Gomes IFSP

Resumo

As mulheres estão inseridas na história das linguagens de programação desde antes do surgimento do primeiro computador. Porém, esse contexto histórico não impediu o número de mulheres inseridas na área de tecnologia de diminuir. Os problemas dessa diminuição podem estar ligados ao estereótipo de gênero e a ausência de incentivo desde a infância. Este trabalho tem por objetivo apresentar os resultados de um levantamento e possíveis indicadores de empoderamento feminino extraídos de comunidades tecnológicas de linguagens de programação. Assim, espera-se com este trabalho um maior incentivo a adesão de mulheres à área de tecnologia.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). Censo da Educação Superior 2016: Resumo Técnico. Brasília: MEC, 2018.

MARINHO, P. A. S.; GONÇALVES, H. B. Práticas de empoderamento feminino na América Latina. Colômbia: Revista de Estudios Sociales, 2016.

SANTOS, C. M. Por que as mulheres “desapareceram” dos cursos de computação? Disponível em: [https://jornal.usp.br/universidade/por-que-as-mulheres-desapareceramdos-cursos-de-computacao/]. São Paulo, Universidade de São Paulo, 2018. Acesso em 18 abr 2020.

SARDENBERG, C. M. Conceituando “Empoderamento” na Perspectiva Feminista. Salvador: Universidade Federal da Bahia, 2006.

SCHWARTZ, J., et al. Mulheres na informática: quais foram as pioneiras? Campinas: Universidade Estadual de Campinas, Núcleo de Estudos de Gênero – Pagu, 2006.

POSSER, C.; TEIXEIRA, A. C. Mulheres que aprendem informática: Um estudo de gênero na área de TI. Uberlândia: V Congresso Brasileiro de Informática na Educação, 2016.
Publicado
2020-06-30
Como Citar
PERES, Sandyara B. D.; GOMES, Eduardo H.. Estudo sobre o empoderamento feminino através de comunidades de tecnologia. Anais do Women in Information Technology (WIT), [S.l.], p. 219-223, jun. 2020. ISSN 2763-8626. Disponível em: <https://sol.sbc.org.br/index.php/wit/article/view/11298>. Acesso em: 18 maio 2024. doi: https://doi.org/10.5753/wit.2020.11298.