Ferramentas de Videoconferência para a Realização de Monitoria a Distância

  • Ricardo de Sousa Farias Universidade Estadual da Paraíba
  • Kaique Rijkaard de Sousa Oliveira Universidade Estadual da Paraíba
  • Hoffmann da Silva Queifer Universidade Estadual da Paraíba
  • Jannayna Domingues Barros Filgueira Universidade Estadual da Paraíba
  • Geam Carlos de Araújo Filgueira IFPB

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar a viabilidade da prática da monitoria a distância utilizando ferramenta de videoconferência, afim de melhorar a comunicação entre alunos e monitores, flexibilizando a disponibilidade dos mesmos, além de dispensar a necessidade de se locomover para a cidade da instituição, realizando o suporte da monitoria a distância. Para isso, foi realizado uma pesquisa em uma instituição de ensino superior, para mensurar o benefício do uso de ferramentas de videoconferência para monitoria a distância.

Referências

COGO, A. L. P. et al. Monitoria a distância em disciplina do curso de graduação em enfermagem: relato de experiência. In:Congresso Internacional ABED de Educação a Distância, 18., São Luís, 2012. Anais… São Luís: ABED, 2012. 102f.

CORRADINI, S. N. MIZUKAMI, M. G. N. Práticas Pedagógicas e o Uso da Informática. 2013.

COSTA, L. N. (2018). Investigação sobre o uso de teletrabalho no contexto de metodologias ágeis.

DA COSTA, Luiz Felipe Dias; PIMENTEL, João Henrique Correia; CRUZ, Maria Lencastre Pinheiro de Menezes. Levantamento do Ensino de Engenharia de Requisitos em cursos à distância no Brasil. Revista de Engenharia e Pesquisa Aplicada, 2017, 2.2.

DISCORD COMPANY; Disponível em: https://Discordapp.com/company. Acessado em 01 de julho de 2019.

DO NASCIMENTO, J. K. F. Informática Aplicada à Educação. 2013.

DOS SANTOS, A. K. Soluções open source para interoperabilidade entre sistemas de videoconferência e Webconferência. 2017.

FETTERMANN, F. A., Viçosa, C. S. C. L., Viçosa, D. L., & Folmer, V. (2019). A utilização do Hangout como estratégia de ensino na formação de professores. Revista Eletrônica Acervo Saúde, 11(7), e609-e609.

FRISON, L. M. B; MORAES, M. A. C. As práticas de monitoria como possibilitadoras dos processos de autorregulação das aprendizagens discentes. Poíesis Pedagógica, Catalão, V. 8, n. 2. p.144-158, ago./dez. 2010.

MARTINS. K; FROM, D. A. A importância da educação a distância na sociedade atual. Disponivel em: https://www.assessoritec.com.br/wp-content/uploads/sites/641/2016/12/Artigo-Karine.pdf. Acesso em 24 de outubro de 2018.

MAZZO, A., Martins, J. C. A., Baptista, R. C. N., Godoy, S., Coutinho, V. R. D., Seixas, C. A., ... & Franzon, J. C. (2017). A Simulação e a Videoconferência no Ensino de Enfermagem. Revista De Graduação USP, 2(2), 55-63.

MENDES, R. M. S; et al. Monitoria no Ensino Superior: Contribuições em uma Faculdade Privada de Medicina. 2018.

MIRANDA, G. L. Limites e Possibilidades das TIC da Educação. 2007.

NASCIMENTO, L., & Melnyk, A. (2016). The usage of Skype for educational purposes. Revista Mangaio Acadêmico, 1(1), 12-17.

PINHEIRO, A. C. M.; NETO, H. B.; PINHEIRO, T. S. M. A monitoria como processo formativo contínuo: uma proposta metodológica de orientação de estudo. Editora EdUECE – Livro 2.

SANTOS, Joao Francisco Severo. Avaliação no ensino a distância. Revista Iberoamericana de Educación, v. 38, n. 4, p. 1-9, 2006.

SANTOS, M. C. O. Preconceito na educação a distância: a visão dos discentes de um curso de letras EaD. VI COLÓQUIO INTERNACIONAL" EDUCAÇÃO E CONTEMPORANEIDADE". São Cristóvão-SE-Brasil, 2012.

TEIXEIRA. É. A. Os Impactos da Informática na Educação Infantil e na Sociedade. Disponível em < http://ueadsl.textolivre.pro.br/2017.2/papers/upload/101.pdf>. Acesso em: 1 de julho de 2019.
Publicado
11/11/2019
Como Citar

Selecione um Formato
FARIAS, Ricardo de Sousa; OLIVEIRA, Kaique Rijkaard de Sousa; QUEIFER, Hoffmann da Silva; FILGUEIRA, Jannayna Domingues Barros; FILGUEIRA, Geam Carlos de Araújo. Ferramentas de Videoconferência para a Realização de Monitoria a Distância. In: WORKSHOP DE INFORMÁTICA NA ESCOLA, 25. , 2019, Brasília. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2019 . p. 355-364. DOI: https://doi.org/10.5753/cbie.wie.2019.355.