Agindo sobre a diferença: atividades de empoderamento feminino em prol da permanência de mulheres em cursos de Tecnologia da Informação

  • Natália Louzada IF GOIANO
  • Thalia Santana IF GOIANO
  • Ianka Assis IF GOIANO
  • Ramayane Braga IF GOIANO
  • Adriano Braga IF GOIANO

Resumo


Em seu surgimento, a computação envolveu expressiva participação feminina, dada a inserção social e profissional de mulheres em atividades ligadas à educação matemática e ao secretariado. Entretanto, à medida em que os campos de informática e tecnologia adquiriram maior valorização, a presença feminina nestas áreas diminuiu progressivamente. Esta desproporcionalidade vem sendo atribuída a estigmas de gênero e ao apagamento da contribuição de mulheres à computação, desestimulando e desmerecendo sua atuação nos referidos ramos. Nesse sentido, nos propomos a apresentar iniciativas de empoderamento e capacitação no âmbito de um projeto de extensão junto a cursos de informática, de nível médio técnico e superior, com o objetivo de combater a evasão escolar feminina.

Palavras-chave: empoderamento feminino, evasão escolar, mulheres na tecnologia, permanência e êxito, gênero

Referências

Almeida, R.; Zanlorenssi, G. (2018). Qual o gênero e a idade de mestres e doutores no Brasil,https://www.nexojornal.com.br/grafico/2018/05/23/Qual-o-g%C3%AAnero-e-a-idade-de- mestres-e-doutores-no-Brasil , Março.

Bourdieu, P. (1988). A gênese dos conceitos de habitus e de campo. O poder simbólico , 5, 59-73.

Bourdieu, P. (2002). A dominação masculina. Bertrand Brasil, 2ª edição.

Finding Ada (2019). Ada Lovelace Day - Celebrating women in STEM. https://findingada.com/ , Março.

Foucault, M. (1995). O sujeito e o poder. In: RABINOV, Paul; DREYFUS, Hubert. Michel Foucault, uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro, Forense Universitária.

Foucault, M. (2004). Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Edições Graal , 20ª edição. Foucault, M. (2009). A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola , 18ª edição.

IPEA (2018). Atlas da Violência, http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/relatorio_institucional/180604_atlas_da_violencia_2018.pdf , Março.

Lagarde, M. (2006). Pacto entre mujeres: sororidad. Aportes (25): 123-135.

Leta, J. (2003). As mulheres na ciência brasileira: crescimento, contrastes e um perfil de sucesso. Estudos avançados , 17(49), 271-284.

Lins, B. A., Machado, B. F., & Escoura, M. (2016). Diferentes, não desiguais: a questão de gênero na escola. Editora Reviravolta.

OECD (2015). The ABC of Gender Equality in Education: Aptitude, Behaviour, Confidence. Pisa OECD Publishing, http://dx.doi.org/10.1787/9789264229945-en , Março.

ONU (1995). Declaração e Plataforma de Ação da IV Conferência Mundial Sobre a Mulher, http://onumulheres.org.br/wp-content/uploads/2014/02/declaracao_pequim.pdf , Março.

Pisa em Foco (2015). O que está por trás da desigualdade de gênero na educação?, http://www.oecd.org/pisa/pisaproducts/pisainfocus/PIF-49%20(por).pdf , Março. (10), 169-200.

Rapkiewicz, C. E. (1998). Informática: domínio masculino?. Cadernos Pagu ,

Santos, C. M. (2018). Por que as mulheres ‘desapareceram’ dos cursos de computação?, https://jornal.usp.br/universidade/por-que-as-mulheres-desapareceram-dos-cursos-de-com putacao/ , Março.

Schiebinger, L. (2001). O feminismo mudou a ciência. Bauru: Edusc , 32.

Schwartz, J. et al. (2006). Mulheres na informática: quais foram as pioneiras?. Cadernos Pagu , (27), 255-278.

Tabak, F. (2002). O laboratório de Pandora: estudos sobre a ciência no feminino . Editora Garamond.

Trotman, A. (2017). Why don’t European girls like science or technology?, https://news.microsoft.com/europe/features/dont-european-girls-like-science-technology/, Março.
Publicado
12/07/2019
Como Citar

Selecione um Formato
LOUZADA, Natália; SANTANA, Thalia ; ASSIS, Ianka ; BRAGA, Ramayane ; BRAGA, Adriano . Agindo sobre a diferença: atividades de empoderamento feminino em prol da permanência de mulheres em cursos de Tecnologia da Informação. In: WOMEN IN INFORMATION TECHNOLOGY (WIT), 13. , 2019, Belém. Anais do XIII Women in Information Technology. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, july 2019 . p. 69-78. DOI: https://doi.org/10.5753/wit.2019.6714.