O Uso do Smartphone por Estudantes de Pós-Graduação em Tecnologias Educacionais: um Estudo de Caso

  • Elvis Medeiros de Melo UFRN
  • Dennys Leite Maia UFRN

Resumo


A sociedade está vivenciando momentos de mudanças de hábitos, devido ao desenvolvimento das tecnologias digitais móveis, como os smartphones. Abordagens baseadas no uso de um dispositivo móvel por aluno (um para um, ou 1:1) estão sendo difundidas, entre elas a proposta BYOD (Bring your own device). Tendo em vista essa realidade, como estudantes de uma pós-graduação em Tecnologias Educacionais percebem o uso dos smartphones em ambientes educacionais? Participaram da pesquisa cerca de 64% dos discentes com vínculo ativo. Através de um estudo de caso, foi aplicado um survey e foi realizada Análise de Similitude através da construção de grafos no software IRaMuTeQ. Dentre os resultados, todos os alunos possuem smartphone próprio com internet móvel e 51% não participaram de formação para seu uso pedagógico.

Referências

Alberta Education (2012). Bring your own device: a guide for schools. In: . Acesso: 30 jun. 2019.

Balardini, S. (2008). De deejays, floggers y ciberchabones: subjetividades juveniles y tecnocultura. In: Bendit, R.; Hahn, M.; Miranda, A. (Ed.). Los jóvenes y el 90 futuro: procesos de inclusión social y patrones de vulnerabilidad en un mundo globalizado. 1. ed. Buenos Aires: Prometeo Libros.

Collier, L. and Halpin, J. (2012). One-to-One 2.0: Building on the “Bring Your Own Device” (BYOD) Revolution, e.Republic.

Edelson, D. C. (2001). ‘Learning-for-use: a framework for the design of technology-supported inquiry activities’, J. Res. in Science Teaching, Vol. 38, No. 3, pp.355–385.

Kenski, V. M. (2007). Tecnologias também servem para fazer educação In: Educação e Tecnologias O Novo Ritmo da Informação. 3.ed. Campinas, SP: Papirus, p.43-62.

Maia, D. L.; Barreto, M. C. (2012). Tecnologias digitais na educação: uma análise das políticas públicas brasileiras. Educação, Formação & Tecnologias, 5 (1), 47-61.

Maia, D. L. (2016). Aprendizagem Docente sobre Estruturas Multiplicativas a Partir de uma Formação Colaborativa Apoiada em Tecnologias Digitais. Tese de Doutorado, PPGED-UFC, Fortaleza.

Nagumo, E. (2014). O Uso Do Aparelho Celular Dos Estudantes Na Escola. 100f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de Brasília, Brasília.

OpenSignal. (2014). Android Fragmentation 2014. In: . Acesso: 01 jul. 2019.

Shahar, D.; Sayers, M. G. L. (2018). Prominent exostosis projecting from the occipital squama more substantial and prevalent in young adult than older age groups. In: https://doi.org/10.1038/s41598-018-21625-1. Acesso em: 30 jun. 2019.

Sharples, M. (2006). Big Issues in Mobile Learning: Report of a workshop by the Kaleidoscope Network of Excellence Mobile Learning Initiative: U. of Nottingham.

Sousa, A. F.; Miranda, A. C. O. (2018). Os problemas causados pelo uso excessivo de smartphones. In: https://bit.ly/2NqtuJe. Acesso em: 29 jun. 2019.

Vieira, M. C.; Conforto, D. (2015). Aprendizagem Móvel e Multimídia: a produção de material pedagógico na perspectiva BYOD. In: CBIE-LACLO 2015. Anais do XXI Workshop de Informática na Escola (WIE 2015).

Yin. R. K. (2005). Estudo de caso: planejamento e métodos. 3 ed., Porto Alegre: Bookman.
Publicado
02/12/2019
Como Citar

Selecione um Formato
DE MELO, Elvis Medeiros; MAIA, Dennys Leite. O Uso do Smartphone por Estudantes de Pós-Graduação em Tecnologias Educacionais: um Estudo de Caso. In: CONGRESSO SOBRE TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO (CTRL+E), 4. , 2019, Recife. Anais do IV Congresso sobre Tecnologias na Educação. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, dec. 2019 . p. 118-127. DOI: https://doi.org/10.5753/ctrle.2019.8882.