Aplicando Design Sprint em Sala de Aula Invertida: Um Estudo de Caso

  • Rodrigo S. Souza UFAC
  • Natasha M. C. Valentim UFPR
  • Catarina Costa UFAC

Resumo


As metodologias ágeis, como o Design Sprint (DS), assim como a metodologia ativa Sala de Aula Invertida podem representar um aumento no engajamento dos estudantes, melhorar o aprendizado e promover habilidades interpessoais e de trabalho em equipe. Porém, há poucas evidências da aplicação das duas metodologias juntas em um contexto educacional. Nesse sentido, o objetivo da presente pesquisa consiste em investigar a viabilidade do uso combinado das metodologias, aplicado em um projeto de extensão universitária. Os resultados dessa pesquisa mostram uma boa avaliação dos estudantes quanto a metodologia e ajudam na compreensão e utilização da metodologia Design Sprint em um cenário acadêmico, visando a entrega de artefatos de software.

Referências

Brown, T. (2020). Design Thinking: uma metodologia poderosa para decretar o fim das velhas ideias. Alta Books.

Chaves, I. G. (2019). O design centrado no humano conectado e colaborativo. PhD thesis, Universidade de São Paulo.

da Silva, E. J. (2018). O design sprint como ferramenta para engajamento da equipe: um estudo de caso. Human Factors in Design, 7(13):191–202.

de Oliveira, E. M. P. (2016). Docência em direito e a “sala de aula invertida” como opção metodológica ativa. Revista Evidência, 12(12).

Ferreira, Vinícius Gomes e Canedo, E. D. (2019a). Usando o design sprint como facilitador na aprendizagem ativa para alunos do curso de engenharia de requisitos: um relato de experiência. Anais do 34º Simpósio ACM/SIGAPP de Computação Aplicada, pages 1852–1859.

Ferreira, V. G. (2019b). Design sprint e aprendizagem baseada em projetos: um modelo para o alcance de autenticidade aos projetos acadêmicos. Dissertação (mestrado) - UNB.

Ferreira, V. G. and Canedo, E. D. (2019). Using design sprint as a facilitator in active learning for students in the requirements engineering course: an experience report. In Proceedings of the 34th ACM/SIGAPP Symposium on Applied Computing, pages 1852–1859.

Godói, C. K., Blikstein, I., Bandeira-De-Mello, R., DA SILVA, A. B., de Almeida Cunha, C. J. C., Godoy, A. S., de Freitas, H. M. R., de Mattos, P. L. C. L., Vieira, P. H. F., Ichikawa, E. Y., et al. (2017). Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais. Saraiva Educação SA.

Knapp, J., Zeratsky, J., and Kowitz, B. (2017). Sprint: o método usado no Google para testar e aplicar novas ideias em apenas cinco dias. Editora Intrinseca.

Oliveira, B. L. C. A. d., Lima, S. F., Rodrigues, L. d. S., and Pereira Júnior, G. A. (2018). Team-based learning como forma de aprendizagem colaborativa e sala de aula invertida com centralidade nos estudantes no processo ensino-aprendizagem. Revista brasileira de educação médica, 42:86–95.

Pressman, Roger S e Maxim, B. R. (2021). Engenharia de software-9. McGraw Hill Brasil.

Ramos, M., Merino, E. A. D., Merino, G. S. A. D., and Ferreira, M. G. G. (2016). Design de serviços e experiência do usuário (ux): uma análise do relacionamento das áreas. DAPesquisa, 11(16):105–123.

Senge, P. M. (2018). A quinta disciplina: a arte e prática da organização que aprende. Editora Best Seller.

Snowden, D. (2010). The cynefin framework. YouTube video, 8:38.

Yamaguti, M. H., de Oliveira, F. M., Trindade, C. A., and Dutra, A. C. (2017). Ages: An interdisciplinary space based on projects for software engineering learning. In Proceedings of the 31st Brazilian Symposium on Software Engineering, pages 368–373.
Publicado
06/11/2023
Como Citar

Selecione um Formato
SOUZA, Rodrigo S.; VALENTIM, Natasha M. C.; COSTA, Catarina. Aplicando Design Sprint em Sala de Aula Invertida: Um Estudo de Caso. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO (SBIE), 34. , 2023, Passo Fundo/RS. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2023 . p. 402-413. DOI: https://doi.org/10.5753/sbie.2023.235174.