Educação, morte e tecnologias - experiência no ensino de avaliação em IHC

  • Daniele Trevisan Universidade Federal de Mato Grosso
  • Cristiano Maciel Universidade Federal de Mato Grosso
  • Silvia Amélia Bim Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Resumo


A constituição de um legado digital e as implicações da morte para a gestão póstuma de dados devem ser abordadas no contexto da sala de aula. Neste artigo, são partilhadas as reflexões dos alunos no contexto da disciplina Avaliação na Interação Humano-Computador. A pesquisa exploratória, com abordagem qualitativa, foi realizada a partir de uma experiência pedagógica em que todo o conteúdo da disciplina foi abordado com foco nos sistemas de gestão do legado digital. Ao final do curso, foi aplicado um questionário com o objetivo de compreender a percepção do aluno sobre o processo formativo vivenciado. Os dados revelam que a experiência foi positiva tanto para a aquisição de conhecimentos sobre os métodos de avaliação, como para as reflexões sobre a finitude da vida.

Referências

Barbosa, S. D. J.; Silva, B. S. da; Silveira, M. S.; Gasparini, I.; Darin, T.; Barbosa, G. D. J. (2021). Interação Humano-Computador e Experiência do usuário. Autopublicação. DAVI. Dados além da vida. 2021. https://lavi.ic.ufmt.br/davi

Kovács, M. J. (2012) Educação para a morte: desafio na formação de profissionais de saúde e educação. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2012.

Maciel, C. Issues of the Social Web interaction project faced with afterlife digital legacy. In: Proceedings of the 10th Brazilian Symposium on Human Factors in Computing Systems and the 5th Latin American Conference on Human-Computer Interaction. 2011. p. 3-12.

Maciel, C., Pereira, V. C., Prates, R., Pereira, F. H. S. Tecnologias associadas ao pós-morte. In: Cristiano Maciel; José Viterbo. (Org.). Computação e Sociedade: a Tecnologia – volume 3. 1 ed.Cuiabá: EdUFMT –Editora da Universidade Federal de Mato Grosso, 2020, p. 224-258.

Mariano, A. T. R. M.. O Sentido da Vida e a Inevitabilidade da Morte: Para uma abordagem psicológica na educação para a morte. Dissertação (Mestrado). Universidade de Coimbra. Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, 2013.

Oliveira, J. P. M. Wagner, F. R. and Gasparini, I. (2020) A formação em computação. In: Cristiano Maciel; José Viterbo. (Org) Computação e sociedade: a profissão - volume 1 1 ed.Cuiabá: EdUFMT –Editora da Universidade Federal de Mato Grosso, 2020, p. 12-37.

Ribeiro, R. R. (2015) A morte midiatizada: como as redes sociais atualizam a experiência do fim da vida. Rio de Janeiro: Eduff, 2015.

Santos, F. S. (2009) A arte de morrer – visões plurais: volume 2. Bragança Paulista, SP: Comenius, 2009.

Sharp, Helen, Preece, Jennifer, e Rogers, Yvonne (2019). Interaction Design: Beyond Human-Computer Interaction. John Wiley & Sons.

Schilling, F. (2002). Reflexões sobre justiça e violência: o atendimento a familiares de vítimas de crimes fatais. São Paulo: Educ/ Imprensa Oficial do Estado

Trevisan, D. and Maciel, C. (2020) Morte, Educação e Tecnologias Digitais: Reflexões em tempos de Pandemia. SBC Horizontes, jul. 2020. ISSN 2175-9235. Disponível em: [link].

Yamauchi, E.; Maciel, C.; Mendes, F.; Ueda, G.; and Pereira, V. (2021). Digital Legacy Management Systems: Theoretical, Systemic and User’s Perspective. In: 23rd International Conference on Enterprise Information Systems, 2021, Online Streaming. Proceedings of the 23rd International Conference on Enterprise Information Systems, 2021. p. 41.
Publicado
18/11/2021
Como Citar

Selecione um Formato
TREVISAN, Daniele; MACIEL, Cristiano; BIM, Silvia Amélia. Educação, morte e tecnologias - experiência no ensino de avaliação em IHC. In: WORKSHOP SOBRE EDUCAÇÃO EM IHC - SIMPÓSIO BRASILEIRO DE FATORES HUMANOS EM SISTEMAS COMPUTACIONAIS (IHC), 20. , 2021, Online. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2021 . p. 56-63. DOI: https://doi.org/10.5753/ihc.2021.19590.

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)