Desenvolvimento de Jogos Não Digitais por Alunos do Ensino Médio: Um Relato de Experiência Envolvendo Arquitetura de Computadores

Resumo


No Brasil, é uma tendência a inclusão da educação tecnológica durante o ensino básico. Entretanto, temas como arquitetura de computadores podem ser desafiadores para os alunos, requerendo o uso de metodologias mais atrativas, como os jogos. Nesse sentido, este artigo apresenta os resultados de uma experiência de desenvolvimento de jogos não digitais sobre Arquitetura de Computadores, a qual envolveu 191 discentes do curso Técnico em Redes de Computadores Integrado ao Ensino Médio. Dentre os resultados observados, destacam-se o forte engajamento dos estudantes no processo de criação dos jogos e o despertar do interesse sobre os conteúdos de Arquitetura de Computadores.
Palavras-chave: Jogos Não Digitais, Ensino Médio, Arquitetura de Computadores

Referências

Araujo, G. G.; Aranha, E. H. S. (2013) “Avaliação formativa das competências e habilidades: instrumentação para jogos digitais”. In: Revista Novas Tecnologias na Educação – RENOTE, v.11, n.3.

Battistella, P. E.; Wangenheim, C. G. V. (2016) “Games for teaching computing in higher education – A systematic review”. IEEE Technology and Engineering Education, 9(1), 8-30.

Castro, R. M.; Siqueira, S. W. M.; Almeida, D. N.; Nascimento, F. C. (2017) “AGILITY SCRUM – Um Jogo para Ensino da Metodologia SCRUM”. In: XXV Workshop Sobre Educação em Computação – WEI.

Ferreira, D. L. B. (2018) “Meu Computador: um jogo colaborativo para a disciplina de Arquitetura de computadores”. Centro Universitário Regional Do Brasil, 2018.

Figueiredo, K. S.; Santos, J. C. O. (2016) “Computasseia: Um Jogo para o Ensino de História da Computação”. In: Women in Information Technology – WIT.

Mattos, M. M.; Tavares, A. C.; Farias, J. S.; Renaldi, F. (2004) “VXt: Um Ambiente Didático Para Ensino de Conceitos Básicos de Sistemas Operacionais e Arquitetura de Computadores”. 2004.

Mattar, J. Games em Educação: Como os nativos digitais aprendem. São Paulo: Editora Pearson Prentice Hall, 2010.

Mayer, B.; Harrys, C. (2010) “Libraries got game: Aligned learning through modern board games”. American Library Association.

Petri, G.; Calderón, A.; Wangenheim, C. G. V.; Borgatto, A. F.; Ruiz, M. (2018). “Benefícios dos jogos não-digitais no ensino de computação”. In Anais do XXVI Workshop sobre Educação em Computação. SBC.

Petri G., Wangenheim, C. G. V.; Borgatto A. F. (2018) “MEEGA+, Systematic Model to Evaluate Educational Games”. In: Lee N. (eds) Encyclopedia of Computer Graphics and Games. Springer.

Silva, G. P.; Borges, J. A. S. (2016) “Um Simulador Para o Ensino de Arquitetura de Computadores”. In: International Journal of Computer Architecture Education (IJCAE). v.5, n.1, dezembro 2016 - p.7.

Silveira, R. P.; Alcântara, S. (2014) “Relato da experiência do trabalho com jogos manuais de raciocínio lógico como reforço para as disciplinas de algoritmos e linguagem de programação”. In: Simpósio Brasileiro de Informática na educação (SBIE).

Tahir, R.; Wangmar, A. I. (2017) “State of the art in Game Based Learning: Dimensions for Evaluating Educational Games”. Proc. of the European Conference on Games Based Learning, (pp. 641-650). Graz, Austria.

Ullmann, M. R. D.; Inocêncio, A. C. G.; Moraes Neto, E. D.; Freitas, M. S.; Parreira Júnior, P. A. (2014) “NeanderSIM: Simulador Gráfico de Apoio ao Ensino de Arquitetura de Computadores”. In: Workshop sobre Educação em Computação – WEI.
Publicado
16/11/2022
Como Citar

Selecione um Formato
SILVA, Thiago Reis da; OLIVEIRA, Ruy Guilherme Silva Gomes de; ARANHA, Eduardo Henrique da Silva. Desenvolvimento de Jogos Não Digitais por Alunos do Ensino Médio: Um Relato de Experiência Envolvendo Arquitetura de Computadores. In: WORKSHOP DE INFORMÁTICA NA ESCOLA, 28. , 2022, Manaus. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2022 . p. 68-78. DOI: https://doi.org/10.5753/wie.2022.224888.