Abstrações reflexionantes e o meio digital: aliando recursos para a aprendizagem de conceitos de análise combinatória no Ensino Fundamental

  • Anelise P. Baur Viganó UFRGS
  • Marcus Basso UFRGS

Resumo


Neste trabalho apresenta-se um experimento com 3 estudantes do Ensino Fundamental sobre a aprendizagem do conceito de combinação simples por meio de um recurso digital elaborado pela pesquisadora, em linguagem Scratch, no computador. Utilizaram-se questionamentos inspirados no Método Clínico de Piaget. A oficina foi gravada em vídeo e foram realizadas anotações pela pesquisadora em um diário de bordo. Estas informações foram analisadas sob a perspectiva da Abstração Reflexionante. Observou-se que a ferramenta criada possibilitou a presença da abstração pseudo-empírica e abstração reflexionante, o que pode evidenciar o potencial positivo para a aprendizagem de combinação.

Referências

Duro, M. L. (2012) “Análise combinatória e construção de possibilidades: o raciocínio formal no Ensino Médio.” Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Kebach, P. F. C. (2010), In: “O professor construtivista: um pesquisador em ação”, organizado por Fernando Becker e Tania Marques, 2. ed., Porto Alegre, Editora Mediação, p. 43 – 54.

Lima, E. T. (2022) “Combinatória, probabilidade e suas articulações no currículo dos anos finais do ensino fundamental: o que é prescrito, o que é apresentado e o que se pode fazer?”, Tese (Doutorado em Educação Matemática e Tecnológica) Universidade Federal de Pernambuco.

Lima, E. T. e Borba, R. (2021) “Raciocínios combinatório e probabilístico de estudantes jovens e adultos: investigando relações.” In: Investigações em ensino e em aprendizagem: Uma década de pesquisas do Grupo de Estudos em Raciocínios Combinatório e Probabilístico (Geração), organizado por Rute E. de S. Rosa Borba, Juliana Azevedo Montenegro e Jaqueline A. F. Lixandrão Santos, Recife, Editora da UFPE.

Martins, E. F. (2020) “Pensamento combinatório e objetos digitais de aprendizagem: estudo construtivista nos anos iniciais” Tese (Doutorado em Informática na Educação), Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Montenegro, J. A. (2018) “Identificação, conversão e tratamento de registros de representações semióticas auxiliando a aprendizagem de situações combinatórias” Tese (Doutorado em Educação Matemática e Tecnológica) – Universidade Federal de Pernambuco.

Papert, S. (1993) A máquina das crianças: repensando a escola na era da informática, Porto Alegre, Artmed.

Pessoa, C. (2009) “Quem dança com quem: o desenvolvimento do raciocínio combinatório do 2º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio” Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Pernambuco.

Piaget, J. (1977). “Abstração reflexionante; relações lógico-aritméticas e das ordens das relações espaciais” Tradução de Fernando Becker e Petronilha B. G. da Silva, Porto Alegre: Artes Médicas.

Taxa, F. S. (2001) “Problemas multiplicativos e processo de abstração em crianças na 3ª série do ensino fundamental” Tese (Doutorado em Educação) – UNICAMP.

Viganó, A.; Menezes, B., Basso, M.; Notare, M. (2020). “Linguagem de programação por meio de smartphones possibilitando aprendizagens matemáticas” In: Revista Novas Tecnologias na Educação - CINTED - UFRGS. V.18, Nº 2.
Publicado
06/11/2023
Como Citar

Selecione um Formato
VIGANÓ, Anelise P. Baur; BASSO, Marcus. Abstrações reflexionantes e o meio digital: aliando recursos para a aprendizagem de conceitos de análise combinatória no Ensino Fundamental. In: WORKSHOP DE INFORMÁTICA NA ESCOLA (WIE), 29. , 2023, Passo Fundo/RS. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2023 . p. 138-147. DOI: https://doi.org/10.5753/wie.2023.234345.