e-Carteirinha: O Documento Digital do Estudante

  • Matheus Dias Vieira IFRO
  • Ewerton Andrade UNIR

Resumo


Seguindo a tendência de disponibilização de documentos digitais de identificação, o presente trabalho visa criar uma versão digital da Carteira de Identificação Estudantil (CIE) para estudantes do Instituto Federal. Dentro das instituições de ensino, este documento é popularmente chamado de "carteirinha", por este motivo, esta nova versão vem sendo chamada de "e-Carteirinha". Com a implantação desta solução, espera-se que: (I) seja diminuído o período de espera para a confecção deste documento de identificação, (II) seja necessário menos servidores/colaboradores para sua emissão, (III) haja um acréscimo de segurança em razão dos mecanismos implementados nesta nova versão digital do documento, (IV) se estabeleça uma estrutura que permita extensão e comunicação com novos sistemas. Para isto, a solução foi desenvolvida nativamente para Android utilizando a linguagem Java e a ferramenta Android Studio, juntamente com bibliotecas de persistência, segurança da informação e comunicação e desenvolvimento web.

Palavras-chave: Carteirinha, identificação, digital

Referências

BRASIL (2013). Lei no 12.933, de 26/12/2013. Presidencia da República.

BRASIL (2015). Portaria no 3, de 26/01/2015. Imprensa Nacional.

BRASIL (2017). Resolução 684, de 25/07/2017. Imprensa Nacional.

BRASIL (2018). Certificação digital. Instituto Nacional de Tecnologia daInformação.

BRASIL (2019). Medida provisoria 895, de 6/9/2019. Presidência da República.

BRASIL (2020). ID Estudantil. Ministerio da Educação. http://idestudantil.mec.gov.br/.

Chagas, J. M. A. N. (2017). Aplicação de tecnologia smart card e RFID no ambiente universitario. Monografia (Bacharel em Engenharia de Produção), Escola Politécnica (EP), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Brasil.

DELOITTE (2018). Global Mobile Consumer Survey 2018. Technical report, Deloitte Touche Tohmatsu Limited. https://www2.deloitte.com/br/pt/pages/technology-media-and-telecommunications/articles/mobile-survey.html.

IFRO (2016). Resolução nº o 72/CONSUP/IFRO/2016, de 28 de dezembro de 2016. Conselho Superior do Instituto Federal de Educação, Cência e Tecnologia de Rondônia.https://portal.ifro.edu.br/images/Campi/Colorado_do_Oeste/Documentos/Resolu%C3%A7%C3%A3o_n%C2%BA_72_-_Regulamento_de_Carteira_Estudantil_-_SEI_-_Retificada.pdf.

IFRO (2018). Pregão eletrônico nº 04/2018 - aquisição pincel para quadro branco, refil, tinta e cartao pvc. Instituto Fedeal de Educação Ciência e Tecnologiade Rondônia. http://portal.ifro.edu.br/licitacoes/251-pro-reitorias/proap/licitacoes/campus-guajara-mirim-uasg-158635/4585-pe-aquisicao-pincel-para-quadro-branco-refi-tinta-e-cartao-pvc.

IFRO (2019). Ifro mobile. Google Play. https://play.google.com/store/apps/details?id=br.edu.ifro.mobile.app.

Meirelles, F. S. (2019). Pesquisa Anual do Uso de TI. Technical report,Fundação Getulio Vargas – FGV. https://eaesp.fgv.br/ensinoeconhecimento/centros/cia/pesquisa.

NIST (2013). FIPS PUB 186-4: Digital Signature Standard (DSS). Technical report, National Institute of Standards and Technology, NIST, U.S., Washington DC.

STF (2014). Ação Direta de Inconstitucionalidade – 5108. Supremo Tribunal Federal.

TSE (2017). Resolução nº 23.537, de 5/12/2017. Tribunal Superior Eleitoral.

Wazlawick, R. S. (2008). Metodologia de pesquisa para ciencia da computação. Elsevier, Rio de Janeiro.
Publicado
30/06/2020
Como Citar

Selecione um Formato
VIEIRA, Matheus Dias; ANDRADE, Ewerton. e-Carteirinha: O Documento Digital do Estudante. In: ENCONTRO NACIONAL DE COMPUTAÇÃO DOS INSTITUTOS FEDERAIS (ENCOMPIF), 7. , 2020, Evento Online. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2020 . p. 45-52. DOI: https://doi.org/10.5753/encompif.2020.11067.