Análise de Aplicativos para Pessoas Analfabetas: Quais são as suas Características?

  • Alexander Soledade Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas
  • Geisy Anny Venancio Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas
  • Priscila Fernandes Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas
  • Vitor Bremgartner Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas
  • Luis Rivero Universidade Federal do Maranhão

Resumo


À medida que a tecnologia é desenvolvida, o acesso à informação torna-se cada vez mais democrático. No entanto, alguns abismos sociais persistem e dentre eles existe o analfabetismo. Para que haja a democratização do acesso à tecnologia, ferramentas precisam ser desenvolvidas pensando também em resgatar quem está à margem da sociedade. Dessa forma, o objetivo deste artigo foi realizar um mapeamento da disponibilidade de aplicativos direcionados para facilitar a aprendizagem de pessoas analfabetas de grupos de crianças, jovens e adultos. Apesar da grande alavancagem tecnológica, é preciso certificar que classes menos favorecidas tenham acesso às ferramentas de custo baixo, obrigando aos desenvolvedores a criarem softwares suportados em qualquer aparelho telefônico.

Palavras-chave: Aplicativos Móveis, Alfabetização, Análise Comparativa

Referências

Bruns, J. P. and da Cunha Nunes, C. (2021). Implicações da implementação do programa mais alfabetização: reflexões a partir da gestão escolar. Serie-Estudos-Periódico do Programa de Pós-graduação em Educação da UCDB, pages 243–262.

da Fonseca, A. G. M. F. et al. (2018). Programa palma: Dispositivos móveis e aplicativo como ferramenta para alfabetização. Atura-Revista Pan-Amazônica de Comunicação, 2(1):250–274.

Dasgupta, S., Granger, M., and McGarry, N. (2002). User acceptance of e-collaboration technology: An extension of the technology acceptance model. Group Decision and Negotiation, 11(2):87–100.

de Sousa, K. F., de Lima Neto, F. R., and Araújo, N. M. S. (2020). Duolingo for schools: avaliando o uso de uma ferramenta com traços de gamificação no ifce. LinguaTec, 5(2):169–187.

Diniz, J. L., Moreira, A. C. A., Teixeira, I. X., Azevedo, S. G. V., Freitas, C. A. S. L., and Maranguape, I. C. (2020). Digital inclusion and internet use among older adults in brazil: a cross-sectional study. Revista Brasileira de Enfermagem, 73.

Kitchenham, B. A. (1997). Evaluating software engineering methods and tools, part7: planning feature analysis evaluation. ACM SIGSOFT software engineering Notes, 22(4):21–24.

Nogueira, N. and Challegre, V. (2012). Impacto das ferramentas assistivas na educação de analfabetos funcionais. Conferências LACLO, 3(1).

OLIVEIRA, F. N. d. and MORAES, D. A. F. d. (2013). A utilização da tecnologia e da internet no processo de ensino e aprendizagem da educação superior: um relato de experiência. Jornada da Didática, 2.

Vargas, D. d. (2018). O processo de aprendizagem e avaliação através de quiz.

VILAÇA, M. L. C. and Araujo, E. d. (2016). Tecnologia, sociedade e educação na era digital. Duque de Caxias: UNIGRANRIO.

Winck, F. (2019). Analfabetismo funcional entre vestibulandos dos cursos de graduação em letras, história e jornalismo.
Publicado
22/11/2021
Como Citar

Selecione um Formato
SOLEDADE, Alexander; VENANCIO, Geisy Anny; FERNANDES, Priscila; BREMGARTNER, Vitor; RIVERO, Luis. Análise de Aplicativos para Pessoas Analfabetas: Quais são as suas Características?. In: WORKSHOP DE INFORMÁTICA NA ESCOLA, 27. , 2021, On-line. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2021 . p. 267-274. DOI: https://doi.org/10.5753/wie.2021.218495.