Avaliação de Ferramentas para Ensino de Programação para Crianças e Adolescentes

  • Renata Pontes Universidade Federal de Campina Grande
  • Jaindson Santana Instituto Federal da Paraíba
  • Mirko Perkusich Universidade Federal de Campina Grande
  • Anderson Barbosa Universidade Federal de Campina Grande
  • Vitor Gomes Instituto Federal da Paraíba
  • Moisés Simões Instituto Federal da Paraíba
  • Carlos Avelino da Camelo Instituto Federal da Paraíba

Resumo


Diversas ferramentas estão disponíveis para o ensino de programação de computadores e do Pensamento Computacional (PC), porém, um desafio é definir quais serão utilizadas para ensinar crianças ou adolescentes. O objetivo deste artigo é comparar as ferramentas Scratch e Stencyl quanto a sua eficácia no ensino do PC. Para tal, foi realizado um estudo de caso com turmas compostas por alunos do 8º e 9º anos do ensino fundamental. Para cada turma, unidades instrucionais similares foram planejadas e executadas, cada, utilizou uma das ferramentas sob análise. As habilidades do PC, durante o estudo, foram mensuradas com base no Bebras Challenge. Como resultado, percebeu-se uma similaridade na evolução das turmas e, portanto, da eficácia das ferramentas, mesmo se percebendo uma leve vantagem da ferramenta Scratch, em termos de uma curva de aprendizado e de tempo para o alcance dos objetivos esperados.

Referências

AKPINAR Y., ASLAN, Ü. (2015). "Supporting Children’s Learning of Probability Through Video Game Programming". In: Journal of Educational Computing Research, Vol. 53, Edição 2.

Bebras Challenge - Bebras® Computing Challenge. Disponível em: http://www.bebraschallenge.org/. Acesso em 04 de julho de 2019.

CHAUDHARY, Vidushi et al. An experience report on teaching programming and computational thinking to elementary level children using lego robotics education kit. In: 2016 IEEE Eighth International Conference on Technology for Education (T4E). IEEE, 2016. p. 38-41.

Computing in the Core - What is Computer Science and What do People Do Once They Know It? – Disponível em: http://www.computinginthecore.org/. Acesso em 27 de fevereiro de 2018.

European Schoolnet. Computing our future: Computer programming and coding - Priorities, school curricula and initiatives across Europe, October 2014.

Fessakis, G., Gouli, E., Mavroudi, E. Problem solving by 5–6 years old kindergarten children in a computer programming environment: A case study. Computers & Education, Vol 63, Páginas 87-97, Elsevier, Abril 2013.

GOMES, V. H., PONTES, R. F., CAMELO, C. A. S., CAVALCANTI, G. A. S., PERKUSICH, M. B. Ensino de programação para crianças e adolescentes: um estudo exploratório. In Anais dos Workshops do VI Congresso Brasileiro de Informática na Educação (WCBIE 2017).

GROVER, S., PEA, R. Computational thinking in K-12. A review of the state of the field. Educational Researcher, v. 42, n. 1, p.38-43, 2013.

HERMANS, Felienne; AIVALOGLOU, Efthimia. Teaching software engineering principles to k-12 students: a mooc on scratch. In: 2017 IEEE/ACM 39th International Conference on Software Engineering: Software Engineering Education and Training Track (ICSE-SEET). IEEE, 2017. p. 13-22.

KOLLING, M. The Greenfoot Programming Environment. ACM Trans. Comput. Educ., v. 10, n. 3, 14, 2010.

Lego Mindstorms. Disponível em: <https://www.lego.com/en-us/mindstorms>. Acesso em 04 de julho de 2019.

MANNILA, L., DAGIENE,V., DEMO, B., GRGURINA, N., MIROLO, C., ROLANDSSON, L. Computational Thinking in K-9 Education. In: Proceedings of the Working Group Reports of the 2014 on Innovation & Technology in Computer Science Education Conference - ITiCSE-WGR 2014.

McGowan, H. M. (2011). Planning a comparative experiment in educational settings. Journal of Statistics Education, 19(2).

MEYER, Dany; BATZNER, Ansgar. Engaging computer science non-majors by teaching K-12 pupils programming: first experiences with a large-scale voluntary program. In: Proceedings of the 16th Koli Calling International Conference on Computing Education Research. ACM, 2016. p. 174-175.

PAUSCH, R., BURNETTE, T., CAPEHEART, A.C., CONWAY, M., COSGROVE, D., DELINE, R., DURBIN, J., GOSSWEILER, R., KOGA, S., WHITE, J. IEEE Computer Graphics and Applications, 1995.

PETRI, Giani; WANGENHEIM, Christiane Gresse von; BORGATTO, Adriano Ferreti. Evolução de um Modelo de Avaliação de Jogos para o Ensino de Computação. In: WORKSHOP SOBRE EDUCAÇÃO EM COMPUTAÇÃO (WEI-SBC), 25. , 2017, São Paulo. Anais do XXV Workshop sobre Educação em Computação. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, julho 2017 . ISSN 2595-6175

RESNICK M., MALONEY, J., MONROY-HERNÁNDEZ, A., EASTMOND, E., BRENNAN, K., MILLNER, A., ROSENBAUM, E., SILVER, J., SILVERMAN, B., KAFAI, Y., Scratch: Programming for all. Communications of the ACM, v. 52, n. 11, p. 60-67, 2009.

Scratch - Imagine, Program, Share. Disponível em: <https://scratch.mit.edu/>. Acesso em 04 de julho de 2019.

SENDOVA, E. Handling the diversity of learners’ interests by putting informatics content in various contexts. In Proc. of the 2nd ISSEP, volume 4226 of LNCS, páginas 71- 82, 2006.

Stencyl - Create Amazing Games Without Code. Disponível em: <http://www.stencyl.com/>. Acesso em 04 de julho de 2019.

STOLEE, K. Kodu Language and Grammar Specification. Microsoft Resarch whitepaper, 2010.Tainton, B. (1990). The unit of analysis ‘problem’in educational research. Journal of Educational Research, 6(1):4–19.

WURSTHORN, B. Fundamental concepts of CS in a Logo-environment. In Proc. of EuroLogo, 2005.
Publicado
11/11/2019
Como Citar

Selecione um Formato
PONTES, Renata; SANTANA, Jaindson; PERKUSICH, Mirko; BARBOSA, Anderson; GOMES, Vitor; SIMÕES, Moisés; CAMELO, Carlos Avelino da. Avaliação de Ferramentas para Ensino de Programação para Crianças e Adolescentes. In: WORKSHOP DE INFORMÁTICA NA ESCOLA, 25. , 2019, Brasília. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2019 . p. 744-752. DOI: https://doi.org/10.5753/cbie.wie.2019.744.