Avaliações formativas coordenadas por estratégias de participação inspiradas na abordagem de ensino híbrido

  • Maria Angélica Oliveira UFRGS
  • José Valdeni De Lima UFRGS
  • Gisele Paim IFFar

Resumo


Este artigo apresenta um relato de experiência que traz a inserção de práticas pedagógicas, baseada na integração de abordagens de ensino híbrido aplicadas na disciplina de química do primeiro ano do Ensino Médio de uma escola técnica. Os experimentos mostraram que o grupo com as aulas mediadas pela abordagem híbrida teve melhores resultados, que influenciaram na participação e desempenho dos estudantes, comparados ao grupo que experienciou a abordagem tradicional. Esses dados comprovaram, que ao incorporar formas diferenciadas de trabalhar o conteúdo em aula, mudando o exercício tradicional da exposição, resultará em uma experiência mais participativa em classe.

Referências

Araújo, I. S., Mazur, E. (2013) “Instrução pelos Colegas e Ensino sob Medida: uma proposta para o engajamento dos alunos no processo de ensino-aprendizagem de Física”. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 30, n. 2: p. 362-384.

Bacich, L.; Moran, J. (2018) Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso.

Bacich, Lilian; Neto, Adolfo Tanzi e TREVISANI, Fernando De Mello. (2015) Ensino híbrido - personalização e tecnologia da educação. Editora Penso: Porto Alegre.

Basso, M. & Loyer, S. (2016). “Uso de Socrative como elemento de interacción en cursos de Ingeniería”. XXIX Congreso Chileno de Educación en Ingeniería (SOCHEDI), Pucón.

Benítez-Porres, Javier. (2015) "Socrative como herramienta para la integración de contenidos en la asignatura”. Didáctica de los Deportes.

Bergmann, J. & Sams, A. (2014). Flipped learning Gateway to Student Engagement, In: DOMÍNGUEZ, Adelaida Delgado. "Using mobile applications and online services to collect and compute statistics of peer assessments." Information Systems and Technologies (CISTI), 2013 8th Iberian Conference on. IEEE, 2013.Learning & Learning with Technology, May 18—23.

Bessa, R.C; Nunes. V.W.D.N. (2017). “Uso do aplicativo Plickers como recurso de Metodologia Ativa”. II Congresso sobre Tecnologias na Educação (Ctrl+E 2017). Universidade Federal da Paraíba - Campus IV. Mamanguape - Paraíba – Brasil.

Bloom, B.; Hastings, J. T.; Madaus, G. F. (1983) Manual de avaliação formativa e somativa do aprendizado escolar. São Paulo: Pioneira.

Da Costa, Carlos Helaidio Chaves et al. (2017) “Marvinsketch e kahoot como ferramentas no ensino de isomeria”. HOLOS, v. 1, p. 31-43.

De Almeida, Elba Cristina S. et al. (2008) “Contextualização do ensino de química: motivando alunos de ensino médio”. XVI Encontro Nacional de Ensino de Química (XVI ENEQ) e X Encontro de Educação Química da Bahia (X EDUQUI), Salvador, BA, Brasil–17 a, v. 20.

Demo, P. (2010) Mitologias da avaliação de como ignorar, em vez de enfrentar problemas. 3. ed. Campinas, SP: Autores Associados.

Dore, Rosemary; Lüscher, Ana Zuleima. (2013) “Permanência e evasão na educação técnica de nível médio em Minas Gerais”. Cadernos de Pesquisa, v. 41, n. 144, p. 772-789.

Fernandes, C. de O. (2014) Avaliação das Aprendizagens sua relação com o papel social da escola. São Paulo: Cortez.

Gazotti-Vallim, Maria Aparecida; GOMES, Silvia Trentin; FISCHER, Cynthia Regina. (2017) “Vivenciando inglês com Kahoot”. The ESPecialist, v. 38.

Gouveia, João Victor Vieira Silva et al. (2018) “Correlacionando a teoria com a prática usando experimentação no ensino de química”. Ciclo Revista, v. 3, n. 1.

Horn, M. B.; Staker, H. (2015) Blended: Usando a Inovação Disruptiva para Aprimorar a Educação. Porto Alegre: Penso.

Izeki, C. A.; N., Walter A.; Dias, R. M. C. (2016) “Experiência no Uso de Ferramentas Online Gamificadas na Introdução à Programação de Computadores”. Anais do XXII Workshop de Informática na Escola (WIE 2016), p. 301-310.

Kahoot. Make Learning Awesome. Disponível em: <https://www.kahoot.com/>. Acesso em: 20/06/2019.

Kielt, Everton Donizetti; Da Silva, Sani de Carvalho Rutz; MIQUELIN, Awdry Feisser. (2017) “Implementação de um aplicativo para smartphones como sistema de votação em aulas de Física com Peer Instruction”. Revista Brasileira de Ensino de Física, vol. 39, nº 4, e4405.

Luckesi, Cipriano C. (2011) Avaliação da Aprendizagem componente do ato pedagógico. 1° ed. São Paulo: Cortez.

____. (2008) Avaliação da Aprendizagem Escolar: estudos e proposições. 19.ed.-São Paulo: Cortez.

Mazur e Watkins (2007). “Justin-in- time teaching and Peer Instruction”. Phisycs,pp. 39-62, 2007.

Mazur, E. (1997) Peer instruction: A user’s manual. Pap/Dskt ed. [S.l.] Prentice Hall, Inc., p. 253.

Nielsen, K.L; Hansen G.; Stav, J.B. (2014) “How the initial thinking period affects student argumentation during peer instruction: students’ experiences versus observations”. Stud High Educ, 3, 1-15.

Oliveira, M.A.F.; Rechia, M. (2017) “Potencializando o Ensino da lógica com uso de dispositivos móveis mediados pelo método Peer Instruction”. Congresso Brasileiro de Informática da Educação (CBIE). XXIII Workshop de Informática Na Escola (WIE).

Rabelo, E. H. (1998) Avaliação: novos tempos, novas práticas. 2.ed. Petrópolis, RJ: Vozes.

Rodrigues, A. (1975) A pesquisa Experimental em Psicologia e Educação. Petrópolis: Editora Vozes.

Sanmartí, N. (2009) Avaliar para Aprender. Tradução Carlos H. L. Lima, Porto Alegre: Artmed.

Schiehl, Edson Pedro; Kemczinski, Avanilde; Gasparini, Isabela. (2017) “As Perspectivas de Avaliar o Estudante no Ensino Híbrido”. RENOTE, v. 15, n. 2.

Shon, Herb; Smith, Laurie. (2011) “A review of Poll Everywhere audience response system”. Journal of Technology in Human Services, v. 29, n. 3, p. 236-245.

Vettori, M., Zaro, M.A. (2016) “Avaliação do Socrative App como ferramenta auxiliar de ensino para a construção de aprendizagens significativas em uma disciplina de física geral a partir do Peer Instruction”. V Congresso Brasileiro de Informática na Educação (CBIE 2016). Anais do XXVII Simpósio Brasileiro de Informática na Educação (SBIE 2016), 190-199.

Zarzycka-Piskorz, Ewa; Podchorążych, Ul. (2016) “Kahoot it or not? Can games be motivating in learning grammar?” Teaching English with Technology, v. 16, n. 3, p. 17-36.
Publicado
11/11/2019
Como Citar

Selecione um Formato
OLIVEIRA, Maria Angélica; LIMA, José Valdeni De; PAIM, Gisele. Avaliações formativas coordenadas por estratégias de participação inspiradas na abordagem de ensino híbrido. In: WORKSHOP DE INFORMÁTICA NA ESCOLA, 25. , 2019, Brasília. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2019 . p. 451-460. DOI: https://doi.org/10.5753/cbie.wie.2019.451.