Explorando a Abordagem STEAM na Educação Profissional para o Desenvolvimento de Competências Socioemocionais

  • Maria A. de Lima SENAC MS / Senac Hub Academy
  • Esteic Janaina Santos Batista SENAC MS

Resumo


Este artigo explora a abordagem STEAM (Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática) na educação profissional e seu papel no desenvolvimento de competências socioemocionais. A abordagem STEAM combina disciplinas tradicionais com elementos criativos e práticos, promovendo uma educação holística que prepara os alunos para os desafios do século XXI. Ao integrar componentes socioemocionais, como habilidades de colaboração, resolução de problemas e comunicação, a abordagem STEAM ajuda os estudantes a se tornarem indivíduos completos, capazes de enfrentar os desafios sociais e emocionais da vida profissional. Este artigo discute as vantagens da abordagem STEAM na educação profissional e apresenta exemplos de práticas pedagógicas que visam o desenvolvimento dessas competências.

Referências

Borges, G. C., Lourenço, R. S. D. P., da SL Brito, S. L., de Paiva, M. C., Reis, M. K., and Maia, D. L. (2022). A abordagem steam e o protagonismo discente na educação básica: uma revisão sistemática de literatura. In Anais do XXVIII Workshop de Informática na Escola, pages 348–358. SBC.

Council, N. R. et al. (2012). A framework for K-12 science education: Practices, cross-cutting concepts, and core ideas. National Academies Press.

da Silva Machado, E. and Júnior, G. G. (2019). Interdisciplinaridade na investigação dos princípios do stem/steam education: definições, perspectivas, possibilidades e contribuições para o ensino de química. Scientia naturalis, 1(2).

de Almeida, T. G., da Costa, E. R., Cáceres, E. A. M. D. R., and Batista, E. J. S. (2023). Abordagem steam com pensamento computacional: uma experiência na formação de profissionais em ti. In Anais do XXXI Workshop sobre Educação em Computação, pages 212–223. SBC.

Dewey, J. (1903). Democracy in education. The elementary school teacher, 4(4):193–204.

forme avant 2007 Vygotskij, L. S. and John-Steiner, V. (1979). Mind in society: The development of higher psychological processes. Harvard University Press.

Hein, G. (2009). Learning science in informal environments: People, places, and pursuits. Museums & Social Issues, 4(1):113–124.

Honey, M. (2013). Design, make, play: Growing the next generation of STEM innovators. Routledge.

Lima, J. V. V., Silva, C. A. D., de Alencar, F. M. R., and Santos, W. B. (2020). Metodologias ativas como forma de reduzir os desafios do ensino em engenharia de software: diagnóstico de um survey. In Anais do XXXI Simpósio Brasileiro de Informática na Educação, pages 172–181. SBC.

Papert, S. (1993). The children’s machine: Rethinking school in the age of the computer. New York.

Piaget, J., Brown, T., et al. (1985). The equilibration of cognitive structures: The central problem of intellectual development. (No Title).

Rocha, C. J. T. d., Farias, S. A. d., et al. (2020). Metodologias ativas de aprendizagem possíveis ao ensino de ciências e matemática. REAMEC-Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática.
Publicado
06/11/2023
Como Citar

Selecione um Formato
LIMA, Maria A. de; BATISTA, Esteic Janaina Santos. Explorando a Abordagem STEAM na Educação Profissional para o Desenvolvimento de Competências Socioemocionais. In: WORKSHOP DE INFORMÁTICA NA ESCOLA (WIE), 29. , 2023, Passo Fundo/RS. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2023 . p. 592-602. DOI: https://doi.org/10.5753/wie.2023.235169.