Contribuições do Software Scratch para Aprendizagem de Crianças com Deficiência Intelectual

  • Herik Zednik UFRGS
  • Olga Takinami Prefeitura do Município de São Bernardo do Campo
  • Ronald Brasil Universidade do Estado do Ceará
  • Selma Bessa Sales Prefeitura Municipal de Fortaleza
  • Sibere Araujo Prefeitura Municipal de Fortaleza

Resumo


O objetivo deste trabalho é relatar uma experiência com desenvolvimento de jogos por meio do programa Scratch, como estratégia didática para potencializar o aprendizado de crianças com Deficiência Intelectual (DI) que frequentam a sala de Atendimento Educacional Especializado. Durante a experiência, buscou-se desenvolver habilidades de atenção, concentração, percepção, coordenação motora fina e ampla por meio de jogos personalizados às necessidades específicas dos alunos. A experiência trouxe resultados positivos, que levam a inferir que o uso de jogos colabora com o desenvolvimento da aprendizagem de crianças com DI. A análise qualitativa mostrou também que os jogos podem ter um impacto emocional positivo para os alunos, por favorecerem atividades divertidas, atraentes e dinâmicas.

Referências

American Psychiatric Association - APA. (2014) “Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: DSM-5”. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, p, 34.

Brasil. (2018) “Base nacional comum curricular” Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Brasília, DF. Disponível em: < http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/02/bncc-20dez-site.pdf >. Acesso em: mar. 2019.

_____. (2009) “Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial” Resolução nº 4, de 02 de outubro de 2009. Ministério da Educação/ Conselho Nacional de Educação/ Câmara de Educação Básica. Brasília.

_____. (2007) “Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva” Ministério da Educação/Secadi. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=16690-politica-nacional-de-educacao-especial-na-perspectiva-da-educacao-inclusiva-05122014&Itemid=30192&gt;. Acesso em 1 fev. 2019.

_____. (1988).“Constituição da República Federativa do Brasil de 1988”. Brasília, DF: Presidência da República,. Disponível em:&lt;http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituiçao.htm.> Acesso em 1 fev. 2019.

Fonseca, V. (2004) “Psicomotricidade: Perspectivas multidisciplinares”. Porto Alegre: Artmed, p. 106.

Gomes, Alex Sandro; Padovani, Stephania (2005) “Usabilidade no ciclo de desenvolvimento de software educativo” In: XVI Simpósio Brasileiro de Informática na Educação SBIE 2005, Juiz de Fora (MG). Anais do XVI Simpósio Brasileiro de Informática na Educação.

Lévy, Pierre. (2007) “Inteligência coletiva. Para uma antropologia do ciberespaço”. 5ª ed. [S.l.]: Loyola.

Sobreira, Elaine Silva Rocha; Takinami, Olga Kikue; Santos, Verônica Gomes dos. (2013) “Programando, Criando e Inovando com o Scratch: em busca da formação do cidadão do século XXI”. Anais da JAIE. Disponível em <http://www.br-ie.org/pub/index.php/pie/article/view/2592/2248>. Acesso em 12 de maio de 2019.

Zednik, Herik; Dias, Bruno Pereira; Almeida, Talia da Silva. (2019) “Educação Gamificada: Estratégia Didática para a Formação de Professores” I Simpósio Internacional e IV Nacional de Tecnologias Digitais na Educação – IV - SNTDE 2019, São Luis, Maranhão.
Publicado
11/11/2019
Como Citar

Selecione um Formato
ZEDNIK, Herik; TAKINAMI, Olga; BRASIL, Ronald; SALES, Selma Bessa; ARAUJO, Sibere. Contribuições do Software Scratch para Aprendizagem de Crianças com Deficiência Intelectual. In: WORKSHOP DE INFORMÁTICA NA ESCOLA, 25. , 2019, Brasília. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2019 . p. 394-403. DOI: https://doi.org/10.5753/cbie.wie.2019.394.