Aproximação de alunas do ensino básico do pensamento computacional: relato de experiência de uma oficina de eletrônica

  • Beatriz Silva de Santana Universidade Estadual de Feira de Santana
  • Claudia Pinto Pereira Universidade Estadual de Feira de Santana

Resumo


Este relato se refere ao ensino de conceitos computacionais possibilitados por meio da lógica, programação e eletrônica como um meio para a aproximação de meninas da área de computação, levando em consideração que, apesar do notável crescimento da participação das mulheres nas mais diversas esferas, a computação ainda é pouco populada pelas mesmas. De acordo com os resultados, este se mostrou um processo positivo no sentido de promover o despertar de interesses, a aproximação com as áreas de computação e eletrônica e a quebra de preconceitos.

Referências

Araujo, A. L.; Andrade, W.; Guerrero, D. (2016). Um mapeamento sistemático sobre a avaliação do pensamento computacional no Brasil. In: Anais dos Workshops do Congresso Brasileiro de Informática na Educação. p. 1147.

Bamberger, Y. M. (2014). Encouraging girls into science and technology with feminine role model: Does this work? Journal of Science Education and Technology, v. 23, n. 4, p. 549-561.

Coelho, R. C. (2013). Mulheres e Meninas na Computação: Realidade e Desafio!. Revista Computação Brasil, Porto Alegre, v.7, n. 2, p. 68-80.

Freire, L. G. L. (2009). Auto-regulação da aprendizagem. Ciências & Cognição, v. 14, n. 2, 2009.

Holanda, M. et al. (2017). Percepção das meninas do ensino médio sobre o curso de computação no Distrito Federal do Brasil. In: Congreso de la Mujer Latinoamericana en Computación (LAWCC-CLEI) - JAIIO 46 Córdoba.

Maloney, J. et al. (2010). The Scratch Programming Language and Environment. ACM Trans. Comput. Educ, v. 10, n. 15.

Mélo, F. É. N. et al.(2011). Do Scratch ao Arduino: Uma proposta para o ensino introdutório de programação para cursos superiores de tecnologia. In: XXXIX Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia. p. 10.

Mioto, F. et al. (2019). bASES21-Um Modelo para a Autoavaliação de Habilidades do Século XXI no Contexto do Ensino de Computação na Educação Básica. Revista Brasileira de Informática na Educação, v. 27, n. 1.

Piaget, J. Biologia e Conhecimento. 2ª Ed. Vozes: Petrópolis, 1996.

Santana, B. S. (2019). Eletrônica para Mulheres: Estudo do Impacto de Experimentação Lúdica e Coparticipativa com Meninas no Ensino Fundamental, Universidade Estadual de Feira de Santana. Feira de Santana-Bahia.

Santos, C. P. et al. (2017). Explorando o Pensamento Computacional para Despertar Novos Talentos: Relato de uma Experiência. In: 11º Women in Information Technology (WIT 2017). SBC.

Scardamalia, M. et al. (2012). New assessments and environments for knowledge building. In: Assessment and teaching of 21st century skills. Springer, Dordrecht. p. 231-300.

Silva Júnior, J. F. da; Mendonça, S. F. T. de O. (2013). Inserção da mulher na Ciência da Computação no município de Garanhuns. Revista da Escola Regional de Informática, v. 2, n. 2, p. 128-131.

Thiollent, M. (2007). Metodologia da pesquisa-ação. 15. ed. São Paulo: Cortez.

Vieira, A.; Passos, O.; Barreto, R. (2013). Um relato de experiência do uso da técnica computação desplugada. Workshop sobre Educação em Computação, XXI, 2013, Maceió. In: XXI Workshop sobre Educação em Computação, p.670–679. Maceió.

Wing, J. (2011). Research notebook: Computational thinking—What and why. The Link Magazine, p. 20-23.
Publicado
11/11/2019
Como Citar

Selecione um Formato
SANTANA, Beatriz Silva de; PEREIRA, Claudia Pinto. Aproximação de alunas do ensino básico do pensamento computacional: relato de experiência de uma oficina de eletrônica. In: WORKSHOP DE INFORMÁTICA NA ESCOLA, 25. , 2019, Brasília. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2019 . p. 69-78. DOI: https://doi.org/10.5753/cbie.wie.2019.69.