Código X em Casa: um relato de experiência sobre o ensino remoto de computação desplugada para meninas em situação de vulnerabilidade socioeconômica, em tempos de distanciamento social

  • Letícia Aparecida Figueiredo Universidade Federal de Ouro Preto
  • Ana Beatriz Ansaloni Dias Instituto Federal de Minas Gerais
  • Laryssa Aparecida Gomes Fagundes Universidade Federal de Ouro Preto
  • Viviane de Paula Silva Instituto Federal de Minas Gerais
  • Sílvia Grasiella M. Almeida Instituto Federal Minas Gerais
  • Mariane Luyara Campos Magalhães Universidade Federal de Ouro Preto
  • Pâmela Marinho Rezende Stilingue Inteligência Artificial; Universidade Federal de Minas Gerais
  • Marina Oliveira Lima Universidade Federal de Ouro Preto
  • Laís Serginane Fortes VLI Multimodal S.A.
  • Olívia Silva Resende DTI Digital
  • Pâmela Starling Bergamini Gomes Instituto Federal Minas Gerais
  • Joicymara Santos Xavier Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri; Universidade Federal de Minas Gerais

Resumo


Diante da evidente desigualdade de gênero, principalmente nas áreas relacionadas à tecnologia, o projeto Código X busca proporcionar a meninas, que cursaram o ensino fundamental e vivem em regiões de vulnerabilidade social, um contato com atividades fora de sua realidade. Durante o período de isolamento social, novos desafios surgem para minimizar as desigualdades, estimulando o desenvolvimento de novas metodologias. Assim nasceu o Código X em casa, criando uma forma de ensino à distância de lógica e programação. A metodologia é baseada em Pensamento Computacional e Computação Desplugada e visa ensinar e também acolher, visto que momentos de incerteza como esse, trazem necessidades emocionais que podem prejudicar o processo de aprendizagem.
Palavras-chave: Computational Thinking, Unplugged Computing, Female Empowerment, Social distancing, Programming for girls

Referências


Bau, D., Gray, J., Kelleher, C., Sheldon, J., and Turbak, F. (2017). Learnable programming: blocks and beyond.Communications of the ACM, 60(6):72–80.

Bell, T., Rosamond, F., and Casey, N. Computer science unplugged and related projects in math and computer science popularization.

de Oliveira, M. R. and de Freitas, C. C. (2017). Meninas da vila: uma perspectiva transdisciplinar do empoderamento feminino

de Souza, J. S. and Lopes, A. S. B. Estimulando o pensamento computacional e o raciocínio lógico no ensino fundamental por meio da obi e computação desplugada.

Dickhauser, O. and Meyer, W. (2006). Gender differences in young children's math ability attributions.Psychology Science, 48(1):3.

Ferreira, A. C., Melhor, A., Barreto, J., de Paiva, L. F., and Matos, E. Experiência prática interdisciplinar do raciocínio computacional em atividades de computação desplugadana educação báscia

Herbert, J. and Stipek, D. (2005). The emergence of gender differences in children's perceptions of their academic competence.Journal of Applied Developmental Psychology, 26(3):276–295

Jacobs, J. E. (1991). Influence of gender stereotypes on parent and child mathematics attitudes.Journal of Educational Psychology, 83(4):518.

Jacobs, J. E. and Eccles, J. S. (1985). Gender differences in math ability: The impact of media reports on parents.Educational researcher, 14(3):20–25

Marcondes, M. M., Pinheiro, L., Queiroz, C., Querino, A. C., Valverde, D., França, D.,Sotero, E. C., Rios, F., Romio, J. A. F., Carvalho, L. D. P. d., et al. (2013). Dossiê mulheres negras: retrato das condições de vida das mulheres negras no brasil.

Marquiori, V., Oliveira, M., and Nascimento, G. Letramento de meninas em programação através do pensamento computacional para compreensão de problemas.

Medeiros, S., Rabelo, H., Nunes, I., Garcia, T. C. M., Medeiros, F., de Souza Rabelo,D. S., and Medeiros, A. Ensino de algoritmos com poemas através do editor poesia ():Relato de experiência.

Passos, J., Huh, K., Cavalheiro, L., Gonçalves, Y., Eler, M. M., Cubero, J., and Peres,S. M. Abrindo mentes com a computação desplugada: uma experiência com meninasde oitavo e nono anos.

Rodriguez, S., Regueiro, B., Piñeiro, I., Est ́evez, I., and Valle, A. (2020). Gender differences in mathematics motivation: Differential effects on performance in primary education.Frontiers in psychology, 10:3050.

Werlich, C., Crema, C., Kemczinski, A., and Gasparini, I. Pensamento computacional no ensino fundamental i: um estudo de caso utilizando computação desplugada.

WHO(2020).World health organization.https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019/situation-reports. Accessed: 2020-07-01.

Wing, J. M. (2006). Computational thinking.Communications of the ACM, 49(3):33–35

Publicado
24/11/2020
Como Citar

Selecione um Formato
FIGUEIREDO, Letícia Aparecida et al. Código X em Casa: um relato de experiência sobre o ensino remoto de computação desplugada para meninas em situação de vulnerabilidade socioeconômica, em tempos de distanciamento social. In: WORKSHOP DE INFORMÁTICA NA ESCOLA, 26. , 2020, Evento Online. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2020 . p. 279-288. DOI: https://doi.org/10.5753/cbie.wie.2020.279.