FlexQuest como Promotora de Aprendizagem Significativa no Ensino das Ciências Ambientais na Educação Básica

  • José Antônio Bezerra de Oliveira SEE-PE
  • Káta Aparecida da Silva Aquino UFPE

Resumo


Este estudo remete à criação e validação de uma FlexQuest: ferramenta que conjuga a tecnologia digital à Teoria da Flexibilidade Cognitiva, com a finalidade de promover uma aprendizagem significativa em estudantes da Educação Básica. Nesse sentido, os elementos promotores de flexibilização do conhecimento foram idealizados e configuraram uma FlexQuest com tema Água. Uma análise de mapas conceituais construídos pelos estudantes foi realizada para evidenciar uma aprendizagem flexível, significativa e crítica em curso, promovida por meio da utilização da FlexQuest Água. Os resultados mostram que a ferramenta promoveu tais níveis de aprendizagem.

Referências

ALEIXO, A. A., LEÃO, M. B. C. e SOUZA, F. N. (2008) Flexquest: potencializando a WebQuest no Ensino de Química. R. Faced, 14, 119-133.

BRASIL. (1998) Parâmetros Curriculares Nacionais. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 2000.

FRANÇA, M., SILVEIRA, I. F. e ARAÚJO JR., C. F. (2014) Vivissecção virtual com utilização de tablets: uma contribuição para os processos de ensino e aprendizagem nas aulas de Biologia. In: ARAÚJO-JR. e C. F., SILVEIRA, I. F. (Orgs). Tablets no ensino fundamental e médio: princípios e aplicações, p. 88-92. Terracota.

LEÃO, M. B., SOUZA, F. N., MOREIRA, A. e BARTOLOME, A. R. (2006) FlexQuest: Una Webquest con aportes de la Teoria de la Flexibildad Cognitiva (TFC). Ministerio de Educación de la Naci Libro del Proyecto de Articulacion Universidad Enseñanza Media, 128-143.

MOREIRA, M. A. (2010) Aprendizaje Significativo Critico. Boletín de Estúdios e Investigación. 2 (6) 83-101.

OLIVEIRA, J. A. B., GUSMAO, P. T. R. e AQUINO, K. A. S. (2018) Flexquest como material instrucional potencialmente significativo para o ensino das Ciências Naturais. In: 7º Encontro Nacional de Aprendizagem Significativa, 2018, Blumenau. Anais do 7º Encontro Nacional de Aprendizagem Significativa, 7, 105-110.

OLIVEIRA, J. A. B., SILVA, C. J. e AQUINO, K. A. S. (2017) Aprendizagem Significativa Crítica e Flexibilidade Cognitiva: diálogo metodológico através da construção e validação de uma ferramenta Flexquest para o ensino de Ecologia na educação básica. Cadernos de Estudos e Pesquisa na Educação Básica, 3, (1), 35-51.

OLIVEIRA, N. A. S. (2006) A educação ambiental e a percepção fenomenológica, através de mapas mentais. Revista eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental. Rio Grande, 16, 32-46.

RAMOS, P. S. e AQUINO, K. A. S. (2015) Ações na parte diversificada do currículo: um relato de experiência na perspectiva de uma aprendizagem significativa crítica. Cadernos de Estudos e Pesquisa na Educação Básica, 1, 240-249.

SANTOS, I. G. S. e CLEOPHAS, M. G. (2017) Uma proposta de trabalho interdisciplinar sobre a água: o caso da Flexquest “O Fluido da Vida”. Enseñanza de las ciencias, n. Extra, 4949-4954, 2017.

SILVA, I. G. S. S., LEÃO, M. B. C. e SOUZA, F. N. (2015) Plataforma Flexquest®: Uma estratégia didática para a promoção de flexibilidade cognitiva e interdisciplinaridade com recursos Web 2.0. Revista Ibérica de Sistemas e Tecnologias de Informação, SPE4, 35-49.

SOUZA, F. N. e LEÃO, M. B. C. (2006) MOREIRA, A. Elementos estruturadores de uma WebQuest flexível (FlexQuest). In: Encontro sobre Webquest. p. 223-227, Universidade de Minho.

VASCONCELOS, F. C. G. C. e LEÃO, M. B. C. (2016) Utilização de recursos audiovisuais em uma estratégia Flexquest sobre radioatividade. Investigações em Ensino de Ciências, 17(1), 37-58.

WCER (2004) Cognitive flexibility. http://www.wcer.wisc.edu/step/edpsych301/document/CognitiveFlexibility.htm, Janeiro.
Publicado
02/12/2019
Como Citar

Selecione um Formato
DE OLIVEIRA, José Antônio Bezerra; AQUINO, Káta Aparecida da Silva. FlexQuest como Promotora de Aprendizagem Significativa no Ensino das Ciências Ambientais na Educação Básica. In: CONGRESSO SOBRE TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO (CTRL+E), 4. , 2019, Recife. Anais do IV Congresso sobre Tecnologias na Educação. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, dec. 2019 . p. 319-328. DOI: https://doi.org/10.5753/ctrle.2019.8903.