Conhecendo a Comunidade de Sistemas de Informação no Brasil: um Estudo Comparativo Utilizando Diferentes Abordagens de Banco de Dados

  • Natan Rodrigues Universidade de Brasília
  • Célia Ralha Universidade de Brasília

Resumo


Este artigo apresenta o resultado de uma pesquisa que tem como objetivo disponibilizar informações sobre a comunidade de Sistemas de Informação no Brasil, utilizando diferentes abordagens de banco de dados. O estudo de viabiliza- ção de informação utilizou como base os dados das publica- ções na trilha principal do Simpósio Brasileiro de Sistemas de Informação (SBSI) das edições de 2005 a 2014. Os dados das diversas edições do SBSI foram armazenados em dois bancos de dados construídos utilizando abordagens diferentes de banco de dados (BD). Foi feito também um estudo sobre aspectos de eficiência das abordagens utilizadas com a finalidade de investigar qual das alternativas traz melhor resultado para o armazenamento e a recuperação das informações sobre a comunidade.

Palavras-chave: BD, Comunidade Científica, Rede Social, SBSI

Referências

A. B. M. Moniruzzaman and S. A. Hossain. Nosql database: New era of databases for big data analytics - classification, characteristics and comparison. CoRR, abs/1307.0191, 2013.

A. M. de Souza, E. Prado, V. Sun, and M. Fantinato. Critérios para seleção de sgbd nosql: o ponto de vista de especialistas com base na literatura. Simpósio Brasileiro de Sistemas de Informação 2014 (SBSI), 2014.

C. Alberto Heuser. Projeto de Banco de dados: Uma visão prática. Editora Sagra Luzzato, 1998.

D. J. Cook and L. B. Holder. Graph-based data mining. IEEE Intelligent Systems, 15:32–41, 2000.

E. A. de Oliveira and V. M. F. Dias. Redes sociais do sbsi e o corte de vértices como base para identificar atores importantes na coesão de grupos de pesquisa. Simpósio Brasileiro de Sistemas de Informação 2012 (SBSI), 2012.

E. A. de Oliveira. Sobre a Colaboração na Comunidade de Sistemas de Informação. Master’s thesis, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil, 2012.

F. E. Codd. Relational model of data for large shared data banks. IBM Research Report, San Jose, California, 13(6):377–387, 1970.

F. Inc. Allegrograph rdfstore web 3.0’s database. http://franz.com/agraph/allegrograph/, Acessado em 3 de Fevereiro de 2015.

F. N. R. Machado and M. P. de Abreu. Projeto de Banco de dados: Uma visão prática. Editora Erica, 2009.

F. S. Foundation. The gnu general public license v3.0 - gnu project - free software foundation. http://www.gnu.org/copyleft/gpl.html, Acessado em 3 de Fevereiro de 2015.

I. Robinson, J. Webber, and E. Eifrem. Graph Databases. O’Reilly Media, Incorporated, 2013.

J. A. N. G. Manzano. MySQL 5.1 Interativo - Guia Básico de Orientação e Desenvolvimento). Editora Erica.

J. J. Miller. Graph database applications and concepts with neo4j. In Proceedings of the Southern Association for Information Systems Conference, Atlanta, GA, USA March 23rd-24th, 2013.

K. Finley. 5 graph databases to consider, Abril de 2011. http://readwrite.com/2011/04/20/ 5-graph-databases-to-consider, Acessado em 3 de Fevereiro de 2015.

L. Warcha l. Using neo4j graph database in social network analysis. Studia Informatica, 33(2A):271–279, 2012.

M. J. A. Aaron Ai Tenenbaum, Yedidyah Langsam. Data Structures Using C. McGraw-Hill, Inc., 1989.

N. T. Inc. Include neo4j in your project - the neo4j manual v2.2.1. http://neo4j.com/docs/stable/ tutorials-java-embedded-setup.html, Acessado em 3 de Fevereiro de 2015.

N. T. Inc. Neo4j graph database. http://neo4j.com/product/, Acessado em 3 de Fevereiro de 2015.
O. inc. Infinitegraph
Publicado
26/05/2015
Como Citar

Selecione um Formato
RODRIGUES, Natan; RALHA, Célia. Conhecendo a Comunidade de Sistemas de Informação no Brasil: um Estudo Comparativo Utilizando Diferentes Abordagens de Banco de Dados. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (SBSI), 11. , 2015, Goiânia. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2015 . p. 555-562. DOI: https://doi.org/10.5753/sbsi.2015.5861.