Coding Dojo como Prática de Aprendizagem Colaborativa para Apoiar o Ensino Introdutório de Programação: Um Estudo de Caso

  • Géssica Alves UFCG
  • Ayla Rebouças UFPB
  • Pasqueline Scaico UFPB

Resumo


Aprender programação é uma tarefa desafiadora para muitos alunos ingressantes dos cursos da área de Computação. Este artigo propõe o uso de Coding Dojos no ensino introdutório de programação e avalia se a prática influencia positivamente nos aspectos de motivação, colaboração e percepção de aprendizagem. Os dados obtidos são fruto de questionários aplicados em turmas de programação do primeiro ano de cursos da área de tecnologia. Os resultados apontam as seguintes conclusões gerais positivas: a promoção de Dojos de programação pode incentivar a participação e motivação de alunos e criar um ambiente colaborativo que favorece o aprendizado. Por outro lado, os resultados obtidos também identificaram alguns aspectos negativos: em algumas turmas trabalhar em par é um grande desafio.

Referências

Almeida, T. O.; Netto, J. F. M.; Silva, R. G. S.; Custódio, T. P. (2017) “Laboratório Remoto de Robótica como Elemento Motivador para a Aprendizagem de Programação”. In Anais do XXVIII Simpósio Brasileiro de Informática na Educação.

Berssanette, J. H. (2016) “Ensino de Programação de Computadores: Uma Proposta de Abordagem Prática Baseada em Ausubel.” Dissertação de Mestrado. Ponta Grossa, 144 f: il.

Bonfim, M. (2015) “O que é o Coding Dojo”. Acessado em: 27 de junho de 2018. Disponível em: .

Bzuneck, J. A. (2000) “As Crenças de Auto-Eficácia dos Professores.” In: F.F. Sisto, G. de Oliveira, & L. D. T. Fini (Orgs.). Leituras de psicologia para formação de professores. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes.

Carmo, D.H.; Braganholo, V. (2012) “Um Estudo Sobre o Uso Didático de Dojos de Programação”. In Anais do XX Workshop sobre Educação em Computação, Curitiba, Paraná.

Delgado, C.; Toledo, R.; Braganholo, V. (2012) “Uso de Dojos no Ensino Superior de Computação”. In Anais do XX Workshop sobre Educação em Computação, Curitiba, Paraná.

Estácio et al. (2015a) “Evaluating collaborative practices in acquiring programming skills: Findings of a controlled experiment”. In SBES’15.

Estácio et al. (2015b) “Evaluating the use of pair programming and coding dojo in teaching mockups development: An empirical study”. In Proceedings of the Annual Hawaii International Conference on System Sciences, Vol. 2015-March. IEEE, Kauai, 5084–5093. DOI:hp://dx.doi.org/10.1109/HICSS.2015.602

Estácio et al. (2016) “On the randori training dynamics”. In 9th International Workshop on Cooperative and Human Aspects of Software Engineering. ACM, Austin, 44–47. DOI:hp://dx.doi.org/10.1145/2897586.2897603.

Ettles, A; Luxton-Reilly, A., and Denny, P. “Common Logic Errors Made by Novice Programmers,” in Proceedings of the 20th Australasian Computing Education Conference, 2018, pp. 83–89.

Fredricks, A. J.; McColskey, W. (2012) “The Measurement of Student Engagement: A Comparative Analysis of Various Methods and Student Self-report Instruments.” S.L. Christenson et al. (eds.), Handbook of Research on Student Engagement, 763 DOI 10.1007/978-1-4614-2018-7_37, © Springer Science+Business Media, LLC.

Guimarães, S. E.; Boruchovitch, E. (2004) O Estilo Motivacional do Professor e a Motivação Intrínseca dos Estudantes: uma Perspectiva da Teoria da Autodeterminação. Psicologia Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 143- 150.

Harasim, L. (1989) On-line Education: A New Domain. In: Mason, R; Kaye, A. (Ed.). Mindweave: communication, computers and distance instruction. Oxford: Pergamon.

Heinonen, K. et. al (2013) “Learning Agile Soware Engineering Practices Using Coding Dojo.” In Proceedings of the 2013 ACM. New York, 97–102. SIGITE Annual Conference on InformationTechnology Education. ACM, DOI:hp://dx.doi.org/10.1145/2512276.2512306

Klava, V. (2010) “Motivação Empresarial - O Desafio do Século XXI”. Disponível em: .

Luz, R.B.; Neto, A. (2012) “Usando Dojos de Programação para o Ensino de Desenvolvimento Dirigido por Testes.” Anais do 23.o Simpósio Brasileiro de Informática na Educação (SBIE), Rio de Janeiro.

Luz, R.B.; Neto, A.G; Noronha, R. (2013) “Teaching TDD, the Coding Dojo Style”. International Conference Advanced Learning Technologies (ICALT), (Beijing, China),pp.371-375, IEEE, 2013.

Oliveira, T. A. N. de (2018) “O uso de Pair Programming para Apoiar o Ensino Introdutório de Programação: Um Estudo Qualitativo”. Universidade Federal da Paraíba - Campus IV.

Oliveira, R. et al. (2016) “Identifying Code Smells with Collaborative Practices: A Controlled Experiment”. In 2016 X Brazilian Symposium on Components, Architectures and Reuse Software 978-1-5090-5086-4/16 $31.00 © 2016 IEEE DOI 10.1109/SBCARS.2016.18 61 2016.

Prince, M. (2004) “Does Active Learning Work? A Review of the Research”. In Journal of Engineering Education, 93(3), 2223-231.

Paula, L. Q., Piva Jr., D., Freitas, R. L. (2009) “A Importância da Leitura e da Abstração do Problema no processo de formação do raciocínio lógico-abstrato em alunos de Computação.” Anais do XVII Workshop sobre Educação em Informática. São Leopoldo – RS, Brasil.

Rodrigues, da R. L. P., Franz P. L., Cheiran P. F. J., Silva, da S. P. J., Bordin S. A. (2017) “Coding Dojo as a transforming practice in collaborative learning of programming: an experience report.” In Proceedings of SBES’17, Fortaleza, CE, Brazil, September 20–22, 2017, 10 pages.

Sato, D. T.; Corbucci, H.; Bravo, M. V. (2008) “Coding dojo: An environment for learning and sharing agile practices”. In Proceedings of the Agile 2008, AGILE ’08, pages 459–464, Washington, DC, USA. IEEE Computer Society.

Scaico, P. D. (2018) “Um Estudo Sobre O Desenvolvimento De Interesse Pela Aprendizagem De Programação”. Tese de Doutorado. Universidade Federal de Pernambuco - CIN - Centro de Informática.

Souza-Concílio, I. de A.; Corrêa, A. G. D.; Pacheco, B. de A. (2015) “Coding Dojo Como Metodologia De Ensino: A Visão Dos Educadores”. Direitos autorais 2015 Revista Educação & Tecnologia.

Silva, I. F. A.; Silva, I. M. M.; Santos, M. S. (2009) “Análise de problemas e soluções aplicadas ao ensino de disciplinas introdutórias de programação”. Acesso em: 13 de julho de 2018.

Yin, K. R. (2015) “Estudo de Caso: planejamento e métodos”. Tradução de Cristhian Matheus Herrera. 5o ed. Editora Bookman.
Publicado
12/07/2019
Como Citar

Selecione um Formato
ALVES, Géssica; REBOUÇAS, Ayla; SCAICO, Pasqueline. Coding Dojo como Prática de Aprendizagem Colaborativa para Apoiar o Ensino Introdutório de Programação: Um Estudo de Caso. In: WORKSHOP SOBRE EDUCAÇÃO EM COMPUTAÇÃO (WEI), 27. , 2019, Belém. Anais do XXVII Workshop sobre Educação em Computação. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, july 2019 . p. 276-290. ISSN 2595-6175. DOI: https://doi.org/10.5753/wei.2019.6636.