Ilha da Tartaruga: Gamificação na Educação Ambiental

  • Maria de Jesus Costa UFC
  • Sara Stephane Moreira Torres UFC

Resumo


Este artigo aborda os princípios da Educação Ambiental, conceitos e características da gamificação aplicados na área educacional. Está estruturado como um estudo de caso no intuito de descrever a aplicação da gamificação no objeto de aprendizagem (OA) Ilha da Tartaruga, que usa tal abordagem para gerar um maior engajamento e aprendizagem no âmbito da educação ambiental. Seu desenvolvimento percorre o caráter educacional da área ambiental, a descrição do OA (usado como objeto do estudo) e o processo de gamificação aplicado. O artigo conclui-se com um parecer sobre os resultados do processo aplicado no OA e uma reflexão sobre os próximos passos na pesquisa.

Referências

IEE LTSC (2007), Disponível em: , Acesso em: 25 abr. 2019.

Instituto Verdeluz (2019), Disponível em: , Acesso em: 25 abr. 2019.

Prensky, M. (2012) “Aprendizagem baseada em jogos digitais”, Senac, São Paulo.

Reigota, M. (2017) “O que é educação ambiental”, Editora Brasiliense, São Paulo.

Santos, A. M., Silva Junior, F. M., Lopes. E. R. N. (2016) “Gamificando a Educação Ambiental: O desafio Jogando Verde no Instituto Federal Baiano”, Revista Brasileira de Educação Ambiental, São Paulo.

Simões, J.; Díaz Redondo, R.; Vilas, R.F. (2013) “A social gamification framework for a K-6 learning platform”, Computers in Human Behavior, n.29, p.345-353, 2013.

Vianna, Y., Vianna, M., Medina, B., Tanaka, S. (2013) “Gamification”, In: Como reinventar empresas a partir de jogos, MJV Press, Rio de Janeiro.

Zichermann, G., Cunningham, C. (2011) “Gamification by Design: Implementing Game Mechanics in Web and Mobile Apps”, O’Reilly Media, Sebastopol, CA.
Publicado
02/12/2019
Como Citar

Selecione um Formato
COSTA, Maria de Jesus; TORRES, Sara Stephane Moreira . Ilha da Tartaruga: Gamificação na Educação Ambiental. In: CONGRESSO SOBRE TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO (CTRL+E), 4. , 2019, Recife. Anais do IV Congresso sobre Tecnologias na Educação. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, dec. 2019 . p. 511-516. DOI: https://doi.org/10.5753/ctrle.2019.8924.