A Gamificação como Metodologia para o Desenvolvimento de Competências Gerais da BNCC

  • Jarles Gomes Santos Universidade Estadual da Paraíba
  • Cintia Oliveira Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Ceará
  • Crisiany Sousa Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Charles Madeira Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • José Guilherme Santa Rosa Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Resumo


 A desmotivação do estudante é um dos principais fatores que acarreta a reprovação e evasão escolar. Nesse sentido, o ambiente de sala de aula passa a exigir mudanças, buscando atingir a motivação do estudante. Uma das possíveis alternativas utilizadas para tentar contornar esse empecilho é a dos ambientes gamificados, que trazem ao contexto escolar o emprego de elementos de jogos com o intuito de estimular os estudantes. Com base nisso, este estudo busca intervir na realidade de uma turma com histórico de reprovação e evasão, aplicando uma atividade gamificada, alinhada às competências da BNCC. Os resultados apontam para a possibilidade de melhoria no nível de motivação dos estudantes e mostram que é possível usar a gamificação para contemplar competências tais como cooperação, colaboração, comunicação, resolução de conflitos, e espírito de liderança.

Referências

Brasil. (2018). Base Nacional Comum Curricular: educação é a base. Brasília: MEC. <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>. Acesso em 31 de maio de 2019.

Brito, A. L. S., Madeira, C. A. G. (2017). Metodologias gamificadas para a educação: uma revisão sistemática. In: Anais do XXVIII Simpósio Brasileiro de Informática na Educação (SBIE 2017), páginas 133-142.

Brown, T. (2008). Design thinking. Harvard Business Review, 86(6), p. 85-92.

Brown, T. (2010). Design Thinking - Uma metodologia poderosa para decretar o fim das velhas ideias. Rio de Janeiro: Elsevier.

Costa, A. C. S., Marchiori, P. Z. (2016). Gamificação, elementos de jogos e estratégia: uma matriz de referência. InCID: R. Ci. Inf. e Doc, 6(2), páginas 44-65.

Coutinho, C., Lisbôa, E. (2011). Sociedade da informação, do conhecimento e da aprendizagem: desafios para educação no século XXI. Revista de Educação, 18(1), páginas 5-22.

Diniz, C. S. (2015). Evasão escolar no Ensino Médio: causas intraescolares na visão dos alunos. Dissertação de Mestrado – Centro Universitário UMA, Guajajaras.

Fadel, L. M., Ulbricht, V. R., Batista, C. R., Vanzin, T. (2014). Gamificação na Educação. São Paulo: Pimenta Cultural.

Fava, R. (2014). Educação 3.0. São Paulo: Saraiva.

Ferreira, S. C., Santos, T. L. J. P. (2018). Gamificação e o ensino de suporte básico de vida: uma experiência com crianças em cenário não escolar. In: XVII SBGames, páginas 1353-1356.

Fortunato, I., Teichner, O. T. (2017). Gamificação aplicada ao plano de aula: elementos para potencializar o ensino. Revista Ensino Interdisciplinar, 3(9), páginas 380-386.

Silva, F. B., Bax, M. P. (2017). Gamificação na educação online: proposta de modelo para a aprendizagem participativa. Revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, 22(50), páginas 144-160.

Tapia, J. A., Fita, E. C. (2015). A motivação em sala de aula: o que é, como se faz. Tradução de Sandra Garcia. São Paulo: Edições Loyola.

Vianna, M. (2012). Design Thinking: inovação em negócios. Rio de Janeiro: MJV Press.

Zicchermann, G., Cunningham, C. (2011). Gamification by Design. Cadana: O’Reilly Media.
Publicado
11/11/2019
Como Citar

Selecione um Formato
SANTOS, Jarles Gomes; OLIVEIRA, Cintia; SOUSA, Crisiany; MADEIRA, Charles; ROSA, José Guilherme Santa. A Gamificação como Metodologia para o Desenvolvimento de Competências Gerais da BNCC. In: WORKSHOP DE INFORMÁTICA NA ESCOLA, 25. , 2019, Brasília. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2019 . p. 812-821. DOI: https://doi.org/10.5753/cbie.wie.2019.812.