Lições Aprendidas de Uso de Baixa Tecnologia em uma Disciplina Engenharia de Software Aplicando Diversas Metodologias Ativas: Um Relato de Experiência

Resumo


A Engenharia de Software (ES) é uma área da computação, cujo objetivo é apoiar profissionais de TI no desenvolvimento de software de qualidade de forma econômica. Aplicar distintas metodologias de ensino é fundamental para atender as expectativas de diversos públicos durante o processo de aprendizagem dos conteúdos da ES. Este trabalho apresenta um relato de experiência da aplicação de distintos objetos de aprendizagem de baixa tecnologia e metodologias ativas durante uma disciplina de ensino de ES com o objetivo de incluir atividades práticas no processo de ensino. Ao final da disciplina, os alunos avaliaram as metodologias e os artefatos utilizados, indicando aspectos positivos e negativos de cada um. Foram identificadas as lições aprendidas e os atributos que impactam na aceitação das metodologias de ensino adotadas, como: interação entre os discentes, engajamento e relação dos tópicos ensinados com a indústria.
Palavras-chave: Engenharia de Software, Metodologias Ativas, Relato de Experiência

Referências


ACM/IEEE-CS Joint Curriculum Task Force Report. Computing Curricula 2013. Disponível online em: http://www.acm.org/education/curricula-recommendations.

Andrade, R. M. C., Santos, I. S., and Linhares, I. Uma metodologia para o ensino teórico e prático da engenharia de software. FEES 2015, page 60.

Andrade, R. M.C., Santos, I.S., Araújo, I. L., Aragão, B. S., & Siewerdt, F. (2017, September). Retrospective for the Last 10 years of Teaching SoftwareEngineering in UFC's Computer Department.In Proceedings of the 31st Brazilian Symposium on Software Engineering (pp. 358-367).

Araujo, N., Machado, R., Viana, D., and Rivero, L. (2017). Avaliando a viabilidade do blackbox em sala de aula: Um jogo sério para ensino de teste funcional de software. In Brazilian Symposium on Computers in Education (Simpósio Brasileiro de Informática na Educação - SBIE), volume 28, page 817.

Braga, J. C. (2015). Objetos de aprendizagem, volume 2: metodologia de desenvolvimento. Santo André: Editora da UFABC.

Cunha, J. A. O., Marques, G. A., Lemos, W. L., Câmara Jr, U. D., and Vasconcellos, F. J. (2018). Software engineering education in brazil: a mapping study. In Proceedings of the XXXII Brazilian Symposium on Software Engineering, pages 348–356.

Deboni, J. E. Z., & Gregolin, R. (2008). Inspeção de Qualidade em Descrições de Casos de Uso: Uma Proposta de Modelo e Artefatos. VII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE QUALIDADE DE SOFTWARE, 157

Duarte, L. (2018) "Como ensinar Scrum na prática #2 – LuizTools". https://www.luiztools.com.br/post/como-ensinar-scrum-na-pratica-2/. Dezembro.

Ferraz,A. P. D. C. M., & Belhot, R. V. (2010). Taxonomiade Bloom: revisão teórica e apresentação das adequações do instrumento para definição de objetivos instrucionais. Gestão & Produção, 17(2), 421-431

França, B. B. N., Ribeiro, T. V., Santos, P. S. M., & Travassos, G. H. (2015). Using Focus Group in Software Engineering: lessons learned on characterizing software technologies in academia and industry. In CIbSE(p. 351).

Hoda, R., Salleh, N., & Grundy, J. (2018). The rise and evolution of agile software development. IEEE software, 35(5), 58-63

Humphrey, W. S. (1988, April). The software engineering process: definition and scope. In Proceedings of the 4th international software process workshop on Representing and enacting the software process (pp. 82-83).

Lemos, W., Cunha, J., & Saraiva, J. (2019, July). Ensino de Engenharia de Software em um Curso de Sistemasde Informação: Uma Análise dos Problemas e Soluções na Perspectiva de Professores e Alunos. In Anais do XXVII Workshop sobre Educação em Computação (pp. 305-318). SBC.

Lima, J. V., Júnior, M. D. M. A., Moya, A., Almeida, R., Anjos, P., Lencastre, M., ... & Alencar, F. (2019, November). As Metodologias Ativas e o Ensino em Engenharia de Software: uma revisão sistemática da literatura. In Anais do Workshop de Informática na Escola (Vol. 25, No. 1, p. 1019)

Mendes, J., Costa, Y., Frazão, K., Santos, R., Santos, D., and Rivero, L. (2019). Identificação das expectativas e dificuldades de alunos de graduação no ensino de engenharia de software. In Anais do XXVII Workshop sobre Educação em Computação, pages 334–347, Porto Alegre, RS, Brasil. SBC.

Santos, G., Rocha, A. R., Conte, T., Barcellos, M. P., & Prikladnicki, R. (2012, September). Strategic alignment between academy and Industry: a Virtuous Cycle to Promote Innovation in Technology. In 2012 26th Brazilian Symposium on Software Engineering (pp. 196-200). IEEE.

Santos, R. E., Magalhães, C. V., Correia-Neto, J. S., & Vilar, G. (2014). Ensino guiado por estudo dirigido: uma experiência no contexto da Engenharia de Software. In Anais do Workshop de Informática na Escola (Vol. 20, No. 1, p. 170).

Santos, S., Carvalho, F., Costa, Y., Viana, D., & Rivero, L. (2019). Risking: A Game for Teaching Risk Management in SoftwareProjects. In Proceedings of the XVIII Brazilian Symposium on Software Quality (pp. 188-197).

Sauer, C., Jeffery, D. R., Land, L., & Yetton, P. (2000). The effectiveness of softwaredevelopment technical reviews: A behaviorally motivated program of research. IEEE Transactions on Software Engineering, 26(1), 1-14.

Wangenheim, C. G. and Silva, D. A. (2009). Qual conhecimento de engenharia de software é importante para um profissional de software? Proceedings of the Fórum de Educação em Engenharia de Software, 2:1–8.

Zorzo, A. F., Nunes, D. J., Matos, E. D. S., Steinmacher, I. F., Leite, J. C., De Araujo, R. M., Correia, R. C. M., and Martins, S. D. L. (2017). Referenciais de formação para os cursos de graduação em computação.

Publicado
24/11/2020
Como Citar

Selecione um Formato
COSTA, Yandson; SANTOS, Sebastião; PINTO, Nathasha; VIANA, Davi; RIVERO, Luis. Lições Aprendidas de Uso de Baixa Tecnologia em uma Disciplina Engenharia de Software Aplicando Diversas Metodologias Ativas: Um Relato de Experiência. In: WORKSHOP DE INFORMÁTICA NA ESCOLA, 26. , 2020, Evento Online. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2020 . p. 189-198. DOI: https://doi.org/10.5753/cbie.wie.2020.189.