Pesquisa-ação Sobre Uso de Tecnologia da Informação no Ensino de Pessoas Surdas

  • Enyo J. T. Gonçalves UFC
  • Anilson Pimenta UAB

Resumo


A história da comunidade surda vem acumulando conquistas durante séculos. Atualmente seus direitos à educação no Brasil são garantidos por leis e decretos, inclusive no ensino regular. No entanto, a realidade deste cenário muitas vezes aponta para o despreparo das pessoas ligadas direta ou indiretamente ao ensino dos surdos, como também o desconhecimento de algo indispensável: os mecanismos de tecnologia da informação disponíveis ao aprendizado dos mesmos. Este trabalho aborda a percepção do aluno surdo e de seus professores em relação ao uso de recursos de tecnologia da informação utilizados na Escola de Ensino Fundamental Centro Educacional de Mauriti. Os resultados foram analisados e confrontados com referências de diversos autores de modo a enriquecer o debate, de modo a dar subsídios para comprovar ou refutar a hipótese inicialmente levantada. De forma complementar, uma capacitação foi oferecida aos envolvidos na pesquisa com o intuito de promover uma atualização dos mesmos em relação aos recursos que podem ser utilizados para os alunos surdos.

Referências

ARCOVERDE, R.D.L; GIANINI, E. – Internet e surdos: possibilidades infinitas de comunicação. Disponível em: <www2.insoft.br/~scie/1999/RossanaDLArcoverde-InternetESurdos.html>. Acesso em 15/06/2013.

BELLONI, Maria Luiza. Educação à distância. Campinas, São Paulo: Autores Associados, 2003.

CASTELLS, Manuel. Tradução de Roseneide Venâncio Majer. A sociedade em rede. A era da informação: economia, sociedade e cultura, v. 1. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

COOMBS, Philip. A crise mundial da educação. São Paulo: Perspectiva, 1976. das propostas didático-metodológicas desenvolvidas por professores de matemática.

FRÓES, J. A tecnologia na vida cotidiana: – importância e evolução sócio-histórica – Rio de Janeiro, 1994.

IBGE. Contagem da População 2007. IBGE, 2007. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/contagem2007/contagem.pdf.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12. ed. São Paulo: Hucitec, 2012.

ROCHA, Sinara Socorro Duarte. O uso do computador na Educação: a informática educativa. Revista Espaço Acadêmico. Nº 85, ano 08, Junho de 2008. Disponível em http://www.espacoacademico.com.br/085/85rocha.htm.

SACKS, O. W. Vendo vozes: uma jornada pelo mundo dos surdos. Rio de Janeiro: Imago, 1998.

SALLES, H. M. Ensino de língua portuguesa para surdos: caminhos para a prática pedagógica. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial; Programa Nacional de Apoio à Educação de Surdos. v. 1 Brasília: MEC/SEESP, 2004.

SPENASSATO, Débora. Inclusão de alunos surdos no ensino regular: investigação das propostas didático-metodológicas desenvolvidas por professores de matemática no ensino médio da EENAV. Disponível em: http://www.projetos.unijui.edu.br/matematica/cd_egem/fscommand/CC/CC_60.pdf.

STUMPF, M. R. Línguas de Sinais: escrita dos surdos na internet. Porto Alegre: Escola Especial Concórdia - ULBRA, 2000. Disponível em: http://lsm.dei.uc.pt/ribie/docfiles/txt200372012213L%C3%ADngua%20de%20sinais.pdf.

SKLIAR, Carlos, Educação & exclusão: abordagens sócio-antropológicas em educação especial. Porto Alegre: Editora Mediação,1997.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. 11ª ed. São Paulo: Cortez, 2002.
Publicado
25/11/2013
Como Citar

Selecione um Formato
GONÇALVES, Enyo J. T.; PIMENTA, Anilson. Pesquisa-ação Sobre Uso de Tecnologia da Informação no Ensino de Pessoas Surdas. In: WORKSHOP DE INFORMÁTICA NA ESCOLA, 19. , 2013, Campinas. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2013 . p. 379-388. DOI: https://doi.org/10.5753/cbie.wie.2013.379.