Violearn: Um Protótipo Para Ensino de Teoria e Prática Musical por Violão

Resumo


Avanços tecnológicos facilitaram acesso ao conhecimento e soluções para dispositivos móveis, mas são poucas opções de qualidade para ensino de música por violão. Esta pesquisa criou um protótipo de aplicativo nessa área, sob Design Science Research, com gamificação, material didático e guia de estudos, para apoiar aprendizado remoto e o desenvolvimento de habilidades desejadas na execução por meio de violão. A avaliação por especialistas e usuários mostrou smartphones como aliados no ensino da música e a incorporação de gamificação, como eficiente no engajamento e comprometimento dos usuários com seus estudos. O conteúdo programático sequencial e em módulos evolutivos e graduais mostrou-se efetivo no ensino da música e do violão.

Palavras-chave: Violão, Educação Musical, Gamificação, Design Science Research

Referências

ABRAMUS, Associação Brasileira de Música e Artes. (2019). Pesquisa Comportamento do Consumidor: Música. Opinion Box, [link].

Brasileiro, F. A. (2017). A Utilização de Aplicativos para Smartphones no Aprendizado de Instrumentos Musicais: Uma Análise Sobre o Yousician, https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/20289.

Burke, B. (2014). Gamify: How Gamification Motivates People to do Extraordinary Things. Bibliomotion, Inc.

Ceccon, D. L.; Porto, J. B. (2020). BcS: Jogos Digitais no Auxílio do Desenvolvimento de Crianças Especiais com Atraso na Linguagem. In Anais do XXXI SBIE, Online, p. 522-531, https://doi.org/10.5753/cbie.sbie.2020.522.

Cogo-Moreira, H. et al. (2013). Effectiveness of Music Education for the Improvement of Reading Skills and Academic Achievement in Young Poor Readers: A Pragmatic Cluster-Randomized, Controlled Clinical Trial. Plos One, https://doi.org/10.1371/journal.pone.0059984.

Expo (2021). Expo - Versão 40.0.0, https://expo.io/.

Figma (2020). Welcome to FigJam, https://www.figma.com/.

Fonseca, A. (2013). Aprendizagem, Mobilidade e Convergência: Mobile Learning com Celulares e Smartphones. Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Mídia e Cotidiano, [link].

Grout, D. J.; Palisca, C. V. (1988). A History of Western Music. W. W. Norton & Company, Inc.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2020). PNAD Contínua TIC 2018: Internet chega a 79,1% dos domicílios do país. Agência IBGE Notícias, [link].

Nart, S. (2016). Music Software in the Technology Integrated Music Education. The Turkish Online Journal of Educational Technology, https://files.eric.ed.gov/fulltext/EJ1096456.pdf.

Pimentel, M.; Filippo, D.; Santoro, F. M. (2020). Design Science Research: fazendo pesquisas científicas rigorosas atreladas ao desenvolvimento de artefatos computacionais projetados para a educação. In: Jaques, P. A.; Pimentel, M.; Siqueira; S.; Bittencourt, I. (Org.) Metodologia de Pesquisa Científica em Informática na Educação: Concepção de Pesquisa (Série Metodologia de Pesquisa em Informática na Educação, v. 1), SBC, Porto Alegre, https://metodologia.ceie-br.org/livro-1/ .

React Native. (2021). React Native, https://reactnative.dev/.

Santana, J. C. S.; Rovaron, R. (2020). Desenvolvimento de um aplicativo para dispositivo móvel para estudo da teoria musical e abordagem prática para tocar violão. Intellectus Revista Acadêmica Digital, http://www.revistaintellectus.com.br/artigos/71.883.pdf.

Scotti, A. (2011). Violão.org: saberes e processos de apreensão/transmissão da música no espaço virtual, https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12279.

Sommerville, I. (2011). Engenharia de Software. Pearson, São Paulo.

UNA-SUS, Sistema Universidade Aberta do SUS. (2020). Organização Mundial de Saúde declara pandemia do novo Coronavírus, [link].

Wee, J. L. K. (2010). GuitarApprentice: A Mobile Application for Acoustic Guitar Learning using Fast Fourier Transform algorithm, http://utpedia.utp.edu.my/id/eprint/13552.
Publicado
22/11/2021
Como Citar

Selecione um Formato
DÁVILA, Gustavo Milcharek; PORTO, Josiane Brietzke. Violearn: Um Protótipo Para Ensino de Teoria e Prática Musical por Violão. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO, 32. , 2021, Online. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2021 . p. 462-473. DOI: https://doi.org/10.5753/sbie.2021.218597.