Rumo à Caracterização de Disseminação Ilegal de Filmes em Redes BitTorrent

  • Adler Hoff Schmidt UFRGS
  • Marinho Pilla Barcellos UFRGS
  • Luciano Paschoal Gaspary UFRGS

Resumo


O compartilhamento de conteúdo por meio de redes BitTorrent (BT) é atualmente um dos principais responsáveis pelo volume de dados na Internet. Relatórios de monitoração recentes constataram que os conteúdos sendo compartilhados são, em ampla maioria, ilegais e que filme é o tipo de mídia mais comum. Esforços de pesquisa realizados para entender a dinâmica de produção e de compartilhamento de conteúdo em redes BT não oferecem informações precisas sobre o comportamento por trás da disseminação ilegal de filmes, sendo esse o principal objetivo e contribuição deste artigo. Para realizar tal análise, monitorou-se todos os arquivos torrent de filmes publicados na principal comunidade pública de BT durante 30 dias e ingressou-se nos enxames, sem compartilhar conteúdo, a fim de obter informações adicionais acerca de compartilhamento. Como resultado, apresenta-se, caracteriza-se e discute-se quem produz e quem publica torrents de cópias ilícitas, o que é produzido e quem atua como primeiro provedor dos conteúdos.

Referências

Bauer, K., McCoy, D., Grunwald, D., and Sicker, D. (2009). Bitstalker: Accurately and efficiently monitoring bittorrent traffic. In WIFS 2009, IEEE Workshop on Information Forensics and Security, pages 181–185.

Chow, K., Cheng, K., Man, L., Lai, P., Hui, L., Chong, C., Pun, K., Tsang, W., Chan, H., and Yiu, S. (2007). Btm - an automated rule-based bt monitoring system for piracy detection. In ICIMP 2007, International Conference on Internet Monitoring and Protection, pages 1–6.

Cuevas, R., Kryczka, M., Cuevas, A., Kaune, S., Guerrero, C., and Rejaie, R. (2010). Is content publishing in bittorrent altruistic or profit-driven? In Co-NEXT 2010, International Conference on Emerging Networking Experiments and Technologies, pages 1–12.

Envisional (2011). An estimate of infringing use of the internet. http://documents.envisional.com/docs/Envisional-Internet_Usage-Jan2011.pdf [Acessado em 07/11].

IMDB (2011). http://www.imdb.com/ [Acessado em 07/11].

Junemann, K., Andelfinger, P., Dinger, J., and Hartenstein, H. (2010). Bitmon: A tool for automated monitoring of the bittorrent dht. In P2P 2010, IEEE International Conference on Peer-to-Peer Computing, pages 1–2.

Le Blond, S., Legout, A., Lefessant, F., Dabbous, W., and Kaafar, M. A. (2010). Spying the world from your laptop: identifying and profiling content providers and big downloaders in bittorrent. In LEET 2010, USENIX Workshop on Large-Scale Exploits and Emergent Threats, pages 4–4.

Mansilha, R. B., Bays, L. R., Lehmann, M. B., Mezzomo, A., Gaspary, L. P., and Barcellos, M. P. (2011). Observing the bittorrent universe through telescopes. In IM 2011, IFIP/IEEE International Symposium on Integrated Network Management, pages 1–8.

Piratebay (2011). http://thepiratebay.org/ [Acessado em 07/11].

PlanetLab (2011). http://www.planet-lab.org/ [Acessado em 07/11].

Schulze, H. and Mochalski, K. (2009). Internet study 2008-2009. [link]. [Acessado em 07/11].

Wikipedia (2011a). List of warez groups. http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_warez_groups [Acessado em 07/11].

Wikipedia (2011b). Pirated movie release types. http://en.wikipedia.org/wiki/Pirated_movie_release_types [Acessado em 07/11].

Wikipedia (2011c). Seedbox. http://en.wikipedia.org/wiki/Seedbox [Acessado em 07/11].

Zhang, C., Dhungel, P., Wu, D., Liu, Z., and Ross, K. (2010a). Bittorrent darknets. In INFOCOM 2010, IEEE International Conference on Computer Communications, pages 1460–1468.

Zhang, C., Dhungel, P., Wu, D., and Ross, K. (2010b). Unraveling the bittorrent ecosystem. IEEE Transactions on Parallel and Distributed Systems, 22(7):1164–1177.
Publicado
06/11/2011
SCHMIDT, Adler Hoff; BARCELLOS, Marinho Pilla; GASPARY, Luciano Paschoal. Rumo à Caracterização de Disseminação Ilegal de Filmes em Redes BitTorrent. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E DE SISTEMAS COMPUTACIONAIS (SBSEG), 11. , 2011, Brasília. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2011 . p. 169-182. DOI: https://doi.org/10.5753/sbseg.2011.20571.

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##